Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
O grande grimório do Papa Honório
Adaptado por Mago Sidrak Yan
Categorias
Ocultismo, Estudo De Magia, Esoterismo, Religião, Não Ficção, Corpo, Mente E Espírito
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2439 vezes desde 01/10/2018
Versão
impressa
R$ 51,47
Acabamento
Valor total:
R$ 51,47
Versão
ebook
R$ 24,75
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 51,47
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Obra impressa em folha de tamanho A4 - a única completa de verdade.

Obra de ocultismo manuscrita pelo papa mais controverso do Vaticano.

À Sagrada Congregação Apostólica foram dadas as chaves do Reino dos Céus, por meio dessas palavras dirigidas a São Pedro por Jesus Cristo: “Eu te dou as chaves do Reino dos Céus. Só a ti dou o poder de comandar o Príncipe das Trevas e os Anjos serviçais que o obedecem com honra.” E estas outras palavras de Jesus Cristo: “Tu tens que obedecer ao Senhor teu Deus, e a Ele apenas servir.”

Assim, com essas palavras o Chefe da Igreja tornou-se também o Chefe do Inferno.

Mas, até o momento desta Constituição, somente o Pontífice Regente possuía a virtude e o poder de comandar os espíritos e invocá-los. Agora sua Santidade Honório III, tendo sido abrandado por suas atividades pastorais, decidiu amavelmente transmitir os métodos e a habilidade de controlar e invocar os espíritos aos seus irmãos em Jesus Cristo, os reverenciados, e ele acrescentou as conjurações necessárias para isso; e tudo poderá ser encontrado em nossa Bula, como se segue.

Características
ISBN 978-85-920539-5-6
Número de páginas 153
Edição 1 (2018)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Adaptado por Mago Sidrak Yan

Eu sou editor de livros de magia, aventura, romance e outras categorias literárias.

Comentários
0 comentários