A culinária caseira no Brasil nos idos de 1900
UMA COLETÂNEA DE RECEITAS DO FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX
Categorias
Artesanato E Hobbies, Casa E Lar, Culinária, Bebidas, Pratos
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 10812 vezes desde 11/04/2015
Versão
impressa
R$ 30,64
Valor total:
R$ 30,64
Versão
ebook
R$ 12,92
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 30,64
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O quê se comia nos bons tempos dos avós de nossos avós? Resolvi remexer em meus antigos livros e cadernos nas prateleiras do porão reservadas aos exemplares mais surrados e logo encontrei uma raridade, misto de livro e caderno de receitas remendado com folhas manuscritas substituindo outras desaparecidas, bem usado, sem capa, rasgado, engordurado, sem indicações de autor, editora, provavelmente impresso na Europa, usado por gerações e que acusava sua idade pelas palavras, a gramática, as medidas, o fogão a lenha, a falta de refrigerador e os próprios ingredientes e utensílios citados, alguns já inexistentes... Em algumas páginas, um adolescente treinou sua assinatura, a lápis: meu avô, nascido em 1899!

Receitas de domínio público, final do século XIX ou início do século XX -a Belle Époque! – compilei e digitalizei as mais interessantes no sentido histórico, as práticas, as que podem ser feitas no dia a dia e aquelas mais complicadas mas que fornecem subsídios para “novas” velhas maneiras de preparar ou temperar que podem ser aproveitadas na cozinha atual, resgatando técnicas e costumes já apagados no tempo.

Características
Número de páginas 72
Edição 2 (2015)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
p.a.marangoni

Obras de PA.Marangoni: "Angola, comandos especiais contra cubanos", "A opção pela espada", memórias de guerra; “Quimeras Incas”, ficção; filosofia em “O infinito não tem pressa”; poesia de crítica social, “A Era do Não”; conto, “Maria da Silva, apenas um retrato do cotidiano”; política em "Brasil, 513 anos drogado e prostituído"; curiosidades com “A culinária caseira no Brasil nos idos de 1900” ; literatura infantil com “O Rei Gordo Barrigudo” e “O Alfabeto: Joaninha explica”. Ficção, psicologia e filosofia em "A Conspiração de Santo Antonio do Desamparo" e Angústias de um peixe-voador. Última obra: "As brumas não são eternas", um romance octogenário". Vencedor em 2015 do 9º Concurso de Contos Livro de Graça na Praça/ Academia Mineira de Letras.

Comentários
0 comentários