Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Desejos de Ana
Uma belissima história de amor.
Categorias
Família E Relacionamentos, Poesia, Amizade, Amor E Romance, Maternidade
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 4189 vezes desde 05/11/2014
Versão
impressa
R$ 41,77
Valor total:
R$ 41,77
Versão
ebook
R$ 22,60
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 41,77
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

A autora que vos fala nasceu em uma família cuja origem tanto paterna quanto materna são de imigrantes italianos. Sou bisneta de italianos natos, da cidade de Nápoles, uma das principais cidades ao Sul da Itália. Fundada no século VIII a.C.

Minha família não tem nenhum registro da chegada de meus ancestrais ao Brasil, tudo o que sabemos a respeito de nossa linhagem é o que ouvimos de minha avó materna, uma pequenina senhorinha que apesar de sua frágil estatura física, após a morte de meu avô que partiu acometido por uma doença chamada tifo, a deixou com duas meninas e cinco meninos, todos menores, além do caçula que era uma criança especial, minha avozinha se mostrou bravamente corajosa na criação dos oito filhos.

Ela se trajava como uma perfeita camponesa italiana, apesar de ter nascido no Brasil e jamais ter conhecido a Itália, acredito que tenha carregado os hábitos de seus pais que após sua chegada, assim como a maioria dos imigrantes italianos, conservaram suas tradições e os mesmos hábitos de sua terra natal.

Diante de todas as histórias que a ouvia contardurante toda a minha infância, histórias de vários romances, os quais muitos dos casais que se conheceram nas colônias, terminaram por fazer suas juras de amor eterno ajoelhados diante do altar nas pequenas capelas das fazendas,todo esse romantismo italiano fez nascer em mim um carinho especial pela Itália e por sua gente festeira, gente que cativou o nosso país com seu aspecto sadio e aberto de falar alto com gesticulações e e generosas declarações de amizade. Trouxeram-nos suas maravilhas gastronômicas criando em nós o hábito de apreciar uma bela pasta aos domingos.

Uma casa italiana é sempre aconchegante e acolhedora, com sua mesa sempre farta, jamais uma visita se retira antes que se sinta saciado com tantas delícias oferecidas.

Não posso afirmar que todas as famílias italianas compartilhem desse gentil acolhimento, mas, as casas conhecidas por mim me davam a impressão de eu estar em minha própria casa. Na de minha avó, jamais se preparou uma refeição apenas para a família, sempre havia uma grande quantidade de comida porque fatalmente chegaria mais alguém para compartilhar de sua mesa. São momentos que eu jamais vou me esquecer.

Em muitos almoços com minha avó e meus tios maternos, os quais eu sempre estava presente, nos juntávamos a tantos outros parentes e também vários agregados que gostavam de falar todos ao mesmo tempo, como a maioria dos italianos falam em tom elevado, era dificil entender alguma coisa naquele burburinho, quem estivesse de fora até podria imaginar que se tratava de uma bela discussão em família.

Nem sempre nossa mesa estava diversificada de pratos, mas, aquelas pessoas amigas e parentes que aos poucos iam se achegando, transformavam um simples almoço de domingo em uma verdadeira festa. Ali se falava de tudo, fofocava-se muito, se ria e por fim se cantava fraguimentos errados de músicas italianas.

Infelizmente chega o dia em que tudo se acaba, Deus nos leva as pessoas mais queridas, as quais nos deixam marcas profundas e uma eterna saudade.

Hoje, esses almoços já não acontecem mais, não existe mais a casa da vó, apenas em nossa lembrança revivemos todo aquele barulho, risos, cantoria, aquele cheirinho de comida boa que vinha da cozinha, muitos pratos se transando sobre a mesa quando alguém dizia em voz bem alta, vamos comer. Depois de tudo nós tínhamos vontade de chorar ao ver no que havia se transformado a cozinha da casa da vó, a pia parecida de restaurante em dia de caos, mas todos se juntavam para deixa-la como nova, um brinco, como dizia a avozinha. As tradições se perderam no decorrer do tempo e as pessoas, devido ao ritmo de vida urbana, acabaram por se afastarem.

É por essas belas lembranças, que decidi escrever este livro, para que eu jamais venha a me esquecer de todos esses belíssimos momentos os quais se tornaram parte importante para o desenvolvimento de minha personalidade. Ainda que um dia eu venha a ter Alzheimer, alguém certamente o lerá para mim me fazendo chorar de saudade de minha vida.

Um trabalho de leitura bastante simples, ilustrado com imagens que nos remetem para dentro da história de um belo e singelo romance fictício entre dois jovens descendentes de imigrantes italianos que chegaram à nova terra na época da colonização em meados do século XIX, por volta do ano de 1870. Do início do século XIX até a década de trinta, estima-se que dez milhões de italianos tenham se transferido para o Brasil.

Giovana e Paolo vieram a se conhecer muitos anos após seus ancestrais terem se instalado no Brasil, para se integrarem na colonização de imigrantes nas fazendas de café. Seus avós, assim como seus pais foram colonos em uma fazenda no interior do Paraná. Quando do nascimento de Giovana, a fazenda em que moravam era de propriedade de um casal cujas famílias também eram de imigrantes italianos, Sr. Carlo e Dna. Antonela, pais de Paolo, alguns anos mais velho que Giovana, haviam recebido essa fazenda como herança dos pais de Sr. Carlo.

Sr. Carlo e Dna. Antonela haviam feito a América, se tornando fazendeiros, Jácomo e Dna. Maria, pais de Giovana, que sempre foram amigos da família de Sr. Carlo, seguiram suas vidas como seus colonos.

Giovana e Paolo que brincavam juntos durante toda sua infância, se distanciaram por alguns anos até que Paolo terminasse seus estudos na capital de São Paulo, onde se tornou doutor em veterinária, graduado, voltou para a fazenda com o intuito de rever seus pais e também para tentar implantar seu projeto de transformar a fazenda cafeeira de seus pais em uma fazenda agropecuária, acreditava que com a criação de gado leiteiro e de corte, sua família teria maior exito nos negócios.

O que Paolo não imaginava, era rever Giovana que havia crescido e se transformado em uma belíssima jovem de olhos claros e cabelos dourados.

O desfecho desse lindo romance deixarei para o final.

Desejo-lhes uma ótima leitura.

Com carinho!

Vera

Características
ISBN 359-22-068-9752-4
Número de páginas 133
Edição 1 (2014)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 41,19
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 39,13
Ebook
R$ 22,60
Comentários
0 comentários