OS ANJOS DE LÍDICE
E O CARNICEIRO DE PRAGA
Código do livro: 337733
Categorias
Educação, Geografia E Historia, Não Ficção, Antigo, Europa, Holocausto
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 149 vezes desde 01/09/2020
Versão
impressa
R$ 56,42
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 56,42
Versão
ebook
R$ 35,95
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 56,42
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

“Em 10 de junho de 1942, o governo alemão anunciou o assassinato de uma palavra - LIDICE. Aquela pequena vila na Tchecoslováquia não apenas foi destruída, mas seus homens foram assassinados. Suas mulheres e crianças foram espalhadas, presas e mortas.” Lídice deveria ser apagada do tempo, apagada da história, esquecida para sempre. Em vez disso, o nome de LIDICE se torna um lembrete permanente para nós de que a força nazista não poderia destruir o amor pela liberdade humana nem a coragem de mantê-la.” (Franklin D. Roosevelt)

Existe uma enorme paciência e cortesia na terra. A grama perdoa eternamente; a grama cresceu sobre os túmulos dos mártires. Mas o coração ferido nunca pode se curar completamente. Do coração ferido, lentamente gota a gota, cresceu o sonho e a planta que é a ressurreição de Lídice. Lídice, a pequena vila tranquila, era desconhecida do mundo. Lídice, o símbolo, pertence ao mundo inteiro; a todo ser humano amante da liberdade, de toda raça, credo e cor. Hoje, a própria palavra Lídice representa aquelas virtudes do coração humano, esses valores e graças do espírito imperecível do homem, o único que confere ao tempo a dignidade da atualidade e é o único que dá sentido, direção e grandeza à vida.

Em todos os lugares, as pessoas ficaram enraizadas em puro horror enquanto os rádios de todo o mundo contavam a história chocante que não só não foi negada, mas também alardeada pelo Alto Comando Alemão na rádio de Berlim. “Um pequeno vilarejo perto de Praga foi apontado hoje como o alvo da vingança alemã. Incumbido de abrigar os assassinos de Reinhardt Heydrich, toda a população foi tratada com selvageria sem paralelo. Todos os homens moradores com mais de quinze anos foram baleados. As mulheres e crianças foram deportadas e toda a aldeia foi incendiada”. A autêntica versão alemã diz que o nome da comunidade foi extinto - apagado da face da terra para sempre. A pequena aldeia pacífica que separava a estrada principal de Praga a Kladno não existia mais. Fora fisicamente eliminada da face da terra pelos alemães - sob a mera suspeita de que abrigara o assassino de Heydrich, o carrasco alemão. A pequena aldeia que ficou lá por seiscentos anos era apenas uma pilha de escombros fumegantes. A pequena vila com pousadas pitorescas, seu adorável pomar de cerejeiras, suas antigas casas de fazenda senhoriais sobre as quais se erguia a torre da famosa igreja de St. Martin.

A morte de Heydrich, "o açougueiro de Praga", foi um evento que afetou todos os líderes alemães nazistas, bem como o alto comando alemão. Cada um da raça satânica que trabalhou com ou por trás de Hitler - Gõring, Goebbels, Himmler, Streicher, Daleuge, Frank e outros da hierarquia alemã - foi assombrado pelo medo de ser o próximo. Então, em Lídice, os alemães decidiram construir uma barreira de medo entre eles e seus agressores pretendidos. E para sublinhar a lição que ensinariam, não só cumpriram seu assassinato em massa, mas proclamaram-no do alto das casas. Tendo chegado ao poder por meio do exercício de terrorismo desenfreado, eles agora esperavam permanecer no poder pelos mesmos meios.

Lídice não era uma demonstração do poderio alemão. Mil e quinhentos soldados alemães do Reich e cinco caminhões carregados de homens da Gestapo e SS alemães armados com metralhadoras, caindo sobre uma pequena aldeia desarmada já cercada por um anel de aço, beirando o ridículo. Ela toma seu lugar na história como o estado de espírito covarde de uma Alemanha desesperada que viu a rede da justiça se fechando sobre ela.

