Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Yorùbá Básico
Guia de Referência Rápida de Yorùbá e Candomblé
Categorias
Cursos E Idiomas, Educação, Geografia E Historia, Idiomas Africanos, Idiomas Antigos
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 3132 vezes desde 28/01/2015
Versão
impressa
R$ 34,07
Valor total:
R$ 34,07
Versão
ebook
R$ 16,30
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 34,07
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O idioma Yorùbá é cativante e apaixonante.

É um idioma de difícil compreensão e domínio, fato esse que explica o desencontro de pronúncia, escrita e tradução por parte dos que o utilizam, principalmente na religião, no Candomblé.

O desafio de estudar o idioma e colocá-lo em um livro foi aceito pela esperança de um dia poder ver os mais novos falarem e entenderem com uma maior igualdade e sem erros, muitas vezes absurdos e até mesmo insultantes para os Orixás.

Tive a infelicidade de presenciar pessoas ensinando erradamente as palavras do idioma. Não quero em hipótese alguma ser o dono da verdade e nem tão pouco ofender alguém, principalmente porque pouco sei e tenho muito o que aprender, mas gostaria que a humildade e sabedoria prevalecesse e que as mesmas procurassem se informar e estudar um pouco mais antes de ensinar.

"Grande falha comete aquele que fala mas não sabe o que está dizendo!"

Características
Número de páginas 72
Edição 1 (2013)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Fale com o autor
Arnaldo Rodrigues Neto

Arnaldo Rodrigues Neto (Mukanza Màgbá Ayrà), casado, nascido no mês de janeiro de 1965 no Município de São Paulo - SP. Filho de Ayrà e militar R/1 do Exército Brasileiro.

Respeita todas as religiões e quando convidado não deixa de participar de eventos das mesmas. Teve como sua primeira religião o Catolicismo, porém nunca foi praticante da mesma, apenas batizado.

Começou a frequentar a Umbanda aos 4 anos de idade, onde permaneceu por 44 anos.

No ano de 1998 esteve pela primeira vez em Salvador - BA para consultas com uma senhora que praticava um misto de Candomblé, Umbanda e Kardecismo.

No ano de 2011 foi convidado a se retirar do terreiro de Umbanda que frequentava por relatar fatos que o incomodavam a respeito de atitudes não condizentes com alguns médiuns e Entidades que frequentavam aquele terreiro.

Sentiu então que os Orixás estava lhe apontando um caminho.

Passou então a visitar Casas de Candomblé no estado de São Paulo e realizando viagens frequentes ao estado da Bahia, para conhecer o Candomblé no seu berço, visitando várias cidades e Roças de diversas Nações para tomar ciência do seu destino religioso e para um melhor conhecimento do idioma Yorùbá.

Teve a grata oportunidade de presenciar a igualdade nos cultos, conhecimentos e jogos divinatórios nos Candomblés da Bahia, desde a casa mais humilde até a mais famosa.

Fez várias consultas a diversos Bàbálorixás e Ìyálorixas para confirmar o seu Orixá, principalmente na Bahia, e o resultado era sempre o mesmo.

Esteve a poucos dias de ser iniciado na casa da Ìyálorixá Ambrosina, em Catu - BA, uma casa muito antiga, talvez uma das casas mais antigas de Candomblé do Brasil, porém mais uma vez os Orixás mostraram que lá não era o seu destino.

Em abril de 2013 entrou definitivamente para o Candomblé, na Ilê Axé Alá Deí, em Mata de São João - BA, que tem como Zeladores o Bàbálorixà Daniel de Oxalufãn e o Bàbálaxé Paulo de Ayrà, este primeiro o seu pai. Foi suspenso por Óxóssi no mesmo ano e confirmado em fevereiro de 2014, onde recebeu o cargo de Odjú Óba, após 1 ano de iniciação de sua esposa na mesma casa pelo Babálaxé Paulo de Ayrà, onde são completamente felizes e realizados na religião.

Comentários
0 comentários