O Jogo das Mil Palavras
Categorias
Infantil, Literatura Nacional
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1603 vezes desde 09/02/2015
Versão
impressa
R$ 29,52
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 29,52
Versão
ebook
R$ 11,84
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 29,52
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Como todo jogo atrativo, este tem pelo menos dois níveis principais de “complexidade”; os quais, grosso modo, tendem a atingir de uma faixa etária mais iniciante a outra mais iniciada, e vice-versa. De maneira que tais faixas, longe de mostrarem-se excludentes, componham uma grande mescla, tendente a identificar-se com um todo ao longo da “brincadeira”.

Nesse todo reside a ideia central do livro: divertir, entreter e conquistar a criança, com vistas a atrair seu interesse para a leitura e a construção de versos como instrumental de interação com os valores humanos e o mundo a sua volta.

Buscando sempre fazer da leitura um convite para o jogo da construção poética, a ordem aparente dos poemas nasce com uma primeira fase, onde o brinquedo, o jogo (aprender a sentir e/ou construir a leitura de versos) utiliza-se dos brinquedos concretos da primeira infância (a bola, a boneca, a bike e mesmo o computador), como elementos de conquista da atenção e do interesse.

Isso para, assim dar mote às fases da transição e das descobertas, anunciadas pela vizinha puberdade. E aqui, sempre reconstruindo-se, o jogo leitural começa a dar aos primeiros brinquedos uma outra importância; assim como às pessoas, aos bichos, aos valores morais emergentes e ao próprio sexo oposto.

Para não complicar, digamos que a fase da conquista vai do poema de abertura (“A criança faz poesia”) até a página doze (“Lá na casa da vovó”), passando pela diversão e o entretenimento, sem nunca perder de vista a questão dos brinquedos-brinquedos e sua ligação com os brinquedos-palavras; o que bem se evidencia até a página 16.

Ressalte-se também “Poeminha de papel” e “Brinquedo de mar” (p. 9,10); além, claro, de “O jogo das mil palavras” (3).

Como exemplo da transição, temos “Pedalando” (15).

Mas é “Quando o leite vira queijo” (25) talvez o grande salto para a puberdade e a adolescência, que afinal recompõem-se n’“O olhar do menino”, n’“A perna da tia” (27/28) e em tantos outros sentidos; até completar-se o descortinar do bairro, da amizade, da família, da separação, da metrópole, dos valores sociais, e, claro, do grande jogo das mil palavras.

Características
Número de páginas 40
Edição 1 (2015)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
wanderlei Francisco

Bacharel e licenciado em História e Letras, cultuo poetas modernos herdeiros de Baudelaire,Pessoa Drumond, Cabral....além dos prosadores iluminados por Machado,Gracilianao,Guimarães Rosa,Pedro Nava e os essenciais das culturas ibero-americana, europeia e oriental.

Neste livro, Rebanhos Desgarrados faço uma leitura pseudo-emulativa do mestre Fernando Pessoa.

wancisco.blogspot.com

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 40,71
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 28,94
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 33,75
Ebook
R$ 11,84
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 35,08
Ebook
R$ 11,95
Impresso
R$ 27,33
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 58,20
Ebook
R$ 24,75
Impresso
R$ 31,96
Ebook
R$ 12,92
Impresso
R$ 27,78
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 52,82
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 37,34
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 34,97
Ebook
R$ 11,84
Comentários
0 comentários