Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
A Àrvore Não Nega Sua Sombra Nem Ao Lenhador
Categorias
Poesia, Não Ficção
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 138 vezes desde 20/07/2020
Versão
impressa
R$ 43,03
Valor total:
R$ 43,03
Versão
ebook
R$ 11,84
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 43,03
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

*FRIEDRICH VON HARDENBERG NOVALIS (1772-1801)

(A poesia é o autêntico real absoluto. Isto é o cerne da minha filosofia. Quanto mais poético, mais verdadeiro.)

Parida do (latim poēsis), ou texto lírico, a poesia é uma das sete artes tradicionais, eivada de vários segmentos, a poesia é um retrato da realidade humana. Cada autor e quem o lê, colocam a poesia em patamares imaginados e almejados, entendidos e construídos de acordo com o que querem expressar ou imaginar. Utilizando-se de recursos linguísticos e estéticos, tanto o poeta quanto o leitor, perpassam os versos de um poema da maneira como o entendem ou pensam entender. Dando-lhes forma e vivacidade para expressarem seus sentimentos e pensamentos, alegrias, tristezas e fúrias pessoais. O poeta, por sua vez, intrigante e proprietário das palavras que formam o seu poema, sucumbe diante daquilo que ele almeja transmitir a quem o lê ou lerá, pois, mesmo convicto de que estará passando uma certeza daquilo que imaginou e criou, corre o risco de ser entendido ou de ser vilipendiado ou visto de formas diferentes, que não se coadunam com o que ele pretendeu transmitir. Mas a poesia, essa cria pessoal do homem filósofo e depois adotada como se fora um filho pródigo abandonado ao léu, aviltada por Platão, que não a considerava tão deleitosa aos sentimentos humanos, mas elevada ao posto de “real absoluto”, em suas variadas nuances, tem, ao longo dos séculos, servido de tema para propor ao ser humano a verdade e a fantasia. Eu escrevo poesia porque sou rebento da poesia e sem poesia minha alma vagaria perdida e trôpega pelas sendas do érebo que é a vida desprovida de poesia.

*Isaac Soares de Souza

Características
Número de páginas 151
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 90g
Fale com o autor
Isaac Soares de Souza
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários