"OS MELHORES SÃO APENAS BONS PARA A INFANTARIA"
HISTÓRIA DA ARMA DO COMBATE APROXIMADO DO EXÉRCITO BRASILEIRO (1822-2021)
Categorias
América Latina, Geografia E Historia, Ciências Humanas E Sociais
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 289 vezes desde 05/05/2021
Versão
impressa
R$ 62,41
Valor total:
R$ 62,41
Versão
ebook
R$ 19,80
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 62,41
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O livro analisa a evolução da arma de Infantaria do Exército Brasileiro, da Independência até os dias atuais. Para tanto, aborda transformações ocorridas em elementos doutrinários, a exemplo de estruturas organizacionais; formas de recrutamento e de seleção de pessoal; provisão de armamentos, equipamentos e fardamentos; modos de adestramento da tropa e de formação e aperfeiçoamento de oficiais e praças; e processos de combate adotados e efetivamente empregados. Também versa sobre conflitos que puseram à prova o pensamento doutrinário vigente em determinados períodos, expondo seus pontos fortes e fracos. Ainda trata do desempenho dos soldados brasileiros, particularmente dos infantes, nas campanhas examinadas.

Os capítulos da obra comportam etapas sucessivas da evolução da Infantaria. Todos foram divididos em duas partes: na primeira, versa-se sobre os elementos doutrinários supracitados; na segunda, aborda-se um conflito em que esses foram postos em evidência.

O livro compõe-se de sete capítulos, concernentes aos seguintes períodos: fase inicial do Império (1822- 1852), auge do Império (1853-1870), transição do Império para a República (1871-1897), apogeu da “República Velha” (1898-1915), declínio da “República Velha” até meados do “Período Vargas” (1916-1938), participação do Brasil na II Guerra Mundial (1939-1945), e tempos pós-II Guerra Mundial.

Os conflitos analisados nas fases acima mencionadas são, na ordem, a Guerra contra Oribe e Rosas, a Guerra da Tríplice Aliança, a Guerra de Canudos, a Guerra do Contestado, a “Revolução Constitucionalista”, a Campanha da Força Expedicionária Brasileira e a Guerrilha do Araguaia.

A pesquisa foi embasada em vasta bibliografia, de renomados pesquisadores; diversas memórias, de proeminentes militares; larga documentação oficial, a exemplo de legislações e relatórios; dentre diversas outras fontes.

No estudo constam variados quadros, organogramas e esboços, elaborados com o propósito de destacar, detalhar ou facilitar a compreensão de conteúdos específicos.

Características
ISBN 978-65-002-1403-1
Número de páginas 310
Edição 1 (2021)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor
ELONIR JOSÉ SAVIAN

Elonir José Savian é major da reserva do Exército Brasileiro. Além de diversos cursos em escolas militares, possui licenciatura em História (Universidade da Região de Joinville, 1993-1997), especialização em História Militar (Universidade do Sul de Santa Catarina, 2011) e mestrado em História Social (Universidade de Vassouras, 2012-2013). Foi professor de História da Academia Militar das Agulhas Negras, no período de 2001 a 2018. É autor dos livros "Haverá sempre uma Cavalaria: tradição e modernização no processo de evolução tecnológica do Exército Brasileiro - 1937/1973"; "Dos Apeninos aos Alpes: a Força Expedicionária Brasileira e o XV Grupo de Exércitos na Campanha da Itália"; "Legalidade e revolução: Rondon combate tenentistas nos sertões do Paraná - 1924/1925), e "Os melhores são apenas bons para a Infantaria: história da arma do combate aproximado do Exército Brasileiro (1822-2021)" . É coautor dos livros "Introdução ao Estudo de História Militar Geral" e "Introdução à História Militar Brasileira".

www.ejsavian.com: https://www.ejsavian.com/

Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários