Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
CORPÓREO - SÓCIO - ETÉREO
ENSAIOS PARA ALÉM DA EUTOPIA
Categorias
Corpo, Mente E Espírito, Desenvolvimento Humano, Filosofia, Espiritualidade, Filosofia / Religião, Ética E Filosofia Moral
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 4683 vezes desde 22/12/2013
Versão
ebook
R$ 16,10
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 16,10
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O “CSE – Ensaios para além da Eutopia” pretende ser apenas um “monoblog”, primeiro e único, obra de toda uma vida, um misto de livro e eBook, gráfico e virtual, sintetizando as virtudes de ambos – sério e aproximador; evitando seus pecados mais freqüentes – a pose e a leviandade. Das 147 páginas do eBook, o leitor é logo convocado a imprimir 25 e exercitar na prática o mix dos dois sistemas. O “CSE” acolhe desde minha lira dos 21 anos (1956) até um trecho de meu discurso no cinqüentenário de formatura em Viçosa – MG (2007) – a vida toda, rearrumada e complementada de Set./2010 a Fev./2012.

Também cinquentenária é a proposição (1960) que se constitui na base de todo o CSE: "SE O ESPÍRITO SOBREVIVE, É PARA PROSSEGUIR EM UM CONTÍNUO DESENVOLVIMENTO. SE O SER HUMANO DE FATO MORRE, ENTÃO NADA FAZ SENTIDO. PERSEGUIR NA VIDA PRESENTE O APERFEIÇOAMENTO ESPIRITUAL - OU CONSTITUI A PRÓPRIA RAZÃO DA EXISTÊNCIA DE CADA UM DE NÓS ... OU TANTO FAZ." Desta proposição e da metodologia das três dimensões (os dois primeiros capítulos) segue-se todo o arrazoado da 1ª Parte (ORIGINAL EM SÍNTESE), que aborda o seu tríplice entendimento, a desvalia da Corpórea e da Social em si mesmas, e sua relevância apenas quando ensejam uma evolução dentro da dimensão Etérea.

Toda essa 1ª Parte está focalizada de idoso para idoso, mas a abordagem se expande na 2ª Parte (DIRETRIZES A MODULAR), outros 10 capítulos que exploram alternativas de libertação na mente de todo e qualquer leitor e alternativas comunitárias / familiares / profissionais especificamente para jovens casais - quantitativo ótimo de 50 pares, faixa etária modal dos 30 anos. A interação de afinidades e a triagem sucessiva são previstas nas metrópoles e através das redes da Internet, colimando para as "Comunidades da Terra Sem Mal". A libertação da mente se persegue em (extensas) transcrições contra as três marafonas - o Estado, a Globalização, as Ideologias, e a ela se acrescenta a liberação do tempo, com a redução generalizada da jornada de 8 para 6 horas / dia.

Se o leitor fizer a impressão sugerida inicialmente, ele terá em mãos os três tabelões sobre fruticultura comunitária (os QUADROS 7, 8 e 9), uma aplicação objetiva da modelagem política do “DIP” (Descentralizado, Integrado e Participativo) que dá preferência a formulações intraespaciais em detrimento das fragmentações setorialistas e centralizadoras, hoje dominantes por toda parte. Também duplamente Corpórea e Social, a família se estabiliza em 6 membros e os casamentos se sucedem homogâmico (1 apenas , na mesma idade dos 30 anos e 15 de duração, limitado a 2 filhos) e heterogâmicos (2 a 4 em número, com 15 a 7,5 anos de duração, idades defasadas de 30 anos e sem filhos). Do Social à espiritualização, outras associações como as fenonomias (grupos de até 5 amigos) serão contributivas para resultar nas expectativas do ”respirar / confessar-se /isolar-se / não pensar / esperar”, para a percepção do Etéreo.

A intenção inicial era a de concluir o CSE com as três “semi-licitações”, para que alguns dos leitores assumissem a elaboração de mais três “monoblogs”: 3ª Parte - COMPROVAÇÃO DA IRRELEVÂNCIA CORPÓREA; 4ª Parte – REJEIÇÃO DOS ILUSIONISMOS SOCIAIS; 5ª Parte- ALTERNATIVAS A NÃO ESPERAR PELO ETÉREO. Entretanto, ao final, foi acrescentado o “ADENDO”- mais 10 capítulos, mais 5 QUADROS, muita autocrítica e tréplicas antecipadas a presumíveis críticas, antes mesmo da 1ª edição. Sua convergência se orientou para a concepção de uma ética do MINIMAX, coroando a metodologia do crescimento zero (ZDG na Depleção da natureza, ZPG na População estabilizada e ZIG na Renda apenas sustentada), onde as renúncias são valorizadas, pois não basta nos isentarmos das imputações do doloso, mas também das onipresentes responsabilidades das imputações do culposo: quando se permanece a cultuar e expandir o MAX, outros, muitos outros se vitimizam nas degradações do MINI, e se a responsabilidade é difusa, os vitimados estarão disseminados, mas cada responsável , um dia, se tornará consciente.

Lelio Rodrigues

Brasília, 05/10/2013

Características
ISBN 978-85-916303-0-1
Número de páginas 147
Edição 1 (2013)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Colorido
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
LELIO RODRIGUES

Desde a abertura do “Autêntico, Autocrítico e Espontâneo” antecipei que “a relação autor – leitor não pode perpetuar distanciamentos” e para evitá-lo “eu já inseri no capítulo introdutório um minicurrículo e um tom confessional”. Parece-me que basta. Se o livro interessar, vamos libertá-lo de personalismos autorais.

Tanto assim é que considero cada vez mais autêntico o conceito de “monoblog” adotado , “um livro só, de toda a vida”. Não haverá segundo tomo, nem trilogias. Tampouco se fazem necessários artigos, entrevistas ou badalações.

Tanto assim é que, autocrítico de minha incompetência para pesquisas mais específicas e aprofundadas, eu já transferi para alguns dos leitores a continuidade necessária da 3ª parte - Comprovações da Irrelevância Corpórea, da 4ª parte – Rejeição dos Ilusionismos Sociais e da 5ª parte – Alternativas a não Esperar pelo Etéreo.

Tanto assim é que, espontaneamente, também antecipei no ADENDO a argumentação adicional frente a contestações presumíveis, as “tréplicas antes da 1ª edição”, exatamente para liberar-me desse encargo, depois de editado.

Permito-me portanto sair de cena. Não tenho site, não aderi a nenhuma rede social da Internet, não divulgo meu e-mail, farei bem pouca divulgação em torno do Corpóreo – Sócio – Etéreo. Se a obra, por si mesma, for útil e oportuna, ela se bastará. E os leitores saberão dispensar-me.

Lelio Rodrigues

(desde 08/10/2013, mas inserido apenas em 12/05/2014)

Comentários
0 comentários