Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
O diário de Joaquim Nabuco de Souza
Categorias
Poesia, Filosofia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 3927 vezes desde 06/12/2011
Versão
impressa
R$ 34,78
Valor total:
R$ 34,78
Versão
ebook
R$ 12,92
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 34,78
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Aquele que se atrever a abrir este diário, aviso: Feche-o imediatamente.

Explico: Tratei de passar toda minha vida no anonimato e assim desejo continuar. Todas as minhas paixões, angústias, sofrimentos devido à solidão que me acompanha; minhas bebedeiras ou momentos comuns de insanidade foram contados apenas a estas folhas a caráter de desprendimento. Este que inanimado não pode guardar segredo, porém cabe ao leitor intruso devolvê-lo a cabeceira.

Quem insistir a cruzar esta página eu o amaldiçôo. Que nada de bom o caiba, que sofra eternamente mais sofrimento ao qual já esteja destinado.

Joaquim Nabuco de Souza.

Características
Número de páginas 94
Edição 1 (2011)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Ely Cabral

Ely Jefferson Rocha Martins Cabral nasceu em João Pessoa, capital da Paraíba, no dia 11 de Dezembro de 1989. Ele é um jovem escritor, dramaturgo e poeta que escreveu seu primeiro livro aos 17 anos. Entre seus trabalhos estão peças de teatro, diversos cordéis e poemas. Ele é autor da novela "O diário de Joaquim Nabuco de Sousa" e de "Contos de Joaquim", nos quais narra à saga de seu personagem solitário e existencialista.

Ely Cabral tem como influência os sertanejos cordelistas e repentistas nordestinos, como Zé da Luz, Patativa do Assaré, Louro do Pajeú, e escritores conterrâneos como João Cabral de Melo Neto, José Lins do Rego e Augusto dos Anjos.

Em suas narrativas ele discorre acerca da fragilidade humana preposta pelas relações sociais e seus interesses, mostrando a realidade crua das condições que a vida em sociedade submete seus indivíduos.

Por Stephany Eloy

Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários