Teoria da Perda de uma Chance como meio de Relativização da Coisa Julgada
Categorias
Direito
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2812 vezes desde 22/04/2012
Versão
impressa
R$ 29,82
Coloração
Valor total:
R$ 29,82
Versão
ebook
R$ 13,99
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 29,82
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O presente estudo busca agregar duas teorias dessemelhantes e aplicá-las ao mesmo ideal constituindo um experimento. Neste trabalho consolidaremos a “Teoria da perda de uma chance” como meio de relativização da coisa julgada. A necessidade deste experimento está em antecipar ao problema, e nele firmar uma possível solução. As hipóteses que serão abordadas utilizarão tais possibilidades contra operadores do direito que exercem a advocacia. O estudo da relativização não é hodierno, porém a possibilidade de relativização com meios diversos aos previstos na lei que o objeto do embate doutrinário no momento. A teoria da perda de uma chance, um pouco mais moderna, vislumbra indenizar a possibilidade perdida, onde a principal dificuldade é definir o quantum perdido. Neste trabalho utilizaremos a teoria da perda de uma chance para ser um meio de relativizar a coisa julgada.

Características
Número de páginas 80
Edição 1 (2012)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Guilherme Alberto Santini Prado

Guilherme Alberto Santini Prado é Bacharel em Ciências Jurídicas pela Universidade Geraldo di Biasi. Natural de Barra do Piraí - Rio de Janeiro atualmente é estudante da Escola Superior da Magistratura Federal (ESMAFE) em Porto Alegre - Rio Grande do Sul.

Em 2009 ingressou como estagiário na Justiça Federal em Barra do Piraí, se desligando do estágio em 2011 quando foi aprovado em concurso público para laborar junta a Procuradoria da Prefeitura Municipal de Barra do Piraí/RJ.

Em área de pesquisa dedica-se ao Direito Processual Civil e Constitucional.

Comentários
3 comentários
N
Sábado | 28.04.2012 às 11h04
Guiiiiiiiiii \m/
Andri Meireles
Sábado | 28.04.2012 às 09h04
Muuito bom, Guilherme ! :)
Jordana
Quarta | 25.04.2012 às 20h04
Parabéns Guilherme, fiquei até com orgulho agora :)