FESTA, FÉ & ARTE
MANIFESTAÇÕES DA CULTURA POPULAR EM PETROLÂNDIA
Código do livro: 417181
Categorias
Saúde E Cura, Feriados, Divertido, Não Ficção, Literatura Nacional, Culinária
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 175 vezes desde 11/01/2022
Versão
impressa
R$ 41,69
Valor total:
R$ 41,69
Versão
ebook
R$ 17,65
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 41,69
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

“Sobre a cultura... que já vem de tempos antigos... a gente num pode deixar ir a baixo. Meu pai era tocador ...por causa dele eu tenho esse dom que Deus me deu de ficar no lugar dele...no pensamento dele. Porque ele tinha esse dom dessa cultura e é uma cultura do tempo antigo, ninguém pode deixar ir a baixo”.

(Zé do Pife, 70 anos)

Danças, ritos, orações, penitências, cantorias, sabores, artes manuais, festas do povo, tudo isso são representações de costumes e crenças, peculiaridades que tornam um grupo diferente dos demais.

Este livro traz interessantes registros da história oral e de pesquisas que permitem ao leitor conhecer e entender as origens das principais manifestações da cultura tradicional de Petrolândia, do Sertão de Pernambuco e, porque não dizer, do Brasil. É uma relíquia.

Características
ISBN 9786500215199
Número de páginas 166
Edição 1 (2022)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Polen

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

PAULA RUBENS

Paula Francinete Rubens de Menezes, veio ao mundo em Petrolândia (PE) pelas mãos da parteira mãe Mocinha.

Cresceu ouvindo histórias na difusora, indo às matinês do cine São Francisco e vendo o trem passar da esquina de sua casa.

Na adolescência missa na matriz, paquera na praça e os primeiros bailes no Grêmio.

Casou, tornou-se bancária. Teve três filhos, morou em terras estranhas, sonhou ser professora. Formou-se Pedagoga pela UFPE.

Aposentada retornou a sua terra natal quando ela já não existia mais. Encontrou cidade nova, vizinhos e costumes diferentes.

Na impossibilidade de mostrar ao seu neto o lugar onde nasceu, escreveu “O jatobá que Virou Mar”.

A saudade e o amor por suas raízes fizeram-na pesquisadora. Apoiada pelos amigos fundou o IGH – Instituto Geográfico e Histórico de Petrolândia, do qual é presidente.

Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários