Sobrevivência policial
Morrer não faz parte do plano
Categorias
Organizações E Instituições, Desenvolvimento Profissional, Criminologia, Desenvolvimento Humano, Ciências Humanas E Sociais, Autoajuda
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 19748 vezes desde 28/02/2018
Versão
impressa
R$ 96,40
Valor total:
R$ 96,40
Valor total:
R$ 96,40
Este livro pode estar à venda na:
Sinopse

O simples voluntariado para se tornar policial, proteger os cidadãos e servir à nação pode ser perigoso. E são muitas as responsabilidades e os riscos envolvidos nas tarefas policiais:

Acompanhamentos, perseguições automotivas, barreiras e abordagens veiculares; Atendimentos às ocorrências de distúrbios (discussões entre familiares, brigas em bares, conflitos no trânsito, saqueadores, pessoas armadas, trato com indivíduos mentalmente perturbados, pessoas com sofrimento emocional e disparos em vias públicas); Atividades em locais insalubres; Investigações de situações e pessoas suspeitas (arrombamentos, furtos e roubos em andamento); Operações de inteligência (infiltrações em ambientes hostis, vigilâncias, ações sob disfarce, trato com informantes); Patrulhamento de rotina; Preservação de patrimônios público e particular; Prisões e interrogatórios de criminosos; Segurança de autoridades; Supervisão de prisioneiros sob custódia, etc.

Além disso, muitos policiais são intencionalmente perseguidos, emboscados, torturados e executados simplesmente por causa de suas escolhas profissionais. Então soma-se outra missão, imprescindível e pessoal, que é PROTEGER A PRÓPRIA VIDA.

Não é preciso grande esforço para perceber que o trabalho policial continua sendo uma profissão de alto risco. Não existem explicações simples sobre as circunstâncias que envolvem as mortes de determinados policiais, enquanto outros escapam ilesos em situações semelhantes. A complexidade da mentalidade e da atividade criminosa dificulta um simples método de proteção policial.

Raros homens são capazes de deliberadamente escolherem uma profissão na qual a atividade diária está rodeada pela possibilidade de ser ferido gravemente ou morto. Esses homens, se não pela abnegação, sabem que não ficarão ricos nem serão reconhecidos pela sociedade e pelo Estado que decidiram proteger.

Por essas razões, e conhecendo os riscos e consequências das tarefas desempenhadas por centenas de milhares de policiais brasileiros, que informações relevantes para a sua salvaguarda foram reunidas e examinadas neste livro. Denominado SOBREVIVÊNCIA POLICIAL – MORRER NÃO FAZ PARTE DO PLANO, a obra traz informações capazes de persuadir o policial de que a aptidão para estar a salvo será temporária se não for cultivada por meio de ações diárias e eficazes. Um dos seus propósitos é elevar o nível de alerta e criar uma direção rumo à evolução do treinamento e do comportamento policial.

Entretanto os dados, as descobertas, teorias e princípios apresentados nesta obra de modo algum esgotam a aplicação ou o desenvolvimento de técnicas de segurança e comportamento policial, pois não há uma receita pronta capaz de ser aplicada com eficácia em todas as situações críticas que um policial pode vivenciar.

Assim, é provável que haja mais perguntas do que respostas. Mas isso é sempre positivo, pois quanto maior o debate e a importância dada ao assunto, maior a chance de haver alguma mudança que favoreça a segurança e o bem-estar do policial brasileiro.

Finalmente, o livro intercala as histórias de policiais que perderam o confronto de suas vidas, bem como as narrativas daqueles que sobreviveram. Desse modo, o leitor pode avaliar as ocorrências para determinar o que foi feito de errado e o que ele faria se estivesse no lugar dos colegas.

Boa leitura!

Características
ISBN 978-85-924450-1-0
Número de páginas 540
Edição 1 (2018)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Humberto Wendling

Pós-graduado em Administração de Marketing e graduado em Publicidade e Propaganda. Ex-oficial R/2 do exército e mergulhador avançado. É Agente Especial da Polícia Federal desde 1997. Atuou em Brasília até 1999. Em Belo Horizonte, trabalhou na repressão ao tráfico de drogas até 2006. Atualmente em Uberlândia, atuou no controle de produtos químicos e no Grupo de Investigações. Participou da retomada do Complexo da Maré/RJ, dentre outras operações. Professor de Armamento e Tiro da Academia Nacional de Polícia ministra aulas e palestras para policiais federais, civis e militares e membros da magistratura. Em 2006, elaborou o treino para manuseio das pistolas Glock na PF/MG. Idealizou e executou os treinamentos de tiro: Autodefesa a Curta Distância (2007), Autodefesa Policial (2008), Fundamentos Básicos (2009), Novas Técnicas do SAT (2010), Saque de Arma Dissimulada (2011) e Cadência e Precisão (2013). Integrou o Grupo de Pronta Intervenção (GPI) da PF na Copa do Mundo (2014). Em 2015, desenvolveu o treinamento Ataques Repentinos e Reação com Pistola. No mesmo ano, participou do desenvolvimento do novo curso de Operador de Fuzil da PF. É autor dos livros Sobrevivência Policial – Morrer não faz parte do plano (2018), Autodefesa contra o crime e a violência - Um guia para civis e policiais (2018) e Policiais: coletânea (2019) e mantém o blog de mesmo nome.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Comentários
3 comentários
Anderson
Quinta | 16.07.2020 às 20h07
É um livro bem técnico, nota-se uma grande experiência do autor e diversos pontos de vista sobre uma determinada situação. Ainda não li totalmente mas quero finalizar o livro todo. Muito útil para policiais, CACs, ao cidadão habilitado ao porte de arma que preza por sua segurança e admiradores da área.
Danilo Martins
Sexta | 17.04.2020 às 20h04
Livro muito bom, pra quem já atua na carreira policial e pra quem sonha em ser policial, e claro pra quem quer conhecer um pouco mais da profissão!
guilherme
Quarta | 09.10.2019 às 06h10
O livro é ótimo, seu conteúdo vale muito a pena, recebi há duas semanas e já li 300 paginas, uma pena o autor não ter lançado o volume dois ainda.