FELIZES DIAS DO PAI, FELIZES DIAS DOS FILHOS
Categorias
Paternidade, Pais E Adultos Crianças, Envelhecimento, Jovens e Adolescentes, Família E Relacionamentos, Educação de Filhos
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 22 vezes desde 24/07/2020
Versão
impressa
R$ 40,28
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 40,28
Versão
ebook
R$ 22,60
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 40,28
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Felizes os dias do pai que torna felizes os dias dos seus filhos. Mas nunca esqueçam que a roda da vida gira e a missão do pai hoje será a missão do filho amanhã.

Se eu pudesse ter um único desejo, seria para vocês repassarem esse amor. Afinal, não há muito mais na vida do que isso.

Sou afortunado. Meu pai não me causou nenhum dano. Sua mão estava sempre no meu ombro quando eu precisava, e ele trabalhou duro para não visitar os pecados de seu pai na vida de seu filho.

Todos nós ainda o amamos, respeitamos e o honramos como pai. Ele nunca desistiu quando os horizontes da vida ainda se estendiam a distâncias desconhecidas perante ele.

O lugar do coração de um pai é no coração de seu filho.

Se olharem para o rosto da natureza, ou as obras do homem, verão tudo diferente do que tão amplamente diferentes lhes parecem...

Quem conhece as tristezas do outro saberá perdoar.

Às vezes, transbordando em lágrimas, somos obrigados a deixar o poder subjugador do amor.

Com o coração partido, devo dizer que muitas vezes fiquei sozinho e não preciso descrever minha dor. Direi apenas que com amargura amaldiçoei aqueles que se sentam em seus lugares seguros e fazem do seu esporte a aflição humana, os mais inferiores dos homens.

Não é de surpreender... São homens, e possuem apenas o poder e a sabedoria dos homens.

Minhas dores foram acalmadas, e dias, uma vez dias de lágrimas e tristezas indizíveis, agora são dias de calma e dever alegre. Sou um homem novo, sou pai.

Os lamentos serão mais baixos e mais frequentemente suportados quando agradecemos pelo deserto que atravessamos.

Os bons homens e mulheres em todos os lugares percebem que o mundo que construímos é também o mundo no qual falhamos, que nossos sonhos mais brilhantes e nossos maiores medos espreitam no horizonte. Conscientes de ambos, ficamos mudos, impulsionados por nossas esperanças, silenciados por nossas dúvidas.

Ser pai é sempre uma fonte de força para minhas virtudes. Não vale a pena viver infeliz, não devemos nos agarrar a esse fim e resolvermos morrer com ele ou sofrer com ele quaisquer que sejam os destinos decretados pelo mais sábio dos pais.

Mas é com a nitidez da visão de ontem que vejo agora o que está diante dos meus olhos, como se fosse ainda a visão do dia em que meu pai se separou de nós.

Lágrimas de tristeza até pude ver caindo de muitos olhos...

A alma negra está alojada em qual cortiço medroso? Temerosa e bela, como a morte em forma de uma estátua de ébano.

Deixando incontáveis todas as coisas boas que foram ditas, Deus conhece apenas o coração. E, como vocês um dia saberão, ao conseguir a felicidade, também criarão a tristeza.

Na esperança de um novo amanhecer devemos iluminar a nossa escuridão.

Alguns como nós vagaram entre os passeios labirínticos deste vasto terreno de prazer, enquanto outros, já cansados ou satisfeitos, voltaram cedo para suas casas, de onde jamais deveriam ter saído...

Tudo ao lado do homem parece alcançar a máxima perfeição. Só o homem parece algo incompleto e defeituoso. Quão insatisfatória, inoperante e inacabada é a sua vida. Para ele não pode haver verdadeira felicidade, sem uma certa segurança da imortalidade.

Para amar um ao outro, precisamos apenas nos conhecer. A ignorância gera suspeita, antipatia ou ódio, e assim vivemos como estranhos e inimigos, quando o conhecimento teria levado à intimidade e à amizade.

A amizade é um sentimento digno de naturezas divinas, e é o verdadeiro adoçante do copo da vida.

Características
Número de páginas 37
Edição 1 (2020)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g
ADEILSON NOGUEIRA

ADEILSON SANTANA NOGUEIRA — Nascido em Estância-SE, em 30/06/1969, filho de Francisco de Carvalho Nogueira (I.M.) e de Maria Aldeiza Santana Nogueira, desde cedo apresentou interesse pela literatura e pela poesia, tanto é assim que, aos 11 já escrevia os primeiros poemas, com premiação em concurso de poesia no Colégio Costa e Silva, em Aracaju, cuja temática era a discriminação racial, também obtendo premiações na cidade de Lagarto, no Colégio Polivalente. Aos 10 anos, recebeu das mãos do Prefeito Heráclito Rollemberg, em Aracaju, o Certificado que lhe concedia o título de secretário mirim da educação. Em 1987 teve poemas publicados em dois livros no Rio de Janeiro: Brasil Literário (Crisalis Editora) e Poesia Brasileira (Shogun Editora e Arte), além de diversos escritos para o Jornal de Campos, Styllo, Primo Notícias, em Tobias Barreto, Folha da Jhô, em Lagarto, e Jornal da Manhã e Jornal da Cidade, em Aracaju. Jornalista, Radialista, Bacharel em Direito, Escritor, Tutor em EAD e Docente do Ensino Superior, possui mais de 1.000 títulos publicados. Em 1987, a convite, fez um programa direcionado à cultura na Rádio Progresso de Lagarto, fato que o estimulou a fazer o curso de radialista na cidade de Itabuna-BA, tendo passado pela Rádio Progresso, Rádio Clube de Itapicuru, Rádio Luandê FM e Rádio Imperatriz (atual Ilha AM). Em 1999, ocupava o cargo de assessor de Comunicação na Prefeitura de Tobias Barreto, onde coordenou o Jornal Cidadania pra valer, de publicação mensal, na gestão do então prefeito Diógenes Almeida, fazendo parte, também, do colegiado das Políticas Educacionais. Professor desde 1988, prestou serviços à educação nos Colégios Monsenhor Basilíscio Raposo, Colégio Nsª Srª Menina, Ranchinho Feliz, Educandário Nsª Srª do Carmo, Colégio Cenecista Arnaldo Dantas, na Barra dos Coqueiros, além do SENAC e do CENAPE – curso pré-vestibular. Sempre que possível, levou oficiais da polícia militar à sala de aula para darem palestras contra o uso de entorpecentes. Em 1992, viajou para o Japão, onde trabalhou na Mitsubishi Motors Corporation, sediada na cidade de Nagoya, retornando em 1994. Primeiro representante da Anistia internacional em Sergipe, foi graças ao seu esforço decisivo junto ao Ministério da Justiça do Governo Peruano, sob a ditadura Fujimori, que a Anistia conseguiu a liberdade para um outro professor, injustamente encarcerado por comentar questões políticas em sala de aula. No Brasil e no Japão comandou greves, neste último, conheceu de perto a perseguição promovida pelos sindicatos patronais ao proletariado.

De 2005 a 2012, ocupou o cargo de Assessor Jurídico na Prefeitura Municipal de Tobias Barreto, de onde presidiu a comissão responsável pelo 2º Concurso Público na gestão da então prefeita Marly Barreto, além de colaborar na Lei que criou o Plano Diretor, entre tantas outras. Membro da Academia Tobiense de Letras e Artes – ATLAS, da qual é o atual presidente (biênio 2015-2017).

Numismata desde os seis anos de idade, suas 10 palestras sobre coleção de moedas antigas, registradas em DVD’s, viajaram pelos quatro cantos do País, para os Estados Unidos e Europa, tendo seu nome sempre lembrado nos encontros de colecionadores por todo o País.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 50,59
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 51,15
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 40,28
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 42,20
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 56,19
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 47,64
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 90,65
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 44,68
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 42,44
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 40,28
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 53,07
Ebook
R$ 22,60
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários