Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
MELCKIZEDEK - Apócrifos Banidos
Apócrifos Banidos
Categorias
Agnosticismo, Religião, Cultura Bíblica
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 127 vezes desde 15/07/2020
Versão
impressa
R$ 41,69
Valor total:
R$ 41,69
Versão
ebook
R$ 22,60
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 41,69
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

MELCKIZEDEK

São Melquisedeque ou Melquisedec (em hebraico ־צֶדֶקלְכִּי־צֶדֶק / מַלְכִּי־צָדֶק, tradução. Malkiy-Tzadeq, "rei da justiça", "rei da paz") é um personagem bíblico do livro de Gênesis que interagiu com Abraão quando este retornou vitorioso da batalha de Sidim. É descrito como o rei de Salém e que não deixou descendência. Diz-se que não teve ascendência nem descendência, a quem a história atribui-lhe características sobre humanas, divinas. Alguém de enorme valor que instruiu os povos e lhes deu a civilização. - Melquisedeque é venerado pelo catolicismo, sua festa é no dia 26 de agosto na Igreja Católica.

O Apócrifo de Gênesis (Pseudo-Epígrafo de Gênesis), também conhecido como O Manuscrito de Lameque apresenta um relato ampliado do Gênesis.

Melquisedeque é a tradução de um manuscrito apócrifo encontrado nas cavernas de Qumran, no mar morto, em meados do séc. XX.

Características
Número de páginas 131
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Wanderley Beraldo

Mineiro de Andradas, onde nasceu em 1.951.

Trouxe da infância, a poesia silenciosa das montanhas mineiras, os sons das cachoeiras cristalinas e a pureza de suas águas límpidas.

Trouxe da solidão do estudo religioso em um seminário, a inspiração para os poemas mitológicos, míticos, místicos, sociais e idílicos, frutos das traduções de Vergílio, Homero, Esopo e Júlio Cesar.

Trouxe da participação nos movimentos da poesia marginal, a necessidade constante, visceral e vital da escrita.

Trouxe dos muitos trabalhos premiados, do periódico Muiraquitã, do primeiro livro publicado em 1.982 Marionetes, a consumação do casamento alquímico com a poesia.

Operário por necessidade e poeta por prazer.

Poeta alternativo. Poeta marginal.

“Ser poeta é sentir com dupla intensidade as belezas mais sutis”

Comentários
0 comentários