A POESIA DE EMIL DE CASTRO

Por EVAN DO CARMO

Código do livro: 682650

Categorias

Metafísica, Estética, Bem & Mal, Referência, Poesia, Filosofia

Compartilhe este livro
Esta página foi vista 371 vezes desde 28/05/2024
Versão
impressa
R$ 61,73
Valor total:
R$ 61,73
Versão
ebook
R$ 32,66
Leia em Pensática
Valor total:
R$ 61,73
Este ebook também pode estar à venda na:

Sinopse

A Poesia de Emil de Castro

É com imenso prazer e profunda admiração que apresento "A Poesia de Emil de Castro", uma obra dedicada à análise e celebração da escrita de um dos mais brilhantes poetas contemporâneos. Emil de Castro é um nome que ressoa com a força de um trovão nas letras brasileiras, um poeta que consegue, com rara habilidade, captar as nuances da existência humana em versos de uma beleza e profundidade avassaladoras.

Desde os primeiros versos de seus poemas, de Castro nos convida a uma jornada através da complexidade da vida, explorando temas universais como a morte, o tempo, a identidade e a busca por significado. A sua poesia é um espelho que reflete nossas próprias dúvidas e certezas, nossas angústias e alegrias, e nos permite vislumbrar a essência de nossa própria humanidade.

No poema "Cartão de Crédito", de Castro nos confronta com a transitoriedade da vida e a fragilidade da nossa identidade. A imagem perturbadora da "barata esmagada no vão da porta" e a sensação de inadequação revelam a luta interna do poeta com a sua própria existência. O uso de uma linguagem simples e direta, entremeada com metáforas poderosas, cria uma experiência de leitura que é ao mesmo tempo desconcertante e profundamente humana.

"Os Náufragos" é um exemplo da habilidade de de Castro em transformar o ordinário em extraordinário. A visão dos "afogados dando na praia de cara na areia" é uma metáfora devastadora para aqueles que, na travessia da vida, encontram-se perdidos e derrotados. O poema reflete sobre a inutilidade dos esforços humanos frente à imensidão do destino, encapsulada na figura do "salva-vidas inútil" e o mar implacável.

"As Árvores" e "Terceiro Milênio" revelam uma preocupação ecológica e existencial que perpassa a obra de de Castro. O poeta se identifica com as árvores moribundas da praça central, sentindo em sua própria carne o golpe da mortalidade. A referência ao poeta Bocage em "Terceiro Milênio" não é apenas um tributo, mas uma forma de situar-se na tradição literária, ao mesmo tempo que expressa um profundo ceticismo em relação à eternidade e à continuidade da vida.

Os poemas dedicados aos bêbados, "Os Bêbados II" e "Os Bêbados", são um estudo sensível e empático sobre aqueles que vivem à margem da sociedade. De Castro vê nos bêbados uma espécie de resistência poética, uma aceitação da vida em suas formas mais cruas e reais. A reunião noturna na praça do cais, o consumo de rosas, e a crença inabalável em um trem que nunca chega, tudo isso contribui para uma narrativa de esperança e desilusão que é ao mesmo tempo bela e trágica.

"O Bêbado e a Metáfora" é uma dança entre ilusão e realidade. A figura do bêbado que vê a lua na poça d'água e se sente imortal é uma poderosa alegoria para a capacidade humana de criar beleza e significado, mesmo na mais completa desolação. Este poema, como tantos outros na obra de de Castro, nos lembra que a poesia é um ato de sobrevivência, uma forma de encontrar luz nas sombras mais densas.

Em "Casulo", de Castro explora a intimidade e a transformação. A repetição da palavra "imponderável" cria uma sensação de mistério e maravilha, enquanto as imagens corporais evocam um erotismo delicado e uma busca por conexão profunda. Este poema, em sua aparente simplicidade, é um testamento da capacidade do poeta de transformar o pessoal em universal.

"A Canção Pra Fazer Dormir as Lagartixas" contrasta em seu tom lúdico e suave, oferecendo um momento de ternura e paz em meio à intensidade dos outros poemas. A simplicidade das imagens e a repetição hipnótica criam uma canção de ninar que é ao mesmo tempo infantil e profundamente filosófica.

"O Afogado" e "Xadrez" exploram temas de mortalidade e conflito interno. A água cristalina e o sol escandaloso criam uma imagem paradoxal de beleza e tragédia, enquanto o jogo de xadrez se torna uma metáfora para a luta incessante entre as partes da própria alma. Em ambos os poemas, de Castro demonstra uma habilidade única para transformar imagens simples em reflexões complexas sobre a vida.

"Eu e Pã" é um lamento pela perda da conexão com o divino e o natural. A morte de Pã simboliza uma ruptura profunda, e o poema é um grito de desespero e saudade. De Castro, com sua habilidade característica, entrelaça o mito com a realidade pessoal, criando uma narrativa de perda e busca que é ao mesmo tempo épica e íntima.

"A Cidade Submersa" nos deixa com uma sensação de renascimento e esperança. A cidade que desperta de sua letargia é uma metáfora para a capacidade humana de se renovar e se transformar, mesmo após longos períodos de estagnação.

A poesia de Emil de Castro é uma viagem através da alma humana, uma exploração das profundezas e das alturas da experiência. Sua obra é marcada por uma sensibilidade única, uma capacidade de ver o extraordinário no ordinário e de transformar a dor em beleza. "A Poesia de Emil de Castro" é um tributo merecido a um poeta que nos desafia a olhar mais profundamente, a sentir mais intensamente e a viver mais plenamente.

Ao mergulharmos nos versos de de Castro, somos convidados a uma reflexão profunda sobre nossas próprias vidas, a reconhecer nossas próprias lutas e a encontrar consolo na universalidade de sua arte. Este livro é uma celebração dessa jornada, um convite para que todos nós possamos encontrar em seus poemas uma forma de compreender melhor o mundo e a nós mesmos.

Com grande honra e respeito, convido todos os leitores a explorar a obra de Emil de Castro e a descobrir a riqueza inesgotável de sua poesia.

________________________________________

Evan do Carmo

Características

Número de páginas 100
Edição 1 (2024)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Polen
Idioma Português

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor

EVAN DO CARMO

Evan do Carmo, nascido em 29 de abril de 1964, na Paraíba, é um renomado poeta, escritor, romancista, jornalista, músico, filósofo e crítico literário brasileiro. Sua carreira é marcada por uma diversidade de talentos e contribuições para a literatura e cultura.

Desde cedo, Evan demonstrou sua paixão pelas palavras e pela expressão artística. Fundou e dirigiu o jornal Fakos Universitário, desempenhando um papel importante na disseminação de informações e ideias. Em 2009, criou a revista Leitura e Crítica, uma plataforma dedicada à análise e discussão da literatura contemporânea.

Com um impressionante catálogo de 30 livros publicados, sua obra tem alcançado leitores em 12 países, incluindo uma edição em inglês intitulada “O Moralista”. Entre suas obras estão “O Fel e o Mel”, “Heresia poética”, “Elogio à Loucura de Nietzsche”, “Licença Poética”, “Labirinto Emocional”, “Presunção”, “O Cadafalso”, “Dente de Aço”, “Alma Mediana” e “Língua de Fogo”. Além disso, Evan também contribuiu com vários contos em antologias literárias, demonstrando sua versatilidade como escritor.

O reconhecimento por sua escrita notável veio em 2005, quando foi um dos vencedores do concurso Machado de Assis do SESC DF. Em 2007, teve a honra de ser jurado na categoria de contos do concurso Gente de Talento 2007, promovido pela Caixa Econômica Federal, ao lado de Marcelino Freire.

Para além de suas habilidades literárias, Evan do Carmo também é um estudioso dedicado da obra do renomado escritor português José Saramago. Em 2015, publicou o livro “Ensaio Sobre a Loucura” e “Reflexões de Saramago”, uma obra que oferece um panorama perfeito na voz do próprio Saramago, em forma de ficção ensaísta, sobre a obra do Nobel Português.

Com o intuito de impulsionar outros talentos literários, Evan do Carmo fundou em 2016 a Editora do Carmo, realizando o sonho de mais de 500 autores, muitos dos quais não tinham recursos para publicar suas obras. Entre esses autores, destacam-se dezenas de poetas e escritores africanos de Angola e Moçambique, proporcionando uma plataforma para a divulgação de suas vozes e culturas.

Além de suas contribuições como escritor e editor, Evan do Carmo também compartilha seu conhecimento e experiência por meio de palestras e oficinas literárias. Sua dedicação em promover a literatura e ajudar outros escritores a alcançarem seus sonhos é evidente em sua atuação.

Evan do Carmo, com seu talento multifacetado e sua paixão pela literatura, continua a enriquecer a cena literária brasileira e a criar oportunidades para uma diversidade de vozes serem ouvidas. Sua dedicação incansável à escrita e ao apoio aos escritores emergentes o tornam uma figura inspiradora e um exemplo notável no campo literário. Para aqueles interessados em entrar em contato com ele para palestras e oficinas literárias, Evan do Carmo pode ser alcançado no número (61) 981188607.

Nome do link: evandocarmo.com

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 67,70
Ebook
R$ 43,96
Impresso
R$ 53,04
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 90,76
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 74,30
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 53,25
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 65,94
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 50,22
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 57,67
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 62,16
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 59,38
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 55,97
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 77,23
Ebook
R$ 32,66
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários