AS CRÔNICAS DO BARRO PRETO
FASE I - SITE BARROPRETONET & FASE II - NEW YORK
Categorias
Geografia E Historia, Política Pública, Política Cultural, Democracia, Ciências Humanas E Sociais, Ciência Política
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 53 vezes desde 14/09/2020
Versão
impressa
R$ 54,41
Coloração
Valor total:
R$ 54,41
Versão
ebook
R$ 27,98
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 54,41
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Ao ver aquela FONTE LUMINOSA DESTRUÍDA, transformada em "pasto" para presépios, em "taça" para bêbados semelhantes aos próprios autores daquela aberração, meu "menino-cidadão" gritou, esbravejou, denunciou e sentiu que poderia e deveria fazer o mesmo para com todo aquele que não respeitasse seu Povo, fosse ele quem fosse. - E a melhor forma de denunciá-los seria através de crônicas. Seria através de "AS CRÔNICAS DO BARRO PRETO".

Características
Número de páginas 286
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Tipo de papel Offset 90g
Fale com o autor
J. C. LEÃO

José Lopes Viana é técnico em Telecomunicações, aposentado, artesão produtor de brinquedos de madeira, desenhista, pintor, professor, escritor e revisor/editor de livros..

O livro "MINHA TERRA" escrito por seu pai, Ary Lopes Viana, é um dos livros que ele editou. Outros, em dois volumes, intitulados "AS CRÔNICAS DO BARRO PRETO", de autoria de J. C. Leão, já tem seu Volume 1 publicado e o Volume 2 encontra-se em processo final de revisão/edição.

Já publicou um livro de literatura infanto-juvenil, intitulado "AS AVENTURAS DE OSXI" e está em processo final da sua continuação, intitulada "O RETORNO DE OSXI".

Natural de Conceição da Aparecida - MG, mudou-se ainda criança, com sua família para Belo Horizonte, onde viveu a maior parte de sua vida. Foi funcionário de Furnas - Centrais Elétricas e da antiga Telemig, Exerceu, na escola do SESI-MG, em Belo Horizonte, a atividade de professor de telefonia.

Mas, seu sonho sempre foi ter uma pequena fábrica de brinquedos de madeira e, em 1974, quando ainda trabalhava na Telemig, criou a ZEPETTO . O nome surgiu da junção do apelido do seu criador, “ZÉ”, com o nome do “pai do Pinóquio”, GEPETTO, gerando, então, a marca “ZEPETTO”. Ao se aposentar, investiu na ampliação da pequena “oficina”, ainda em Belo Horizonte, comprando máquinas, ferramentas e matérias-primas.

Em 2008, retornou às origens, ao seu pequeno Barro Preto - apelido de Conceição da Aparecida - trazendo junto a ZEPETTO, onde até hoje produz seus brinquedos de forma artesanal.

Como artesão de brinquedos, partilhou momentos gratificantes e encantadores com a imaginação das crianças que iam até sua oficina. Dalí surgiram seus personagens e suas mirabolantes histórias.

Por utilizar-se da madeira como matéria-prima de sua produção, sempre a considerou sagrada, defendendo o meio-ambiente, como única forma de sobrevivência do ser humano em nossa "pequena nave espacial".

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 41,31
Ebook
R$ 22,60
Comentários
0 comentários