Direito cosmopolita e desenvolvimento econômico
Aspectos filosóficos de uma contradição
Categorias
Desenvolvimento Humano, Direito, Filosofia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1292 vezes desde 21/07/2015
Versão
impressa
R$ 50,62
Valor total:
R$ 50,62
Versão
ebook
R$ 31,15
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 50,62
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Como pensar a crise atual dos modos de legitimação democrática? Alguns autores estimam que no espaço internacional haja uma transformação em curso: a transição do direito internacional para o direito cosmopolita, e que seria representativa de uma possibilidade desejável para a resolução desses problemas. O direito cosmopolita pressupõe a democracia cosmopolita, que seria traduzida pela ideia de uma disseminação da soberania, uma tendência apoiada pelo seguinte conceito normativo: uma ordem internacional justa consolida a passagem de um sistema de soberania dos Estados à sociedade solidária de povos e associações. Como ficará claro, trata-se da cristalização de um pensamento comum a muitos autores que se dedicam ao tema da justiça internacional. Contudo, como também tentarei mostrar, há certa diversidade de linguagens sobre o universalismo dos direitos humanos, e a mais pronunciada em termos de globalização é a linguagem da economia, a qual gera implicações cuja problematização filosófico-política por intermédio de uma teoria da justiça global é incontornável, no contexto de sociedades complexas. A análise empírica do modo de funcionamento de certas instituições supranacionais de fomento e regulação, como o Banco Mundial ou o Fundo Monetário Internacional, associada à verificação dos resultados apresentados desde 1990 pelo Relatório de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, informa que o projeto de governança global, influenciado pela posição de hegemonia que a economia neoclássica ocupa no pensamento econômico, caminha numa direção contrária à sustentabilidade ecológica e social, que deveria promover.

Características
ISBN 978-85-63363-02-2
Número de páginas 228
Edição 1 (2015)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Cristiano Santiago de Sousa

Nascido no Rio de Janeiro, Cristiano Santiago é bacharel, mestre e doutor em filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde defendeu sua tese em 2006. Também realizou um estágio de doutorado na Chaire Hoover d'étique économique et sociale da Université Catholique de Louvain (Bélgica).

Em 2008 concluiu o pós-doutorado em filosofia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Atualmente é professor Titular de Filosofia na Faculdade AGES, em Paripiranga - BA

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários