Sobrevivência policial
Morrer não faz parte do plano
Código do livro: 250806
Categorias
Autoajuda, Ciências Humanas E Sociais, Desenvolvimento Humano, Criminologia, Desenvolvimento Profissional, Organizações E Instituições
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 24722 vezes desde 28/02/2018
Versão
impressa
R$ 108,00
Valor total:
R$ 108,00
Valor total:
R$ 108,00
Este livro pode estar à venda na:
Sinopse

O simples voluntariado para se tornar policial, proteger os cidadãos e servir à nação pode ser perigoso. E são muitas as responsabilidades e os riscos envolvidos nas tarefas policiais:

Acompanhamentos, perseguições automotivas, barreiras e abordagens veiculares; Atendimentos às ocorrências de distúrbios (discussões entre familiares, brigas em bares, conflitos no trânsito, saqueadores, pessoas armadas, trato com indivíduos mentalmente perturbados, pessoas com sofrimento emocional e disparos em vias públicas); Atividades em locais insalubres; Investigações de situações e pessoas suspeitas (arrombamentos, furtos e roubos em andamento); Operações de inteligência (infiltrações em ambientes hostis, vigilâncias, ações sob disfarce, trato com informantes); Patrulhamento de rotina; Preservação de patrimônios público e particular; Prisões e interrogatórios de criminosos; Segurança de autoridades; Supervisão de prisioneiros sob custódia, etc.

Além disso, muitos policiais são intencionalmente perseguidos, emboscados, torturados e executados simplesmente por causa de suas escolhas profissionais. Então soma-se outra missão, imprescindível e pessoal, que é PROTEGER A PRÓPRIA VIDA.

Não é preciso grande esforço para perceber que o trabalho policial continua sendo uma profissão de alto risco. Não existem explicações simples sobre as circunstâncias que envolvem as mortes de determinados policiais, enquanto outros escapam ilesos em situações semelhantes. A complexidade da mentalidade e da atividade criminosa dificulta um simples método de proteção policial.

Raros homens são capazes de deliberadamente escolherem uma profissão na qual a atividade diária está rodeada pela possibilidade de ser ferido gravemente ou morto. Esses homens, se não pela abnegação, sabem que não ficarão ricos nem serão reconhecidos pela sociedade e pelo Estado que decidiram proteger.

Por essas razões, e conhecendo os riscos e consequências das tarefas desempenhadas por centenas de milhares de policiais brasileiros, que informações relevantes para a sua salvaguarda foram reunidas e examinadas neste livro. Denominado SOBREVIVÊNCIA POLICIAL – MORRER NÃO FAZ PARTE DO PLANO, a obra traz informações capazes de persuadir o policial de que a aptidão para estar a salvo será temporária se não for cultivada por meio de ações diárias e eficazes. Um dos seus propósitos é elevar o nível de alerta e criar uma direção rumo à evolução do treinamento e do comportamento policial.

Entretanto os dados, as descobertas, teorias e princípios apresentados nesta obra de modo algum esgotam a aplicação ou o desenvolvimento de técnicas de segurança e comportamento policial, pois não há uma receita pronta capaz de ser aplicada com eficácia em todas as situações críticas que um policial pode vivenciar.

Assim, é provável que haja mais perguntas do que respostas. Mas isso é sempre positivo, pois quanto maior o debate e a importância dada ao assunto, maior a chance de haver alguma mudança que favoreça a segurança e o bem-estar do policial brasileiro.

Finalmente, o livro intercala as histórias de policiais que perderam o confronto de suas vidas, bem como as narrativas daqueles que sobreviveram. Desse modo, o leitor pode avaliar as ocorrências para determinar o que foi feito de errado e o que ele faria se estivesse no lugar dos colegas.

Boa leitura!

Características
ISBN 978-85-924450-1-0
Número de páginas 540
Edição 1 (2018)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor
Humberto Wendling

Pós-graduado em Administração de Marketing, ex-oficial R/2 do exército e mergulhador avançado. É policial desde 1997. Atuou na repressão ao tráfico de drogas, no controle de produtos químicos e no grupo de investigações. Participou da retomada do Complexo da Maré/RJ, dentre outras operações. É instrutor de armamento e tiro, ministrando aulas e palestras para policiais, militares, civis e membros da magistratura. Em 2006, elaborou o treino para manuseio das pistolas Glock na instituição onde trabalha. Idealizou e executou os treinamentos de tiro: Autodefesa a curta distância (2007), Autodefesa policial (2008), Fundamentos Básicos (2009), Novas Técnicas (2010), Saque de Arma Dissimulada (2011), Cadência e Precisão (2013), Operador de fuzil (2015), Ataques repentinos e reação com pistola (2016), Operador de submetralhadora (2017), Novo teste de qualificação policial (2019 e 2020). É autor dos livros Sobrevivência Policial – morrer não faz parte do plano (2018), Autodefesa contra o crime e a violência – um guia para civis e policiais (2018), Policiais – coletânea (2019) e Policiais – coletânea 2.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

4 comentários
Edson Lima
Sexta | 28.08.2020 às 16h08
Parabéns ao autor que , de maneira técnico-didática, explana por meio de fatos catalogados e vivenciados, ocorrências que vitimaram policiais e nos remete a reflexões positivas.
Anderson
Quinta | 16.07.2020 às 20h07
É um livro bem técnico, nota-se uma grande experiência do autor e diversos pontos de vista sobre uma determinada situação. Ainda não li totalmente mas quero finalizar o livro todo. Muito útil para policiais, CACs, ao cidadão habilitado ao porte de arma que preza por sua segurança e admiradores da área.
Danilo Martins
Sexta | 17.04.2020 às 20h04
Livro muito bom, pra quem já atua na carreira policial e pra quem sonha em ser policial, e claro pra quem quer conhecer um pouco mais da profissão!
guilherme
Quarta | 09.10.2019 às 06h10
O livro é ótimo, seu conteúdo vale muito a pena, recebi há duas semanas e já li 300 paginas, uma pena o autor não ter lançado o volume dois ainda.