Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Fale com o autor
Álvaro Vieira da Cunha
2 publicações
Sobre o autor
Quando cresci descobri no bilhete escrito com simplicidade por Álvaro Vieira Cunha o recado que eu tanto precisava! Que coisa boa! Agora me sinto mais forte, mais guerreira e vencedora pela consciência que ele me transmitiu em suas páginas da vida.
Por uma tarde, queria estar sentada na sala de estar, para ouvir as histórias da vovó, enquanto ela, calmamente, bordava o paninho de prato e aconselhava - me: “não esqueça: viva o hoje e é melhor ajudar sempre pelos caminhos diversos“.
E eu, a neta atenta, preparar-me-ia para mais uma doce alquimia.
Por uma hora, queria ser a sua filha e ser a sua teimosinha, para eu me orgulhar de todas as estrelas que eu olhar, pois seria a lembrança perfeita do meu pai e da obra que ele construiu e fez brilhar.
Assim eu não conheceria a solidão, que tanto me faz sonhar!
Por tudo e muito mais, queria ter sido a musa inspiradora a — diva — que rouba o beijo de mel, que sente o teu gostinho, que espalha o sabor, o amor e que se entrega a um amor clandestino e sente a força do amor pulsar!
A mulher que acende o fogo da paixão, do desejo e do amor mais profundo.
A tua mão tocou a minha sensibilidade e me fez sonhar em forma de poesia.
Álvaro Vieira da Cunha é um poeta único, sabe explorar a sua suscetibilidade como um menino a procura de si mesmo e expressa os seus sentimentos como um mensageiro de luz, que cumpre o seu destino de pescador de almas, sendo ele mesmo o alimento que acalma.

Tânia Durão (escritora, taróloga, terapeuta)
Selos de reconhecimento
Autor do Clube de Autores
Autor publicou o seu primeiro livro no Clube de Autores
Biografia bem definida
Sua página biográfica tem foto e um texto com pelo menos 300 caracteres sobre o autor
Todas as publicações desse autor