Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
ANA TERRA
De Sem Terra à Top-Model
Categorias
Drama, Ficção e Romance, American
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2353 vezes desde 04/12/2016
Versão
impressa
R$ 36,31
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 36,31
Versão
ebook
R$ 18,30
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 36,31
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

A aventura.

Sentada na sacada de seu apartamento 13º andar, de frente para praia de Copacabana, vendo a beleza do mar.

Ana faz um exame mental da sua vida a difícil trajetória para chegar ali.

Aos 14 anos de idade menina moça, magrela medindo 1,74 de altura loira e com 60 kg , olhos azuis, sorriso simpático, tornou se integrante do movimento dos sem- terra acompanhando seus pais na luta por um pedaço de chão, onde viveriam e produziriam seu próprio sustento.

Tudo começou quando seu pai foi convidado a liderar um grupo de sem terras, em março de 1995, eles não sabiam a guerra que enfrentariam para obter justiça e preservar seus direitos.

Ela muito estudiosa terminando o ensino médio, tornou - se uma espécie de secretária ajudando redigir atas de todos os movimentos e reuniões do grupo.

Na cidade parava com sua avó materna dona Eleonor, num casebre simples mas bem cuidado.

No acampamento dividia a barraca de lonas pretas que era moradia de seus pais.

Entre as atividades desenvolvidas por ela havia também a de dar aulas as crianças do acampamento por essa razão se tornou a professora Aninha.

Num desses dias de aula notou que Lili uma menina de 8 anos estava estranha meio que se escondendo chorosa, e ela sempre fora muito alegre, o que estaria acontecendo?

Deixou a lição no quadro e pegou Lili pela mão dizendo venha ao banheiro comigo.

Nas latrinas improvisadas longe do acampamento, longe de olhos e ouvidos indiscretos, Ana pode conversar com sua aluna sem ser perturbada, começou dizendo:

- Lili você pode confiar na professora o que está acontecendo, vejo você triste e assustada.

A menina começou chorar e disse:

- Eu estou com medo, mas ninguém pode me ajudar.

- Me conte primeiro porquê e de quem você está com medo.

- Tenho medo do Bruxo Mefisto se eu não fizer umas coisas com meu tio ele vai me pegar e fazer sopa no seu caldeirão e matar meus pais.

Ana começou a entender o problema, sua aluna estava sendo pressionada assustada e sofrendo abuso de ordem sexual pelo jeito.

- Minha querida eu vou ajudar mas me conta direito essa história como começou.

- Um dia tive um sonho e contei para mamãe e meu tio Felix estava junto, sonhei com um bruxo muito mau que pegava crianças e cozinhava num caldeirão, Mamãe disse que era só um sonho ruim.

Mas meu tio me disse que era preciso fazer uns trabalhos mágicos para afastar esse bruxo que é Mefisto filho de Belzebu, e que ele mata os pais e cozinha as crianças.

Daí ele me levou para o mato, para fazer esses trabalhos mágicos que afastam o bruxo e protegem minha casa.

No começo dos trabalhos eu tinha que ficar de calcinha fazer posses para foto e tomar banho no riacho enquanto ele filmava.

Outro dia ele disse que seria um trabalho mais forte levou cachorros e me tirou toda a roupa passou um caldo de carne me deitou num tapete e os cachorros me lambiam enquanto ele fazia fotos, depois tomei banho no riacho e viemos embora.

Mas ontem de tardinha foi muito ruim mesmo, ele repetiu umas palavras diferentes e me mandou lamber o pirulito dele, foi muito nojento eu não queria, mas ele me disse que se não fizesse e ficasse quietinha minha mãe seria morta pelo bruxo essa noite, então eu fiz.

Ana ouviu o relato da menina estarrecida, então a abraçou e disse:

- Eu vou te ajudar como prometi, mas agora enxugue as lágrimas e vamos voltar para aula,

Vou resolver esse problema você não vai mais fazer trabalhos mágicos e nem ter que se preocupar mais com esse bruxo.

Está bem profe eu confio em você.

Voltou com Lili e dispensou os alunos, levou ela para seu barraco e disse:

Deita e descansa um pouco, vou falar com meu pai e já volto.

Encontrou seus pais sentados junto a entrada do acampamento, João e Mara eram líderes estavam sempre rodeado pelo povo.

Ela os cumprimentou:

Boa tarde meu povo eu peço licença para falar com meus pais em particular, e o povo se retirou e então, João perguntou:

- Que houve filha problemas com os alunos desobedientes de novo.

- Não papai algo bem mais grave e preciso contar a vocês dois, porque é caso de polícia.

- João se assustou, me fala filha buliram com você.

Não mas com uma aluna e relatou a seus pais tudo que ouvira de Lili.

Concluiu temos de ir agora na delegacia com ela e a mãe.

João e Mara foram buscar a mãe de Lili explicaram o que aconteceu e ela concordou ir a delegacia e saíram com desculpa de levar a menina no médico, pois estava com febre.

Chegaram na delegacia foram prontamente atendidos pelo delegado Alceu de faria, que se exaltou diante de tamanho abuso e disse:

Vou pessoalmente com mais cinco homens prender esse bandido miserável, foram direto ao fórum da cidade e atendidos pelo juiz levaram o mandado de prisão preventiva para Felix.

Quando chegaram ao acampamento Felix pego de surpresa não conseguiu fugir, em sua barraca foi encontrado muitas fotos e fitas de vídeo de diversas crianças foi preso em fragrante.

Na delegacia interrogado confessou que fazia isso a seis anos tendo passado por vários acampamentos e quando via a possibilidade de ser descoberto mudava de cidade e ia em busca de novos acampamentos fazendo presas fáceis.

A prisão do pedófilo se espalhou pela região e a imprensa destacava a proeza de Ana na defesa de uma criança e então vieram também canais de televisão para entrevista-la.

O COMEÇO DE UMA CARREIRA.

Um dos jornalistas que a entrevistou se chamava Márcio Humell e era também diretor de uma agencia publicitária de modelos profissional e perguntou para Ana:

- Você não gostaria de fazer um buque e tentar a carreira de modelo, você tem perfil.

Ela respondeu não temos condições financeiras para isso.

- Márcio se dispôs a ser seu agente e arcar com as despesas até que ela começasse ganhar dinheiro daí então tiraria valores investidos e percentual para ser empresário dela.

- Então converse com meus pais se eles concordarem, estou disposta a me dedicar a ser modelo.

O jornalista sentou com os pais de Ana explicou como ela poderia se tornar modelo profissional, e que investiria na carreira inicialmente sem custos, só que os pais deveriam mudar se com ela para o Rio de janeiro.

Ele providenciaria tudo inclusive moradia e faria um contrato com os pais de Ana onde seria o empresário responsável pela carreira dela, ela iria começar já trabalhando na agencia dele e depois com certeza fariam contrato com grandes agencias.

Os pais de Ana convencidos de que a filha merecia essa chance, consultaram o advogado que ajudava o movimento, este leu o contrato deu ok e eles assinaram e em 30 dias estavam no Rio com a filha,

Caipiras do sul na cidade maravilhosa.

Tudo era muito lindo e novo ao seu redor, ficaram hospedados numa pensão familiar a pensão de dona Chica, na tijuca.

Se acostumar com a cidade grande não foi muito fácil, mas Dona Chica mostrou grande anfitriã auxiliando os em tudo.

No primeiro ano fez muitos comerciais e dois desfiles para grifes importantes a nível nacional.

Ana fez amigas e amigos ao longo dos trabalhos realizados, mas Sávio fotógrafo da agência a assediava constantemente porém aos 17 anos e envolvida em sua carreira decidiu não ter compromisso amoroso apesar dele ser um gato muito educado e com 23 anos.

Ana lembrava bem como um homem podia ser cruel, sua amiga Aline foi seduzida por um gato chamado Fred, que a abandonou grávida e sem condições de modelar, passando por necessidades.

O safado sumiu no mundo, ela naturalmente ajudou sua amiga financeiramente como faria a uma irmã sua, até que ela pudesse voltar ao trabalho e lhe pagar aos poucos os gastos que tivera, mantendo à durante todo o período crítico.

Quando nasceu Marquinhos claro ela foi convidada pela amiga a ser madrinha.

Ela participava de encontros e festas sociais promovidas pelos amigos sempre acompanhada da mãe ou do pai, e se mantinha afastada de bebidas alcoólicas e todo o tipo de drogas.

No segundo ano de sua carreira as portas se abriram no exterior, trabalhando em Milão, Paris, Nova Yorque , Tóquio e Dubay.

Ganhou em dois anos e quatro meses 3 milhões de dólares.

Sempre se preocupou com o pessoal do movimento sem terra do qual ela foi integrante com seus pais, por isso comprou 500 acres, de terra em Bom Retiro, distrito de Rosário do Sul no rio Grande do sul.

E repartiu entre as 30 famílias que faziam parte do acampamento de seus pais, mandou fazer casas e um posto médico.

Formando a vila rural, que levou seu nome Ana Terra, através de sua empresa de investimentos agrícolas Ana Terra Ltda.

Fez um acordo com os assentados que teriam 2 anos para trabalhar sem se preocupar em pagar, findo os dois anos, passariam a pagar 400 reais mensais e 10% de toda as safras colhidas durante 15 anos.

Depois receberiam as escrituras definitiva das propriedades, pois aprendeu que não deve dar simplesmente o peixe, mas deve se ensinar a pescar.

Os assentados teriam todo o apoio e suporte de sua empresa e cooperativa e assim todos sairiam ganhando.

