A Nova Dependência
A dependência ecológica
Categorias
Ciências Humanas E Sociais, Economia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 7969 vezes desde 05/01/2011
Versão
impressa
R$ 35,85
Valor total:
R$ 35,85
Versão
ebook
R$ 13,28
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 35,85
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Situa no âmbito da Economia e Complexidade, tendo como tema a dinâmica do Sistema Capitalista. E responder como ocorrem as interações entre Sistema Capitalista e Sistema de Gaia trata-se do problema a responder. Será que a Expansão da Forma Capitalista de Produção apresenta ordem em meio à desordem, ou seja, uma dinâmica caótica?

Neste sentido, tenho como objetivo maior em estabelecer uma ligação entre Sistema Capitalista e Ecologia. Tenho objetivo geral apresentar as interações entre Sistema Capitalista e Sistema de Gaia segundo a Teoria das Estruturas Dissipativas.

Hipótese que me orienta atesta que a Expansão da Forma Capitalista de Produção (EFKP) ocorre em função de um ambiente que lhe é circundante (Economias subdesenvolvidas e meio-ambiente) como a única forma a qual permite manter seu padrão de organização (de elevadas taxas de acumulação e consumo nas economias cêntricas).

Esta relação ocorre por meio de uma derivação estrutural onde a estrutura das economias subdesenvolvidas é alterada em função de alterações no perfil de acumulação. E isto ocorre até o momento em que exaurindo o fluxo de energia (mais-valia ou recursos naturais) a EFKP passa por certas turbulências, estabelecendo, portanto, o fenômeno denominado “crise”. Neste sentido, a crise seria vista como uma incapacidade dos fluxos de mais-valia ou de recursos naturais manter o padrão de organização das economias subdesenvolvidas.

A hipótese atesta ainda; que a EFKP ao deteriorar os recursos no interior das economias periféricas e intensificar os impactos ecológicos em todo o Sistema de Gaia; impõe às economias subdesenvolvidas uma nova fase de processo dependente, a saber, de recursos naturais. Neste sentido, o desenvolvimento das economias periféricas estaria condicionado não apenas à quarta fase do fenômeno da dependência, ou seja, à vulnerabilidade externa, mas inclusive à disponibilidade de recursos naturais.

Características
Número de páginas 97
Edição 1 (2009)
Formato A5 (148x210)
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
João Batista da Silva Oliveira

Graduado em Ciências Econômicas, Estudante de Teosofia desde 1996 e editor do site ecomplex

Comentários
0 comentários