Em um mundo livre, homens e mulheres conscientes de sua dignidade podem falar livremente, sem medo. A Carta Atlântica com suas quatro liberdades, pelas quais os homens deram suas vidas na Segunda Guerra Mundial, dá a eles esse direito. Esta é uma prerrogativa de homens e mulheres livres em todo o mundo.

Características
Número de páginas 75
Edição 2 (2020)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

ADEILSON NOGUEIRA

ADEILSON SANTANA NOGUEIRA — Nascido em Estância-SE, em 30/06/1969, filho de Francisco de Carvalho Nogueira (I.M.) e de Maria Aldeiza Santana Nogueira, desde cedo apresentou interesse pela literatura e pela poesia, tanto é assim que, aos 11 já escrevia os primeiros poemas, com premiação em concurso de poesia no Colégio Costa e Silva, em Aracaju, cuja temática era a discriminação racial, também obtendo premiações na cidade de Lagarto, no Colégio Polivalente. Aos 10 anos, recebeu das mãos do Prefeito Heráclito Rollemberg, em Aracaju, o Certificado que lhe concedia o título de secretário mirim da educação. Em 1987 teve poemas publicados em dois livros no Rio de Janeiro: Brasil Literário (Crisalis Editora) e Poesia Brasileira (Shogun Editora e Arte), além de diversos escritos para o Jornal de Campos, Styllo, Primo Notícias, em Tobias Barreto, Folha da Jhô, em Lagarto, e Jornal da Manhã e Jornal da Cidade, em Aracaju. Jornalista, Radialista, Bacharel em Direito, Escritor, Tutor em EAD, Docente do Ensino Superior, com curso de Planejamento e Orçamento Governamentais, Portas Abertas para a inclusão - Educação Física Inclusiva, pela UNICEF e Fundação Barcelona, e Introdução à Avaliação de Impacto para Programas Sociais, possui mais de 1.000 títulos publicados. Em 1987, a convite, fez um programa direcionado à cultura na Rádio Progresso de Lagarto, fato que o estimulou a fazer o curso de radialista na cidade de Itabuna-BA, tendo passado pela Rádio Progresso, Rádio Clube de Itapicuru, Rádio Luandê FM e Rádio Imperatriz (atual Ilha AM). Em 1999, ocupava o cargo de assessor de Comunicação na Prefeitura de Tobias Barreto, onde coordenou o Jornal Cidadania pra valer, de publicação mensal, na gestão do então prefeito Diógenes Almeida, fazendo parte, também, do colegiado das Políticas Educacionais. Professor desde 1988, prestou serviços à educação nos Colégios Monsenhor Basilíscio Raposo, Colégio Nsª Srª Menina, Ranchinho Feliz, Educandário Nsª Srª do Carmo, Colégio Cenecista Arnaldo Dantas, na Barra dos Coqueiros, além do SENAC e do CENAPE – curso pré-vestibular. Sempre que possível, levou oficiais da polícia militar à sala de aula para darem palestras contra o uso de entorpecentes. Em 1992, viajou para o Japão, onde trabalhou na Mitsubishi Motors Corporation, sediada na cidade de Nagoya, retornando em 1994. Primeiro representante da Anistia internacional em Sergipe, foi graças ao seu esforço decisivo junto ao Ministério da Justiça do Governo Peruano, sob a ditadura Fujimori, que a Anistia conseguiu a liberdade para um outro professor, injustamente encarcerado por comentar questões políticas em sala de aula. No Brasil e no Japão comandou greves, neste último, conheceu de perto a perseguição promovida pelos sindicatos patronais ao proletariado.

De 2005 a 2012, ocupou o cargo de Assessor Jurídico na Prefeitura Municipal de Tobias Barreto, de onde presidiu a comissão responsável pelo 2º Concurso Público na gestão da então prefeita Marly Barreto, além de colaborar na Lei que criou o Plano Diretor, entre tantas outras. Membro da Academia Tobiense de Letras e Artes – ATLAS, ocupou a presidência no biênio 2015-2017.

Numismata desde os seis anos de idade, suas 10 palestras sobre coleção de moedas antigas, registradas em DVD’s, viajaram pelos quatro cantos do País, para os Estados Unidos e Europa, tendo seu nome sempre lembrado nos encontros de colecionadores por todo o País.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 54,75
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 56,90
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 56,50
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 58,90
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 58,02
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,71
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários