PIGMALIÃO
Categorias
Contos De Fadas, Folclore E Mitologia, Clássicos, Belas Artes, Poesia, Ficção, Artes
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 24 vezes desde 30/06/2020
Versão
impressa
R$ 148,60
Valor total:
R$ 148,60
Valor total:
R$ 148,60
Sinopse

Lista das datas, dos autores e das obras

III a.C. - Publius Ovidius Naso - Pygmalion

1598 - John Marston - A Metamorfose da Imagem de Pigmalion

1796 - Friedrich Schiller - Os Ideais

1816 - E. T. A. Hoffmann - O Sandman

1832 - Arthur Henry Hallam - Linhas Faladas no Caráter de Pigmalião

1843 - Nathaniel Hawthorne - A Marca de Nascença

1844 - Nathaniel Hawthorne - A Filha de Rappaccini

1851 - Sara Jane Lippincott (Grace Greenwood) - Pygmalion

1856 - Thomas Woolner - Pigmalião e Lanthe

1864 - Robert Williams Buchanan - Pigmalião, o Escultor

1868 - William Morris - Pygmalião e a Imagem

1871 - W. S. Gilbert - Pigmalião e Galatea

1875 - William Bell Scott - Pigmalião

1881 - Emily Henrietta Hickey - “I was Pygmalion's Handiwork”

1884 - Elizabeth Stuart Phelps Ward - Galatea

1890 - Thomas Lovell Beddoes - Pigmalião ou o Estatuto Cípico

1891 - Alfred Browning Stanley Tennyson - Pigmalião

1900 - Edward Rowland Sill - A Magia Perdida

1905 - Edith Wharton - A Casa da Alegria

1911 - Andrew Lang - The New Pygmalion or the Statue's Choice

1917 - H. D. (Hilda Doolittle) - Pigmalião

1922 - H. P. Lovecraft - Herbert West: Reanimator

1926 - Robert Graves - Pygmalion to Galatea

1929 - Genevieve Taggard - Galatea Novamente

1938 - Patrick Kavanagh - Pygmalion

Características
Número de páginas 432
Edição 1 (2020)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Polen
Fale com o autor
JOSÉ ALBERTO BRANDÃO PIRES

Santa Mariana, 18 de junho de 2020.

Termineu tudo, finalmente!

TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO.

Agora vou ler para ver se tá realmente diagramado corretamente e fim: publicação.

Agora posso corrigir o que eu tinha mencionado da outra vez e, ainda mais 16 desses...

Santa Mariana, 3 de maio de 2020.

Terminei de escrever O POETA DAS EXTINÇÕES RECENTES [ABOUT 1992], feito entre 26 de agosto de 2018 e agora à pouco, 14 horas e uns 30 minutos, mais ou menos.

Santa Mariana, 24 de abril de 2020.

Não tinha programado essa transa bimestral! Destino!

O Corona mudou tudo, não consigo parar de pensar quando atingir as favelas mais pobres. Terei esse momento horrível no meu espírito imortal, ou é só um clichê distópico com gosto de bosta?

Não vejo sentido em continuar escrevendo... por isso só estou fazendo poemas...

As montanhas de milhares de corpos por fuso horário, ao mesmo tempo, todos os dias....

Santa Mariana, 24 de março.

Não vi fevereiro passar, mesmo depois do meu aniversário, em março, eu ainda achava que estava faltando mais de um mês para o outono.

Agora se fala no Vírus Corona...

Vou fazer o que eu desejo que seja a penúltima leitura do TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO...

Preparei um livro de versos, com o título O POETA DAS EXTINÇÕES RECENTES, e também já comecei a verificar os originais do MAUS COSTUMES, VÍCIOS E LUGARES SUJOS.

Ao contrário dos últimos anos, sinto vontade de ficar na rua... já era um exercio que faria para o livro MAUS... ... mas parece que a sugestão do Ministério da Saúde de permanecermos em casa... ... ...

Santa Mariana, 2 de fevereiro de 2020.

18:22.

O Silas do Som anuncia a morte do Juninho Inocêncio, aos 63 anos de Idade.

Foi o bêbado municipal por uns 20 anos.

Depois que escurecer vou fazer a primeira leitura do Tentando não me Fuder Muito, no tablet, que está carregando.

Santa Mariana, 24 de janeiro de 2020.

Sexta-feira, estava diagramando, parei porque o cara que limpa a piscina, o Flávio (obrigado, Flávio, merece ganhar o Prêmio Namor, diretamente do Aquaman)...

Toda a tensão de autorar, se dissipou... a leveza de escrever, de escrever, não... a leveza de apagar, de apenas corrigir bobeirinhas, sem precisar decidir coisas fortes... ah! é muito bom!

Estou diagramando um formato padrão, e acho que em poucos dias termino...

E... sim... É claro que começam a surgir novas ideias para aparente lacunas, mas não devo sucumbir às formas de obrigações... só vou preencher o que eu escrever por prazer incomum.

Tome uma pinga de cachaça.

Pronunciei em voz alta:

- Vai tomar uma pinga, Spider?!

Aí fiquei pensando em desde quando eu me chamo mentalmente de Spider.

Vim para o quarto... o celular desligado, sem bateria, as redes sociais off-line... sem nem um amigo vivo em todo o pplaneta... nem um colega próximo, nesses últimos 5 anos...

Aí vim fazer igual as pessoas que eu queria parecer, quando me meti nessa de escrever, faziam, escreviam na rede social da posteridade.

Escrevo para quando você compartilhar...

Corta a brisa... que... nunca poderei ouvir ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh sozinhooooooooooooooooooooooooooooooooooooo sem poder contar do meu livro para ninguém... e se contar... E se contar?... Rá!

O Flavio chegou, abri os portões, voltei e sentei... vou acoxar um fino para voltar a corrigir daqui a pouco...

A pinga já passou o efeito, então vou parar de escrever e... ... ... ... ... ... ... ... ... dichavar... ...

Santa Mariana, 23 de janeiro de 2020.

Terminei, de novo, o TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO.

No começo, ele tinha menos de 40 página do tamanho poket... foi quando eu achei que poderia fazer mais pela ideia que ele fora na minha cabeça.

Ele ficou com 60 páginas do tamanho comum do Documetos Google...

Então precisei escrever o que os textos não tinham escrito em si.

Terminei hoje, agora, 9:59, e ele ficou com 148 páginas... as quais virarão umas 250 no formato de livro, e muito mais no formato pocket...

Agora preciso arrematar as pontas soltas, passar pano na poeira dos mármores funerários e apagar alguns nomes de gente que... ... ...

Estou ouvindo Raimundo, 'Selim', matando um baga e juntando coragem para inicia a leitura final e ver se começo a diagramação da versão de tamanho simples.

"Eu queria ser o banquinho da bicicleta"

...

Santa Mariana, 12 de janeiro de 2020.

Semana passada o TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO me fez chorar, aí fiquei com certeza que estou no caminho certo com ele...

Estou procrastinando o mínimo, e fazendo o mais máximo possível para não acelerar apenas pela aceleração... reescrevo cada narreme, cada mitologema, cada besteira, pelo menos 3 vezes, depois torno a digitar...

Alguns parágrafos (às vezes uma simples frase) se tornam em textos de 5 páginas... 10 páginas, às vezes... mas só nas lacunas reais... No total, manterei a secura o mais possível, sem muita descrições idênticas às naturezas mortas dos panos de pratos... menos quando é preciso pegar um pano de prato, aí a diferença entre uma e outra é necessária, e eu descrevo certinho.

Santa Mariana, 11 de outubro de 2019.

Estou refazendo os textos do 'TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO'. Estava forçadamente coloquial, estava com locações equivocadas, ...

Em cada uma das 365 crônicas, eu consegui inserir um elemento poético específico que eu já havia preparado para isso mesmo, entre 2017 e 2018, quando as crônicas eram mentais apenas.

Além de finalizar dando a forma artística completa, gostaria de inserir os eventos históricos que tenham naturalmente algo em mim para ser escrito, nada de fora que apenas transfira para o texto. Ficou legal isso em um dos primeiros textos, em que menciono uma notícia de Sangi.

Embora sejam mais de 350 textos, ainda são mini crônicas, e tem menos de 60 páginas, em espaço simples. Pondero sintetizar em 52 textos (semanal, domingueiros), mas os cabeçalhos diários são bastante elucidativos, embora talvez cansem um pouco.

Já imagino que eu não terei tempo para terminar este ano, terei de refazer mais umas 2 vezes fora esta, e na próxima, os textos estarão maiores, o que exigirá mais tempo, mas espero que fique menores outra vez, quando eu re-refizer, e re-re-refizer, etc, pois a intenção é que sejam mini-crônicas, mas mini-crônicas densas, e não reles.

Santa Mariana, 28 de setembro de 2019.

"Born to be wilde"

Que massa! Consegui terminar a correção do 'TENTANDO NÃO ME FUDER MUITO'.

Só posso me envergonhar das mentiras necessárias. Queria só as impossíveis.

Não tenho nem um amigo no mundo para quem eu possa contar. E não tenho nem uma pessoa no mundo para quem isso importe. Só tenho a sua possível leitura acidental neste seu futuro tão distante deste meu momento sagrado. Mesmo assim, essa certeza de você, me faz bem.

Santa Mariana, 15 de abril de 2019.

Perdi toda a diagramação feita no fim de semana inteiro.

Frustrante...

Santa Mariana, 14 de abril de 2019.

Consegui diagramar mais 10%.

Santa Mariana, 13 de abril de 2019.

Sábado!

Se eu conseguir terminar de diagramar (das 5 horas da manhã até agora, 9:52, já fiz quase 10%), vou pirar hoje a noite!

Estou sem sair desde 19 de novembro.

11:17

Cumpri os 10% no segundo beque (e no décimo segundo café)!

20:45.

Finalmente consegui atingir os 20%. Tentarei pelo menos mais 5%, até a meia noite.

Estou colocando o nome dos personagens, antes de suas falas, em negrito. E eventualmente corrigindo o que não era para estar errado...

Santa Mariana, 12 de abril de 2019.

Cara, não consigo parar de chorar!

Conforme eu fui terminando de passar a limpo o livro, eu comecei eternamente a chorar esse últimos 14 anos em que eu entre na barriga da baleia e não conseguia...

Acho que até domingo eu posto! Beijo!

Santa Mariana, 5 de abril de 2019.

Nossa! Parece que esses dias foram de muita escrita, mas foram de muito mais do que muita!

Terminei de conseguir colocar todo o material em um mesmo documento.

Agora que está escrito, posso começar a eliminar, acho que até segunda-feira estará dilapidado e sem metideza e nem vitimismo.

Digitei o bloco de notas, joguei no Word e deu 240 páginas sem formatação, não preciso de tantas páginas... Espero que essa maior parte esteja na parte que seria corrigida e retirada de qualquer forma, etc.

Santa Mariana, 29 de março de 2019.

Comecei a diagramar o livro novo hoje cedo, e já parei para descansar. Talvez prossiga mais tarde.

Santa Mariana, 28 de março de 2019.

Seis dias para conseguir diagramar este livro, agora que publiquei, sento a impressão de que esses 6 dias, foram intensos iguais aos dias do livro.

Este se chama Plágio, Morrer em um Dia 26.

É um livro de crônicas.

Encanadores marretam onde era a grama atrás do quarto, precisam encontrar o vazamento.

Santa Mariana, 27 de março de 2019.

Cansativo diagramar as crônicas para o próximo livro.

Por tudo o que é mais banal, eu decidi alterar dois ou três nomes... não foi difícil com a maioria, mas um nome... foi difícil apagar e escolher outro... E outro nome, eu resolvi não mudar, que se foda!

Talvez pudesse ser publicado hoje.

Santa Mariana, 22 de março de 2019.

Quase! Quase consegui postar Segredados em Voz Alta hoje, mas já são 23 e 57, e eu quero dormir, de tanto diagramar.

Meio dia.

Já publiquei os Segredados em Voz Alta.

Já almocei.

Agora vou pirar, pra começar a diagramar outro...

Santa Mariana, 21 de março de 2019.

Terminei Os Regalos da Azanha. Resolvi tomar uma cerveja, antes de publicar, pra comemorar e pensar em uma capa. Senti o vento, fui beber embaixo de olhar as estrelas e reparei q tinha luar, fui ver e... eis essa Lua cheia.

O caderninho que a Rê me regalou era vermelho.

Santa Mariana, 20 de março de 2019.

Acabei de publicar os meus púberes Maus Costumes, Vícios e Lugares Sujos.

Esta chovendo e tem um cachorrinho latindo como se estivesse quase morrendo em alguma casa do outro lado da rua.

Os versos de amor do livro já eram démodé em 1993, a prosa fortuita não conta, sim se impressiona em voz alta com as novidades da adolescência como um colecionador de selos de cartas.

Santa Mariana, 19 de março de 2019.

Publiquei os versinhos da puberdade!

Tentando Não Me Foder Muito.

Já estou trabalhando em outro material já maturado, amanhã ou depois de amanhã eu publico.

Santa Mariana, 3 de setembro de 2017.

Poxa, quase 5 anos sem conseguir postar aqui.

Em setembro passado publiquei a versão definitiva de Os Caósculos, depois de "23" anos de convívio! Estou livre!

Pelo menos foi o que eu pensei... Mas a liberdade tava me carregando para uma inesperada inspiração: 'São José e a Virgem Maria'.

São José e a Virgem Maria consegue preencher um interessante espaço imaginário na mitologia desses elementos católicos, sem alterar o que havia,e nem incluir o que não há.

Um diálogo de admiração mútua.

Santa Mariana, 30 de janeiro de 2012.

Terminei a diagramação do livro do Renan. Terça o quarta ele me envia um prefácio ou uma introdução e estará publicado o Idéia Sem Fim; título apadrinhado por mim e que leva o Selo Colina.

Amanheceu.

Estou num tempo em que o que eu mais tenho que fazer é olhar pra trás. Não de modo retrógrado. Preciso olhar muito pra trás pra saber o quanto me desviei do meu caminho; pra saber pra que lado devo ir; para conseguir andar; sair do atoleiro. Voar!

Voar como nunca!

Santa Mariana, 28 de janeiro de 2012.

São cinco horas da manhã, já diagramei metade do meu livro de poesias Pétalas, estou exausto e ainda faltam cento e noventa páginas; menos mau que são páginas no formato A6, pocket.

O café está fodendo com as minhas entranhas. não consigo dormir mesmo estando exausto, preciso beber água e não consigo sair da cadeira. muito foda!

Escrever não é simples! Por isso a maioria dos livros sai uma porcaria, esmero exaure.

Santa Mariana, 24 de janeiro de 2012.

Estou corrigindo e farei a diagramação do livro de um jovem poeta marianense; que me parece promissor. Será a primeira obra externa que receberá o Selo Colina.

Sem mais detalhes.

Santa Mariana, 17 de janeiro de 2012.

Acabei de publicar Do Amor e da Noite, o meu mais importante, e o primeiro de poesia que eu escrevi na vida! Estou mais feliz que pelos outros! Mas nunca estou mais que 2% feliz; não sinto infelicidade, é quase uma grande ingratidão.

*

Acabei de revisar e comecei a diagramar o livro de poesia Ideia Sem Fim, do meu conterrâneo, Renan Dias Gonçalves.

Estou muito orgulhoso porque é um livro muito bonito e porque ele será o primeiro livro, salvo os meus quatro já publicados, que levará o Selo Colina de qualidade editorial.

Ainda não chegamos lá, mas quando chegarmos, talvez empaquemos alguns minutos na questão da imagem da capa.

Santa Mariana, 15 de janeiro de 2012.

Olhando o Do Amor e da Noite.

Acabei de publicar o Letras: Lilian Mitsunaga, entrevista com a letrista Lilian Mitsunaga.

E já vou mudar a capa.

Ah! Mais dois selos, um que eu me dei, ao clicar em cinco estrelas pra mim mesmo... E outra por ser noticiado, no caso, eu ter aparecido no Farrazine, pela entrevista desse último livro.

Contente! Sim!

Santa Mariana, 13 de janeiro de 2012.

Acordei e tinha recebido mais 4 selos de reconhecimento. O Manda Manda recebeu 3, sendo que um deles provavelmente foi por um erro do sistema, são eles: "1 x 5: Livro recebeu uma nota de 5 estrelas pela comunidade" e o "Vendas inauguradas: Esse livro já está nas mãos de seus leitores" , o Letais Tentativas de Bancar o Herói também recebeu um desse último.

Como eu disse ontem, profundos e repletos de conteudo, ou profundos e vazios, seja como for, os selos me deixam muito contente... e querendo mais!

Daqui a pouco volto a trabalhar no livro Pétalas. Poesia!

Santa Mariana, 12 de janeiro de 2012.

Ganhei mais um selo, por ser um autor iniciado aqui no Clube de Autores. É claro que fiquei feliz! Apesar de esse selo, especifcadamente este, não é um triunfo meu, mas... modéstia a parte, somos nós escritores o prêmio da editora.

Acho vago este selo. Não vejo mérito! A maioria está aqui está na mesma situação que eu; iniciando-se aqui. Quem deveria ganhar um selo é a editora. Se o Millôr ou o Manuel de Barros, ou mesmo o Paulo Coelho ou o Jô Soares, se algum desses viesse pro Clube de Autor... enfim...

Mesmo assim estou contentíssimo!

São 22:40. Nos próximos minutos publicarei o Letais Tentativas de Bancar o Herói. Vou publicar como primeira edição, pois nunca foi impresso e não pasou mais de poucas horas no ar, até eu descobrir o erro de diagramação que eu cometera.

Estou mais contente ainda: a capa é linda! Tirei do Dom Quixote.

Santa Mariana, 11 de janeiro de 2012.

Nessa tarde de sol! Ah! Acabei de publicar a 3ª edição do Manda Manda, provavelmente a definitiva, essa versão.

Agora é estourar uma bomba para comemorar.

E já começar a trabalha de novo no Letais Tentativas de Bancar o Herói.

Santa Mariana, 8 de janeiro de 2012.

Preparando o Eu Espectro, conto com teor autobiográfico, mas puramente ficcional. Acho que em janeiro não publicarei.

Santa Mariana, 29 de dezembro de 2011.

Dias lerdos. Tudo quente demais e sem chuva, mas hoje ter amanhecido nublado não parece o alívio esperado, mas uma tristeza de fim de semana de fim de ano de fim de ciclo de erros pro recomeço da careca...

Escrever? Só essas porcarias miseráveis, nada mais!

Basta pensar em trabalhar nos livros e uma nausea vertiginosa desanima os olhos, um cansaço... Não! Esperar! Esperar mais um pouquinho! Falta algum movimento que exclareça tudo! Falta alguma animação interior... mas proveniente do quê?

O porta retrato e a garrafa de conhaque no latão de lixo. Serão reciclados? Serei eu?

Santa Mariana, 24 de dezembro de 2011.

Ganhei um selo de reconhecimento da editora por causa da minha biografia.

Me sinto menos perto do Natal com um presente assim!

Mas... literatura, mesmo, provavelmente... só no ano que vem... ... mas quem é que sabe?

Santa Mariana, 19 de dezembro de 2011.

Acabou de chegar o meu exemplar do Manda Manda. Recebi com muita emoção, desempacotei com muito cuidado e logo de cara me desapontei, o texto da última capa tava fora de margem e desaparecendo fora da página, abri e susto, a formatação com o livro se iniciando nas páginas pares do Word não funciona pro livro; pro livro vc deve preparar as páginas que quer que fiquem a direita, nas páginas ímpares do Word; eu fiz nas páginas pares.

O pior é que o João Massan comprou o primeiro dessa segunda edição. Devo-lhe ressarcimento.

Tirei os dois livros da prateleira e vou corrigílos com cuidado. Devo acrescentar uma página em cada um, exatamente uma página.

Ainda bem que não gastei com o outro. Não estou nem um pouco satisfeito.

O Clube de Autores deveria permitir visualização de como o livro ficará quando impresso, pra termos mais controle da qualidade. Ao final, quem compra atribui à editora, e não ao autor, a precariedade da edição.

Santa Mariana, 18 de dezembro de 2011.

Travei! Natal é muito pra mim, é demasiado!

Não quero nem me lembrar de literatura minha. Não quero escrever nem ler nada meu, não estou conseguindo suportar meus traços...

Em compensação alguém acaba de pegar na alça do balde da Cosete.

Voltarei a minha leitura preferida do momento.

Santa Mariana, 16 de dezembro de 2011.

Não está fácil fazer a revisão do livro Pétalas! Realmente exaustivo, mas há momentos sublimes, como é dado acontecer na poesia! Há momentos em qu eu me surpreendo com coisas que eu nem me lembrava que tinha poesia ali de mim assim.

Importante, será!

Mexi em poucas páginas, mas não considero que o trabalho esteja lento simplesmente por estar longe de acabar, ao contrário; dada a densidade da poesia, estou indo até que de vento em popa.

Santa Mariana, 15 de dezembro de 2011.

Já há quase 60 horas fazendo a artefinalização da capa do verso do livro Pétala; a capa frontal foi facílimo de trabalhar, mas está pra capa traseira está cansativo demais, posto que haja uma gama de detalhes intrincadíssimos. Acho que passarei o fim de semana nisso...

Santa Mariana, 13 de dezembro de 2011.

Muito difícil digitar as correções do livro Pétalas.

E ainda terei de lê-lo pra saber como está e como ficará.

É um livro que sairá muito barato ao público, porque terá quase 400 páginas, mas o preço será basicamente o preço de um livro de 50 páginas; acho que o custo maior não é nem o papel, acho que é a tinta.

Meu exemplar do Manda Manda ainda não chegou; ainda não paguei o meu exemplar do Letais Tentativas de Bancar o Herói.

Santa Mariana, 10 de dezembro de 2011.

Publiquei, não sei se ontem, ou nessa madrugada, um livro de poesias chamado Letais Tentativas de Bancar o Herói. Era para este ser o subtítulo; o título era pra ser Perdões; achei demasiadamente subserviente e...

O Jaumzera já recebeu seu exemplar do Manda Manda, antes de mim... Como hoje é sábado, espera, espera, espera...

(Hoje tem Baile do Hawaii [em SM PR BR], amanheceu chovendo...)

Santa Mariana, 1º de dezembro de 2011.

Pronto, publiquei a segunda edição do Manda Manda. Tá mais bonito: menor (pocket); com ilustrações; nova capa e mais barato.

Estou feliz!

Agora é preparar um livro de poesias.

Santa Mariana, 25 de novembro de 2011.

Ainda sem ânimo para terminar a revisão para a segunda edição do Manda Manda. As provas estão acabando, mesmo sem eu realizá-las... Tudo tão vago... tão inseguro...

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 53,73
Ebook
R$ 33,37
Impresso
R$ 40,17
Ebook
R$ 12,92
Impresso
R$ 41,35
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 46,52
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 31,47
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 40,43
Ebook
R$ 14,56
Impresso
R$ 34,10
Ebook
R$ 12,92
Impresso
R$ 40,86
Ebook
R$ 15,61
Comentários
0 comentários