Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Navegar eu precisei.
Categorias
Não Ficção, Natureza, Conservação Ambiental e Proteção, Oceanos & Mares, Vida Marinha, Poesia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 382 vezes desde 03/09/2020
Versão
impressa
R$ 37,73
Coloração
Valor total:
R$ 37,73
Versão
ebook
R$ 15,07
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 37,73
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Ao ler os poemas deste trabalhador do mar e da poesia, me encantei como se viajasse num pequeno barco de pesca, sentindo nas páginas, o gosto da carne tenra dos frutos do mar e da maresia exalando em cada poesia mesclada de paixão. Essa com sabor do sal, que goteja do mastro e cai fogosamente na pele encardida do próprio autor da biografia descrita em poesias. O livro é extraído do árduo trabalho que é labutar em alto-mar junto ao velho e cansado pai, no sustento daquela família abençoada pelos deuses e santos protetores. Arrancando das redes cheias de cardumes os poemas de sal!

Eu vejo o personagem de um pescador, como um missionário olhando o mar; suas redes e tarrafas pelo lado contrário do binóculo. Nesse ângulo, o pescador consegue vislumbrar naqueles artefatos e, no mar, um jardim encantado com Nossa Senhora dos Navegantes flutuando à sua frente. Os pescadores são uns sonhadores, uns visionários assim como os poetas. São espíritos peregrinos em suas missões, vistos até como vagabundos pela visão imediatista de seus contemporâneos. Mas, serão desses pescadores e poetas que a história vai se lembrar, e seus valores que se perpetuarão na memória das gerações futuras

A obra é feita de sal e sol, essa natureza exuberante que inspirou o autor Rodrigo Marvila a puxar de dentro da alma, como se puxasse das cordas do barco, os versos; composições de sua vida e da extensa luta travada entre os peixes arredios e os sonhos deste menino grande, que traz no coração a sensibilidade artista traçada nas entrelinhas do cotidiano. Ao ler a obra ‘Navegar eu precisei’, sentimos o quão é valorosa sua poesia que sobressaí das pupilas como um canto da sereia, e que a qualquer momento se completa e escreve a história de seu povo. Esse povo maratimba, que mora na colônia com sabor de camarão, e a coragem destemida daqueles homens encardidos em alto mar. Nas entrelinhas avistamos Rodrigo de vestuários surrados, arremessando as redes que, de tão pesadas, pressente que entre os peixes vêm também os sonhos e a poesia arrebatada num pulsar das ondas rebeldes.

Lançar mão da rotina de menino em terra para navegar na incumbência do sustento, é preciso ter coragem. Lançar mão de jogar no papel os poemas quase biográficos que conta sua trajetória, é preciso ter coragem. Ser artista e poeta é lançar-se com coragem na vida!

A poesia exala paixão desde o começo, no chão de areias toscas até o mar selvagem das madrugadas incertas e cheias de perigos. E, enquanto se ouve os ruídos das garças em alvoradas no ninho, bem ali às nossas margens, o barco pesqueiro segue adiante atravessando esse mundo de ilusões, e nos traz com a generosidade dos deuses, os encantos dos poemas desta obra poética e biográfica. Como a quilha quebrando com as punhaladas das ondas que, nas páginas deste livro, descobrimos Rodrigo e seus encantos trazidos do mar!

Que as garças rumem para o ninho no Porto da Barra, e nos deixem vislumbrar da obra que expressa de amor e luta o pescador de almas e de poesia!

O resquício da maresia aqui se sobrepõe, arqueando com valentia do mar na leitura sensível desta obra que, por si só, revela-se inacabada, pois o autor irá prosseguir o árduo caminho da poesia que pulsa tangente nas veias deste eterno aprendiz do mar.

Descubra-se nos versos de Rodrigo Marvila em ‘Navegar eu precisei’.

“De pescarias, assombros e cobras grandes, passa-se uma noite contando, e sobra assunto.”

Bárbara Pérez

Características
Número de páginas 153
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Tipo de papel Offset 90g
Fale com o autor
Rodrigo Marvila Peçanha

O Professor Rodrigo Marvila Peçanha é casado com Thatiane Mazoco, e atua no Município de Marataízes desde o ano de 2012, lecionando ciências para turmas de 6º ao 9º ano do EJA. Após o ano de 2015, vem atuando na Educação Ambiental do Município, escrevendo diversos projetos relevantes, como peças teatrais autorais, palestras, ações e atividades de campo sempre envolvendo escolas e comunidades. Tanto que, no ano de 2016, os trabalhos de educação ambiental renderam a premiação de 2º lugar na categoria “Município Sustentável” no prêmio Ecologia no Estado do Espírito Santo, e no Ano de 2018 foi finalista do prêmio pelo BIGUA da TV Gazeta Sul com a peça teatral autoral “Jornal Ambiental” que passou por todas as Escolas do Município.

Contatos com o autor

E-mail: rodrigo.marvila@hotmail.com

Telefone: (28) 999427996

Comentários
0 comentários