A bacia de Proust (e outros textos)
Categorias
Teatro, Literatura Nacional, Drama, Artes Cênicas
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 879 vezes desde 29/03/2019
Versão
impressa
R$ 41,57
Valor total:
R$ 41,57
Versão
ebook
R$ 11,84
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 41,57
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

As peças que se encontram reunidas nesta proposta de publicação lidam com temas bastante contemporâneos e que causam muito debate em torno de alguns temas tabus e que dialogam com a pós-modernidade. Aqui se reúnem textos que já foram encenados (A BACIA DE PROUST), premiados (ENTREGA PARA JEZEBEL) entre outros que já foram lidos (Leituras dramáticas) em cidades como São Paulo, Brasília, Goiânia e Teresina. A peça A BACIA DE PROUST é um solo dramático de um homossexual que precisa realizar banhos de assento para curar suas feridas emocionais. Este ritual o coloca em constante questionamento e rememoração de suas atitudes passadas e o envolvimento que tem com um cara que o visita regularmente. Os banhos se tornam uma constante em sua vida e estes momentos de preparação do banho promovem profundo questionamento de sua sexualidade; suas angústias e seu passado lúdico. A peça ENTREGA PARA JEZEBEL tem como protagonista travesti que enfrenta todos os problemas da sociedade e da cidade que a engole viva. Ainda por cima, cuida de Eduardo, menino abandonado pela melhor amiga, cuja tutoria fica ao cargo de Jezebel. Os conflitos desta travesti que ora se vê nas ruas, ora se vê nas funções da maternidade são o leitmotiv desta peça que foi criada para a empregabilidade de artistas trans no cenário teatral local. A peça O CADERNO VERMELHO DE ATOS IMPUROS trata de uma história de um duplo (com leva inspiração na vida de Pasolinni). O diálogo é travado entre aquele que seria Pasolini e o outro o seu último amante e algoz. A peça se estrutura numa ação dinâmica e psicológica, tentando enveredar pelo caminho dos amantes e sua trágica história. A peça ONDE ESTÁ A REVOLUÇÃO é uma sátira ao estado acirrado de opiniões sobre a questão das ideologias e crenças políticas. Está para um pastiche da obra de Beckett, Esperando Godot, na qual dois malucos tentam criar uma revolução dos comportamentos. A peça DOROTHY tematiza a questão do estupro de vulnerável, um monólogo forte e visceral sobre a vida de uma mulher que viveu este drama.

Características
ISBN 978-85-909813-9-8
Número de páginas 211
Edição 1 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Polen
Fale com o autor
Roberto Muniz Dias

Roberto Muniz Dias é professor, romancista, dramaturgo e mestre em Literatura pela UNB (Universidade de Brasília). Formado em Letras Português/ Inglês e Direito pela UESPI (Universidade Estadual do Piauí). Foi premiado pela Fundação Monsenhor Chaves com menção honrosa pela obra “Adeus Aleto”. Publicou ainda “Um Buquê Improvisado”, “O príncipe, o mocinho ou o herói podem ser gays”; Errorragia: contos, crônicas e inseguranças; Urânios; A teia de germano; Uma cama quebrada (teatro); Trilogia do desejo (coletânea de romances) e recentemente foi premiado pela FCP (Fundação cultural do Pará) com o texto teatral As divinas mãos de Adam como melhor texto teatral de 2015. Lançou recentemente o livro Experientia – coletânea de peças de teatro. Ainda recebeu os prêmios 16º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade de 2016; 3º Prêmio educando para o respeito à diversidade sexual e Prêmio beijo livre direitos humanos 2017, todos na área de Educação.

Nome do link: www.robertomunizdias.com

Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários