Epítome dos dias que se desdobram
Poemas e contos
Categorias
Ficção e Romance, Literatura Nacional, Poesia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1245 vezes desde 16/01/2016
Versão
impressa
R$ 37,07
Valor total:
R$ 37,07
Valor total:
R$ 37,07
Sinopse

Assim como o poderoso Deus deu histórias para os dias o escritor compele às folhas alvas o oficio de ser testemunha do tempo, um epítome de suas obras, seus turnos, seus adágios... Os dias se faz espectador, dos risos prazenteiros na chuva, das lágrimas que escorrem pela face por amor desfeito, de ver o homem cuidar, destruir e aprender a perdoar com um cachorro. Ver a natureza movimentar-se... Em seu louvável trabalho atravessa gerações fazendo parte das narrativas mais fantásticas como a do ser divino que se igualou aos mortais para mostrar que o amor é o melhor caminho, da felicidade timidamente conquistada pela coisa mais simples, do pássaro que cativa e motiva com seu hino... Ou escabrosas como perder a vida por não aceita-la como é, a de matar seus semelhantes por ambição. O incansável observador que não meça idade e nem envelhece é também cúmplice das melhores ocasiões que os seres de barro (ou de origem Darwiniana como queiram acreditar) protagonizam com outro da mesma especie, se nomeiam amantes; Ah os amantes! Com seus olhos brilhantes, corações acelerados, indecisos, abobalhados, cheios de amor (e quem sem esse sentimento ardiloso consegue viver afortunado?), palco das mais belas histórias. O escritor se deleita, vos cativa a massa cinzenta e dá amenidade. Poemas e contos se misturam trazendo estorias e historias...

O alvor nas folhas já não existe mais, as páginas se locupletam com pigmentos de tinta negra. Está registrado! Agora é com vocês!

Características
Número de páginas 138
Edição 1 (2015)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 90g
Fale com o autor
Pedro Pepe

Entrando na idade do lobo mas ainda com cabeça de adolescente o "mineiroca" (nascido no Rio de Janeiro mas criado em Minas Gerais) Pedro Pepe é filho único, ainda mora com os país, ouve rock dos anos oitenta e compromete de toda segunda matricular-se numa academia. Sem formação acadêmica sonha muito e acredita em Ets (ele não acha que isso é o suficiente para viver mas, vai vivendo com isso). Já perdeu muitas de suas obras por ser um idiota, ama incondicionalmente e acha que o mundo arruinou a sensibilidade de amar. Descobriu que livros contem as chaves do universo...

Comentários
0 comentários