A HISTÓRIA DO IDIOMA PORTUGUÊS
Código do livro: 408626
Categorias
Medieval, Europa, Antigo, Geografia E Historia, Educação, Didáticos
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 30 vezes desde 18/11/2021
Versão
impressa
R$ 55,54
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 55,54
Versão
ebook
R$ 35,95
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 55,54
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Em 25 de novembro de 2019, a data de 5 de maio foi instituída pela UNESCO como Dia Mundial, tornando o idioma português o primeiro no mundo a ter uma data oficial reconhecida pelo órgão da ONU.

Durante muito tempo, não passou de um dialeto regional ibérico, a exemplo do galego e do catalão.

Hoje, estima-se que a língua portuguesa seja falada por mais de 265 milhões de pessoas.

Inegável a contribuição de um homem em particular...

Em 1565, na viagem de volta a Goa, retornando de Macau, o navio que levava Camões naufragou junto à foz do rio Mecom, salvando-se apenas ele e o manuscrito d’Os Lusíadas.

Logo após a morte do poeta, em 1580, o espanhol tornou-se uma séria ameaça à sobrevivência do idioma português, por conta da União Ibérica.

Desde o tempo em que viveu e ao longo dos séculos Camões foi louvado por diversos luminares da cultura ocidental. Torquato Tasso, que dizia ser Camões o único rival que temia, dedicou-lhe um soneto, Baltasar Gracián elogiou a sua agudeza e engenho, no que foi seguido por Lope de Vega, Cervantes – que via Camões como o “cantor da civilização ocidental” – e Góngora.

Foi uma influência sobre o trabalho de John Milton e vários outros poetas ingleses; Goethe reconheceu a sua eminência, Sir Richard Burton o considerava um mestre, Friedrich Schlegel o dizia expoente máximo da criação na poesia épica, opinando que a “perfeição” [Vollendung] da poesia portuguesa era evidente nos seus “belos poemas”, e Humboldt o tinha como um admirável pintor da natureza.

Voltaire criticou certos aspetos da obra, nomeadamente a sua falta de unidade na ação e mistura de mitologia cristã e pagã, mas também admirou as novidades que ela introduziu em relação às outras epopeias, contribuindo poderosamente para a sua difusão.

Montesquieu afirmou que o poema de Camões tinha algo do charme da Odisseia e da magnificência da Eneida. Entre 1735 e 1874 surgiram nada menos do que vinte traduções francesas do livro, sem contar inúmeras segundas edições e paráfrases de alguns dos episódios mais marcantes.

Entre os seus apreciadores, encontramos Milton e Burton, também William Wordsworth, Lord Byron, Edgar Allan Poe, Henry Longfellow, Herman Melville, Emily Dickinson e especialmente Elizabeth Browning, que foi uma grande divulgadora da sua vida e obra.

Características
Número de páginas 64
Edição 2 (2021)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

ADEILSON NOGUEIRA

ADEILSON SANTANA NOGUEIRA — Nascido em Estância-SE, em 30/06/1969, filho de Francisco de Carvalho Nogueira (I.M.) e de Maria Aldeiza Santana Nogueira, desde cedo apresentou interesse pela literatura e pela poesia, tanto é assim que, aos 11 já escrevia os primeiros poemas, com premiação em concurso de poesia no Colégio Costa e Silva, em Aracaju, cuja temática era a discriminação racial, também obtendo premiações na cidade de Lagarto, no Colégio Polivalente. Aos 10 anos, recebeu das mãos do Prefeito Heráclito Rollemberg, em Aracaju, o Certificado que lhe concedia o título de secretário mirim da educação. Em 1987 teve poemas publicados em dois livros no Rio de Janeiro: Brasil Literário (Crisalis Editora) e Poesia Brasileira (Shogun Editora e Arte), além de diversos escritos para o Jornal de Campos, Styllo, Primo Notícias, em Tobias Barreto, Folha da Jhô, em Lagarto, e Jornal da Manhã e Jornal da Cidade, em Aracaju. Jornalista, Radialista, Bacharel em Direito, Escritor, Tutor em EAD, Docente do Ensino Superior, com curso de Planejamento e Orçamento Governamentais, Portas Abertas para a inclusão - Educação Física Inclusiva, pela UNICEF e Fundação Barcelona, e Introdução à Avaliação de Impacto para Programas Sociais, possui mais de 1.000 títulos publicados. Em 1987, a convite, fez um programa direcionado à cultura na Rádio Progresso de Lagarto, fato que o estimulou a fazer o curso de radialista na cidade de Itabuna-BA, tendo passado pela Rádio Progresso, Rádio Clube de Itapicuru, Rádio Luandê FM e Rádio Imperatriz (atual Ilha AM). Em 1999, ocupava o cargo de assessor de Comunicação na Prefeitura de Tobias Barreto, onde coordenou o Jornal Cidadania pra valer, de publicação mensal, na gestão do então prefeito Diógenes Almeida, fazendo parte, também, do colegiado das Políticas Educacionais. Professor desde 1988, prestou serviços à educação nos Colégios Monsenhor Basilíscio Raposo, Colégio Nsª Srª Menina, Ranchinho Feliz, Educandário Nsª Srª do Carmo, Colégio Cenecista Arnaldo Dantas, na Barra dos Coqueiros, além do SENAC e do CENAPE – curso pré-vestibular. Sempre que possível, levou oficiais da polícia militar à sala de aula para darem palestras contra o uso de entorpecentes. Em 1992, viajou para o Japão, onde trabalhou na Mitsubishi Motors Corporation, sediada na cidade de Nagoya, retornando em 1994. Primeiro representante da Anistia internacional em Sergipe, foi graças ao seu esforço decisivo junto ao Ministério da Justiça do Governo Peruano, sob a ditadura Fujimori, que a Anistia conseguiu a liberdade para um outro professor, injustamente encarcerado por comentar questões políticas em sala de aula. No Brasil e no Japão comandou greves, neste último, conheceu de perto a perseguição promovida pelos sindicatos patronais ao proletariado.

De 2005 a 2012, ocupou o cargo de Assessor Jurídico na Prefeitura Municipal de Tobias Barreto, de onde presidiu a comissão responsável pelo 2º Concurso Público na gestão da então prefeita Marly Barreto, além de colaborar na Lei que criou o Plano Diretor, entre tantas outras. Membro da Academia Tobiense de Letras e Artes – ATLAS, ocupou a presidência no biênio 2015-2017.

Numismata desde os seis anos de idade, suas 10 palestras sobre coleção de moedas antigas, registradas em DVD’s, viajaram pelos quatro cantos do País, para os Estados Unidos e Europa, tendo seu nome sempre lembrado nos encontros de colecionadores por todo o País.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 61,22
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 59,38
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 56,58
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 55,06
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 56,58
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 55,06
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 55,94
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 54,27
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 54,75
Ebook
R$ 35,95
Impresso
R$ 53,63
Ebook
R$ 35,95
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários