IDIOSSINCRASIAS II
Espólios em versos e prosas!
Código do livro: 173691
Categorias
Poesia, Filosofia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 8300 vezes desde 25/09/2014
Versão
impressa
R$ 40,41
Valor total:
R$ 40,41
Valor total:
R$ 40,41
Sinopse

Este livro é uma fascinante coletânea de versos e prosas que o autor, Henrique Musashi, decidiu retirar da sua íntima gaveta e partilhar com os seus estimados leitores. Nestes textos estão impregnados sentimentos de tristeza, amizade, solidão, paixão, amor, desejo, humor e destiladas algumas críticas a comportamentos religiosos, políticos, sociais e culturais baseados na dissimulação, traição, mentira, preconceito, corrupção. Também faz charmosas homenagens a pessoas queridas e torna públicos poemas que lhes foram dedicados por algumas amigas. É mais uma obra organizada com prazer pelo escritor e que todo apreciador de uma boa literatura pode se deliciar ao ler, é um encantamento poético para aqueles de espírito romântico e traz ares de sensibilidade crítica a quem está sempre acessível à reflexão. Leia e deleite-se!

Não recomendado para nenores de 18 anos!

Características
Número de páginas 168
Edição 2 (2018)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor
HENRIQUE MUSASHI

CARLOS HENRIQUE MUSASHI DA COSTA RIBEIRO, nasceu em Aracati, a 30 de setembro de 1974, no estado do Ceará. É Escritor, Bacharel em Direito pela FVJ, Perito em Cálculos Trabalhistas, Conciliador e Mediador Extrajudicial. Foi estudante autodidata do comportamento humano, fundamentado, no trabalho de Pierre Weil no que se refere a “linguagem não verbal”, bem como no trabalho de Paul Ekman, sobre as expressões faciais (sistema universal das “micro expressões”), antes disto foi aluno de Psicologia Estudantil, no ISJ, do saudoso Prof. Ivanildo Damasceno. No entanto, sua vida acadêmica não se resume apenas nestes momentos, fez, pelo menos mais de uma dezena de outros cursos, entre o ensino técnico e cursos de aprimoramento na área do Direto.

***********************************************

Sobretudo na obra de Henrique Musashi percebe-se, além da admirável vocação em seus escritos, uma intimidade com a crítica social a começar da imagem da capa que também é texto de visual interpretação e despojo a um modelo social de viver. Em redundante, ele faz uma comparação e citação a si mesmo, mostrando uma intimidade com as palavras e complexidade em coloca-las, raramente encontrada nos autores de hoje, como se os autores do Trovadorismo ou do Naturalismo estivessem incorporados nele, mas usando uma linguagem mais tendenciosa ao Simbolismo e ao Romantismo que jamais vi. Em sua poesia há contemplação a mulher tão poeticamente bela que emociona o leitor e, mesmo quando entra em uma crítica acirrada, sua escrita traduz seu “ser poético” transcendental infinitamente criador.

Com a continuidade a perpassar em seus trocadilhos de palavras (complexas), aborda nas entrelinhas uma intimidade e sensibilidade nas relações sociais, emocionais, religiosas, afetivas, tecendo em sua linguagem metalinguística do simbolismo romântico em sua maioria onde o mesmo há uma diversificação apontando relações outras entre as palavras, composições na construção textual de sua coesão e coerência desenvolvendo seus signos, apelos às significantes e novas significações. Musashi é notável conhecedor das emoções humanas, de uma fascinante percepção intelectual, invejável nos poetas e poetisas de hoje.

[ELIENE MAGALHÃES –Mestranda em Educação – UFC, Sindicalista, Escritora, Poetisa, Graduada em Ciências da Religião, Pedagogia, História e Letras. Especialista em Ensino Religioso, História da África e Psicopedagogia]

Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

1 comentários
Roberto Matheus da Costa
Quinta | 27.11.2014 às 14h11
Lendo um pouco do que escreveram sobre você fico até envergonhado e chego a seguinte conclusão: sou poeta ou tento ser? Mas acredito que todo ser humano é poeta e escrevi sobre isso no poema: "Nasce um poeta". Parabéns pelo talento e pelas publicações!