Investiu em torno de um milhão e oitocentos mil, mas tinha certeza que havia feito um bom investimento a longo prazo, pois sabia que aquele povo simples era por demais trabalhador e honesto para cumprir o acordado.

Sua vida era voltada para o trabalho e sempre que tinha um tempinho participava de cultos na comunidade Rocha Eterna com seus pais, era agradecida a Deus pelo sucesso que havia alcançado com certeza por dádiva divina.

Fez muitos amigos e amigas, entre elas Aline , Mariza , Luana, e Léia, se bem que sabiam que Léia era falsa e sempre que podia trapaceava as colegas para ficar com os melhores trabalhos.

Mas foi Léia que apresentou lhe Érico Bonine, jovem empresário de 21 anos diretor da Bioquímica e laboratório Vita-Gold Fármaco e derivados.

E estava gostando do flerte que vinha rolando entre eles, Érico era bonito 1,78 de altura, uns 70 kg , olhos azuis e cabelos ruivos, cheio de charme e muito educado.

Se sentia atraída por ele e ele parecia corresponder, mas por enquanto eram bons amigos se conhecendo.

Também tinha que lidar com Sávio que não dava trégua, mandando mensagens, telefonando e abertamente dando em cima dela.

Foram se hospedar no Resort Hotel praia de belas, ela ficou na suíte 402 e Sávio na 390, iriam fotografar para agência nas piscinas do Resort .

Sávio a convidou para jantar no restaurante do Resort ela aceitou queria ver se conseguia dar um basta ao assédio dele que estava se tornando maçante.

- Boa noite Ana você está linda como sempre.

- Boa noite e você elegante como sempre.

A conversa foi descontraída girou em torno do mundo da moda no qual trabalhavam.

Mas Sávio pergunta como estava o projeto agrícola de assentamento.

Ana não escondeu a satisfação de ver tudo dando certo e que a inauguração seria na segunda dia 5 de março e o convidou para participar.

Ele respondeu:

- Claro que irei não perderia essa festa por nada nesse mundo.

Então contrato você como fotógrafo oficial ok.

- Muito bem, estamos acertados.

Me permite mudar de assunto, você sabe que estou muito afim de você, quando vai me dar uma chance?

Ela meio constrangida respondeu:

- Somos amigos e confesso que namoraria com você se tivesse amor por você, mas tenho apenas um carinho muito grande por você, não quero misturar as coisas, amizade para mim é muito importante.

- Lamento Ana o carinho é bom, mas estou mesmo em busca do verdadeiro amor.

- Sinto não poder corresponder meu amigo, mas vejo que muitas mulheres querem um relacionamento com você, porque não tenta.

Ana notou um brilho estranho no olhar de Sávio e pensou:

- será que está usando drogas?

O jantar estava bom a companhia de Sávio sempre foi agradável, mas decidiu recolher – se uma vez que não podia evitar o cortejo indesejável.

Eram 22:30 quando entrou em sua suíte o celular tocou, atendeu era Eric.

-Oi Ana estou hospedado na suíte 401, gostaria de convidar você para tomar um drink comigo, vamos conversar um pouco.

Ela pensou, porque não !

– Disse em três minutos estarei ai ok.

O coração se agitou, ela pensou talvez ele me peça em namoro.

Bateu a porta e ele at

Características
Número de páginas 105
Edição 1 (2016)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Carlos Augusto Prates de Menezes

BACHAREL EM TEOLOGIA

PASTOR E ESCRITOR

Biography

Nascido na cidade de Rosário do Sul,no Estado do Rio grande Do Sul na fronteira oeste em1966, ficou orfão de pai e mãe quando tinha 16 anos (1982).

casou -se com Andrea Dias, quando tinha 21 anos (1987) em Bagé,Rs.

Morou em Rosário, Alegrete ,Santa Maria,Bagé,livramento,são Leopoldo,Portão do sul,

Praia Grande, Sc ,toledo,PR, Primeiro de Maio.PR, e atualmente em União da Vitória ,PR.

completou 28 anos de feliz matrimônio e tem dois filhos ,Hebenéser (21 anos )e Gileade ( 15 anos)

Pastor evangélico a 26 anos e formado, Bacheral em teologia pela Universidade Da Bíblia (curso livre)

sempre sonhador gosta de escrever e ler ,sobre tudo ,mas especialmente ficção e romance

http://carlosaugustoprates.blogspot.com.br/: http://carlosaugustoprates.blogspot.com.br/

https://www.facebook.com/: https://www.facebook.com/

Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 34,16
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 37,65
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 28,70
Impresso
R$ 45,77
Impresso
R$ 39,75
Impresso
R$ 55,50
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 38,93
Ebook
R$ 12,92
Impresso
R$ 32,92
Impresso
R$ 31,90
Ebook
R$ 14,36
Impresso
R$ 28,24
Comentários
0 comentários