Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
O Enigma de Suzana
e outras histórias
Categorias
Biografia e Testemunho, Humor, Não Ficção, Família, Paródias, Piadas E Charadas
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2060 vezes desde 23/02/2016
Versão
impressa
R$ 53,93
Valor total:
R$ 53,93
Valor total:
R$ 53,93
Sinopse

Quando esperava os trâmites finais para curtir sua aposentadoria, viajar em um eterno fazer nada, a vida, com o seu péssimo humor, lhe deu de presente um Parkinson, com todos os assessórios.

E antes de colocar a bermuda e de preparar as varas de pescar, acomodar na mochila os seus sonhos tratou de conhecer este sócio que lhe trouxe, para começar, um terremoto particular.

Enveredando atrás de qualquer coisa que lhe desse uma qualidade de vida melhor, tomou remédios caseiros, enfrentou filas para receber passes, procurou com os neurologistas uma saída para esta encrenca, fez tricô, rezou novena, tomou remédios que lhe davam alucinações, enfim, como nada dava certo passou a prestar atenção no mal que o pegava de manhã e o fazia tremer até quando o sono chegasse.

Inventou mil maneiras de enganar o Parkinson e para completar o tempo perdido, passou a escrever, contando casos que passaram em sua vida atribulada. E como tinha casos.

Aqui vão algumas passagens de sua vida.

Reginaldo foi estivador, engraxate, coroinha, hippie, bancário, instrutor de guerrilha, vendedor, gerente de multinacionais, indigenista, dono de restaurantes, garimpeiro, recebeu título de Cidadão, guia do Hotel J.Kennedy na Ilha do Bananal, fundador de revistas, mergulhador, editor de jornal, pescador profissional, madeireiro, jornalista, assessor parlamentar, diretor presidente de órgão municipal da cultura, diretor de comunicações da Câmara Municipal de Vitória, assessor de comunicação na Delegacia do Trabalho, no Porto de Vitória, recebeu outro título, desta vez pela Assembleia Legislativa uma comenda. Pai , Avô e hoje, contador de casos.

PS: A propósito, hoje, eu e o Parkinson somos amigos.

Reginaldo Horta Azevedo

[email protected]

Características
Número de páginas 167
Edição 1 (2016)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Reginaldo Horta Azevedo

Reginaldo Horta Azevedo é mineiro e hoje mora na capital do Espírito Santo. Jornalista formado pela Universidade Católica de Belo Horizonte. Quando esperava os trâmites finais para curtir sua aposentadoria, viajar em um eterno fazer nada, a vida, com o seu péssimo humor, lhe deu de presente um Parkinson, com todos os assessórios.

E antes de colocar a bermuda e de preparar as varas de pescar, acomodar na mochila os seus sonhos tratou de conhecer este sócio que lhe trouxe, para começar, um terremoto particular.

Enveredando atrás de qualquer coisa que lhe desse uma qualidade de vida melhor, tomou remédios caseiros, enfrentou filas para receber passes, procurou com os neurologistas uma saída para esta encrenca, fez tricô, rezou novena, tomou remédios que lhe davam alucinações, enfim, como nada dava certo passou a prestar atenção no mal que o pegava de manhã e o fazia tremer até quando o sono chegasse.

Inventou mil maneiras de enganar o Parkinson e para completar o tempo perdido, passou a escrever, contando casos que passaram em sua vida atribulada. E como tinha casos.

Aqui vão algumas passagens de sua vida.

Reginaldo foi estivador, engraxate, coroinha, hippie, bancário, instrutor de guerrilha, vendedor, gerente de multinacionais, indigenista, dono de restaurantes, garimpeiro, recebeu título de Cidadão, guia do Hotel J.Kennedy na Ilha do Bananal, fundador de revistas, mergulhador, editor de jornal, pescador profissional, madeireiro, jornalista, assessor parlamentar, diretor presidente de órgão municipal da cultura, diretor de comunicações da Câmara Municipal de Vitória, assessor de comunicação na Delegacia do Trabalho, no Porto de Vitória, recebeu outro título, desta vez pela Assembleia Legislativa uma comenda. Pai , Avô e hoje, contador de casos.

PS: A propósito, hoje, eu e o Parkinson somos amigos.

Reginaldo Horta Azevedo

[email protected]

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 45,07
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 49,19
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 42,60
Ebook
R$ 23,68
Impresso
R$ 54,10
Ebook
R$ 33,37
Impresso
R$ 41,69
Ebook
R$ 33,37
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 33,03
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 47,16
Ebook
R$ 17,22
Ebook
R$ 19,37
Impresso
R$ 37,80
Ebook
R$ 16,14
Impresso
R$ 34,98
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 41,11
Ebook
R$ 11,84
Impresso
R$ 30,84
Ebook
R$ 12,92
Impresso
R$ 38,94
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 49,99
Ebook
R$ 14,99
Impresso
R$ 63,80
Ebook
R$ 44,02
Comentários
1 comentários
Samuel Marini
Terça | 23.02.2016 às 21h02
Olá Reginaldo, tudo bem? Faço serviço de conversão epub, solicitação de ISBN, providência de ficha catalográfica, revisão, book trailer, e outros.. Caso tenha interesse, fale comigo. Meu site - www.artesam.com - e-mail: [email protected] - página no facebook: www.facebook.com/artesambr