HIDRELÉTRICAS NA AMAZÔNIA: Interpretações geográficas sobre as usinas do Madeira e Xingu
Categorias
Geografia E Historia, Ciências Humanas E Sociais, Ciências Exatas
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1303 vezes desde 25/06/2019
Versão
impressa
R$ 36,33
Acabamento
Valor total:
R$ 36,33
Versão
ebook
R$ 11,84
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 36,33
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O livro intitulado Hidrelétricas na Amazônia: Interpretações geográficas sobre as usinas no Madeira e no Xingu, longe de esgotar as possibilidades de diálogo, traz duas importantes ações do ponto de vista do desenvolvimento científico regional. A primeira delas trata de algumas abordagens que geralmente não são mencionadas ou são desconsideradas nos estudos de impactos ambientais. A segunda é que as abordagens são feitas por professores pesquisadores, residentes na área proposta de estudo, o que significa que são interpretações de amazonidas, falando sobre a Amazônia para o mundo. A implantação de uma hidrelétrica, para alguns, em especial em uma escala de análise geográfica nacional e internacional, é sinônimo de progresso e desenvolvimento, dada a instalação de infraestrutura e o volume de capital empregado e a geração de empregos, traduzidos em discursos de melhoria de vida para as populações locais, estratégia adotada pelos empreendedores para que haja uma aceitação por parte da população local. No entanto, a instalação de uma hidrelétrica gera impactos de diversas ordens: ambiental, social, econômica, entre outras, onde, além de representar alteração no uso dos recursos naturais das populações desterritorializadas, as mesmas não participam desta lógica de desenvolvimento ou benefícios das tais usinas. A concepção sobre o livro partiu de professores pesquisadores que atuam neste tema, no sentido de sistematizar suas pesquisas desenvolvidas nos estados do Pará e Rondônia, os quais são, na atualidade, os estados que concentram as maiores hidrelétricas na Amazônia. O livro permite ao leitor compreender sobre a geografia das hidrelétricas na Amazônia e as projeções de instalações futuras; o risco a respeito das instalações de usinas próximo as cidades; impactos sobre o ordenamento do território e nas unidades e conservação; sobre os diferentes discursos a respeito das hidrelétricas, operando no campo social; mecanismos de espoliação a que estão expostas as famílias da região, dentre outras leituras e, interpretações a respeito dos impactos ocasionados por grandes hidrelétricas na Amazônia.

Características
ISBN 978-85-63117-36-6
Número de páginas 262
Edição 1 (2017)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Maria Madalena de Aguiar Cavalcante; José Antônio Herrera

Geógrafa, Especialista em Gestão Ambiental, Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Rondônia e Doutora em Geografia pela Universidade Federal do Paraná. Líder do Grupo de Pesquisa em Geografia e Ordenamento do Território na Amazônia GOT-Amazônia. Atua na linhas de Pesquisa: Dinâmicas Territoriais e Meio Ambiente com ênfase conflitos socioambientais, unidades de conservação, mudança no uso e cobertura da terra e impactos ocasionados pela implantação de grandes obras de infraestrutura (hidrelétricas, rodovias e hidrovias) na organização do território na Amazônia, Crimes Ambientais. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Rondônia (2014-2018), obtendo a aprovação do primeiro doutorado em Geografia da região norte em sua gestão.

Comentários
0 comentários