Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Fale com o autor
DACRÉO
1 publicação
Sobre o autor
Jorge Alves Pimenta – o DACRÉO

Carioca, nascido no antigo e imperial bairro de São Cristóvão, na localidade conhecida como Morro de São Roque – próximo à Igreja do mesmo nome no alto da colina existente ali.

Desde cedo assimilou o apelido de DACRÉO, é uma corruptela do apelido de sua Mãe Dona Creoula (apesar de muito branca, com Jorge, filho da Creoula) diferenciando-se dos demais Jorges que existiam no São Roque.

Atualmente, mora em Vila Isabel e, como ele mesmo diz em uma de suas músicas: _ “Nasci em Vila Isabel, aos vinte nove de idade, num caminhão de mudanças, mudei minha identidade...... sou filho adotivo da Vila e meu coração da Boemia, cansado de tantas mudanças há muito na Vila vivia”.

Estudou na Escola Portugal – na Quinta da Boa Vista – e no mesmo bairro de São Cristóvão, ingressou no Colégio Pedro II, sendo admitido diretamente da Escola Pública, cumprindo o determinado no emblema da escola Pública, onde no 5º ano lia-se na manga do uniforme dos alunos um “A” circundado por um “G” (que significava “Admissão ao Ginásio”, inexistente nos dias atuais).

Aos 10 anos escreveu a seu primeiro poema, onde reclamava da ignorância dos mais velhos sobre as atitudes dos jovens, do qual seu Pai – após lê-lo e impressionar-se – mandou publicar em jornais daquela época (em 1958).

Aos 13 anos, após inúmeras tentativas frustradas de romance, DACRÉO começou sua obra literária com poemas, narrativas, contos, odes e poesias onde a maioria possuía um cunho bem humorado. Humor que, até hoje, é sua maior característica entre os amigos mais próximos.

Com o passar do tempo – já mais maduro – passou a escrever poemas sobre os relacionamentos conturbados – ou não – entre amantes, onde, em alguns casos, participa por empatia ou autoria.

É autor de várias letras de sambas em parcerias importantes como Nei Lopes (“A Loura Luzia”), Canário (mais de 30 músicas em comum), Zeppa (“Tem gente que esquece de Deus”), Valmir Vignoli (“Letargia”) e outras menos famosas.

Hoje aos 67 anos, amante da natureza, dos pássaros e animais sua meta é a publicação do seu primeiro livro de poesias e pensamentos. O título da referida obra procura exaltar suas preferências e, em “Cervejas, Queijos, Pássaros e Poesias”, as mulheres estão intrinsecamente registradas nessas linhas...........é lógico. (DACRÉO)
Selos de reconhecimento
Autor do Clube de Autores
Autor publicou o seu primeiro livro no Clube de Autores
Autor virou assunto
Autor teve uma notícia publicada sobre ele
Biografia bem definida
Sua página biográfica tem foto e um texto com pelo menos 300 caracteres sobre o autor
Todas as publicações desse autor
Impresso
de R$ 45,79
R$ 39,73
Ebook
R$ 21,53