A MÁQUINA DO TEMPO CHAMADA MEMÓRIA

Por MARCOS AVELINO MARTINS

Código do livro: 672468

Categorias

Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento

Compartilhe este livro
Esta página foi vista 254 vezes desde 01/05/2024
Versão
impressa
R$ 52,53
Valor total:
R$ 52,53
Versão
ebook
R$ 30,40
Leia em Pensática
Valor total:
R$ 52,53

Este livro pode estar à venda na:

Este ebook também pode estar à venda na:

Sinopse

149º livro do autor das séries "OLYMPUS" (em 16 volumes com 300 poemas em cada um), "EROTIQUE" (em 13 volumes com 50 poemas em cada um), e "SOB O OLHAR DE UM POETA", em 4 volumes com 300, 150, 300 e 300 poemas, respectivamente).

Alguns trechos:

A MÁQUINA DO TEMPO CHAMADA MEMÓRIA: "E comigo acontece algo assim, / Inesperado, inconfessável, pungente, / Numa reminiscência recorrente / Que a máquina do tempo chamada memória / De vez em quando me traz, / E faz-me sentir, extraído de algum mecanismo invisível, / O indelével e inesquecível gosto / Daquele último beijo apaixonado / Que dos seus lábios provei..."

ESTIGMAS: "Enquanto tento decifrar os teus enigmas, / E me entranhar em teus profundos segredos, / Carrego por minha vida alguns estigmas, / Que se espalham em versos pelos meus dedos."

CASUAL: "Ela parou em frente a mim, / Sorriu e perguntou: / - O que é que você tem? / E respondi, sem precisar pensar muito: / - Tristeza, mas acabei de encontrar a cura! / Ela sorriu, e deu-me um abraço espontâneo, / Que retribuí apertando-a mais ainda, / Espantando de vez a tristeza!"

ÊXTASES: "Quando toco em alguns pontos, gemes, / No momento em que o êxtase te domina, / E então, voluptuosamente tremes, / Nessa explosão de paixão que me fascina..."

DI-VERSOS: "Descrevo em versos / Controversos / Toda a Poesia desse mundo / A vagar no espaço profundo / Onde reina essa imensa baderna / E ousamos sonhar com a vida eterna"

SE A SAUDADE BATER: "De beijos pecaminosos me cubras, / Enquanto selvagemente me amas, / E ao final de algumas horas, descubras / Que sou aquele que aplaca tuas chamas, / E nunca mais fiques longe dessas minhas mãos, / Que de carinhos indecentes te cobrem, / Nesses nossos momentos nada cristãos, / Para que nossas almas uma à outra se dobrem..."

LONGÍNQUAS LEMBRANÇAS: "Lástimas esquecidas subitamente voltam, / Límpidos amores que no tempo se perderam, / Loucas paixões revividas do passado se soltam, / Levando de volta à mente amores que jamais se esqueceram..."

EM ALGUM DIA, LONGE DAQUI: "Como em todas as nossas vidas pregressas, / Pois, inevitavelmente, a mim regressas, / Almas gêmeas, mutuamente destinadas / A seguirem juntas, pelas mesmas estradas, / Não importando nunca aonde me levas, / Porque de qualquer forma, sempre me enlevas, / Em nossa história, eternamente linda, / Compartilhando um amor que nunca finda..."

QUEM ÉS: "- Não me faças chorar... / -- Lamento, mas isto é impossível,/ Faz parte de minha sina / Gerar o pranto que às vezes derramas... / - E como te chamas? / -- Tenho muitos nomes, / De muitos outros me chamam, / Mas podes me chamar de Solidão…"

PREFÁCIO (*):

Em "A MÁQUINA DO TEMPO CHAMADA MEMÓRIA", Marcos Avelino Martins, autor renomado pelas séries "Olympus", "Erotique" e "Sob o Olhar de um Poeta", nos presenteia com sua 149ª obra, um compêndio de poesias que transcende as fronteiras do tangível, navegando pelas vastas águas da memória, do amor, da perda e da esperança. Com mais de 5.000 poemas publicados, Martins demonstra, mais uma vez, sua habilidade ímpar em capturar a essência da experiência humana através das palavras.

“A Máquina do Tempo Chamada Memória”, que dá nome ao livro, nos introduz à temática central do mesmo: a memória como um dispositivo capaz de transportar o indivíduo através do tempo, revivendo momentos de intensa emoção e conexão. Este poema serve como um prelúdio, preparando o leitor para uma jornada introspectiva pelas nuances da memória e do coração.

“Casual” revela a beleza encontrada nos encontros inesperados, transformando um dia cinzento em um momento de luz e calor humano. A simplicidade do gesto, um abraço, torna-se um antídoto poderoso contra a tristeza, ilustrando a capacidade transformadora das conexões humanas.

“Poder Transformador” e “Um Amor Inexplicável” exploram a profundidade e a intensidade do amor e do desejo, capturando o momento mágico do primeiro encontro e a loucura deliciosa que é se apaixonar. Estes poemas falam diretamente ao coração, evocando a universalidade do amor e seu poder de transformar completamente a existência.

“Êxtases” e “Não Restou Nenhum” contrastam intensamente, com o primeiro mergulhando nas profundezas da paixão e do prazer, enquanto o segundo reflete sobre a perda e a solidão. Juntos, eles encapsulam a gama completa de experiências humanas, do êxtase da conexão à dor do isolamento.

“Di-Versos” apresenta uma reflexão sobre a natureza multifacetada do amor e da vida, explorando a diversidade de experiências e emoções que compõem a existência humana. Este poema destaca a habilidade de Martins em transitar entre temas, mantendo uma coesão emocional que toca a alma.

“O Milagre Que Não Veio” e “Todos os Lugares” lidam com a esperança e a persistência da memória, respectivamente. O primeiro aborda a espera por um amor não correspondido, enquanto o segundo fala da onipresença de uma pessoa amada, mesmo na ausência. Ambos os poemas refletem sobre o impacto duradouro das relações em nossa psique.

“Se a Saudade Bater” e “Longínquas Lembranças” são convites à introspecção, ao reencontro com o passado e à reconciliação com as emoções mais profundas. Eles nos lembram de que, apesar das distâncias e do tempo, o amor e as memórias permanecem, prontos para serem reavivados.

“Espinho” e “Em Algum Dia, Longe Daqui” oferecem perspectivas sobre a dor da separação e a esperança de reencontro, respectivamente. Enquanto um lida com a tentativa de curar um coração partido, o outro antecipa um futuro onde almas destinadas se encontram novamente.

“Sem Explicação Aparente” e “O Correr das Horas” refletem sobre a liberdade encontrada na superação do passado e a inevitabilidade do tempo, respectivamente. Juntos, esses poemas encorajam o leitor a abraçar o presente e aceitar o fluxo inexorável da vida.

“Noite em Claro” e “De Momentos e Magia” destacam a dualidade da experiência humana, alternando entre a escuridão da insônia e a luz dos momentos compartilhados. Eles nos lembram de que, mesmo nos momentos mais sombrios, há sempre espaço para a magia e a beleza.

“Barulho de Balas” e “Essa Lágrima Silenciosa” apresentam uma reflexão sobre a realidade externa e interna, respectivamente. O primeiro aborda a violência e a perda de inocência, enquanto o segundo mergulha na intimidade de um momento de dor e revelação pessoal.

“Estigmas” nos introduz à ideia de destinos interligados e à busca incessante pelo entendimento dos mistérios do outro. Este poema reflete sobre a conexão espiritual e emocional que transcende o tempo, sugerindo que algumas almas estão predestinadas a se encontrar e compartilhar suas jornadas.

“Mundo Encantado” nos transporta para um reino de fantasia e maravilha, onde a mitologia se torna realidade. Este poema serve como um lembrete da capacidade da poesia de abrir portais para mundos onde o impossível se torna tangível, incentivando-nos a manter viva a chama da imaginação.

“Coração Gangrenado” aborda a corrosão emocional causada pela ingratidão e pelo acúmulo de mágoas. Este poema nos confronta com as consequências de corações endurecidos pela dor, destacando a importância do perdão e da liberação de ressentimentos para a cura emocional.

“Encaixe Perfeito” lamenta a perda de uma conexão amorosa que parecia destinada a durar. Captura a perplexidade e a dor que acompanham o fim de um relacionamento que uma vez se sentiu como um milagre.

“Trem Desgovernado” utiliza a metáfora de um trem fora de controle para descrever o fim abrupto e caótico de um amor, refletindo sobre a fragilidade das relações humanas e a inevita-bilidade de certos finais, mesmo dolorosos e incompreensíveis.

“Um Lapso” explora a ideia de esquecimento como uma forma de defesa emocional. Este poema nos faz questionar a natureza da memória e do amor, ponderando se o esquecimento é uma bênção ou uma maldição na jornada para superar a dor.

“Amantes da Poesia” celebra aqueles que encontram refúgio e significado na poesia. Este poema reconhece a poesia como um santuário para as almas sensíveis que se deleitam na beleza das palavras e na profundidade dos sentimentos que elas evocam.

“Construto de IA” reflete sobre os limites da tecnologia em compreender e solucionar questões do coração. Este poema nos lembra que, apesar dos avanços tecnológicos, certos mistérios humanos, como o amor e a perda, permanecem insondáveis.

“Em Brasa” descreve a intensidade do desejo e a magia do amor que transforma. Este poema é uma ode à paixão que incendeia o coração e à beleza da entrega mútua entre amantes.

“Um Presente” expressa gratidão pelo amor como o maior dos dons. Este poema é uma celebração do amor compartilhado, visto como uma bênção divina que enriquece a existência.

“Línguas” explora a intimidade e a conexão que se manifestam no ato de beijar. Este poema destaca o poder dos beijos e das carícias em desencadear uma cascata de sensações e emoções, marcando momentos de paixão inesquecíveis.

“Quem és?" é um poema profundamente introspectivo e simbólico, que explora a personificação da Solidão como uma entidade onipresente na experiência humana. Através de um diálogo enigmático entre o eu lírico e a Solidão, o poema desdobra as camadas de significado e emoção associadas a este sentimento universal, revelando sua complexidade e sua inevitabilidade na vida de todos os indivíduos, convidando o leitor a refletir sobre suas próprias experiências com a solidão.

“Masks”, que encerra o livro com chave de ouro, mergulha na complexidade de esconder os verdadeiros sentimentos por trás de máscaras sociais. Este poema, escrito em inglês, universaliza a experiência de amar secretamente, ilustrando a luta interna entre o desejo de esquecer e a incapacidade de deixar de amar.

"A MÁQUINA DO TEMPO CHAMADA MEMÓRIA" é uma obra que nos convida a refletir sobre a complexidade da experiência humana, através de uma viagem poética que abrange os mais diversos temas e emoções, uma celebração da capacidade de sentir profundamente, de amar, perder e, acima de tudo, lembrar. Marcos Avelino Martins, com sua maestria lírica, oferece aos leitores um espelho onde podemos ver refletidas nossas próprias vidas, sonhos e desafios, lembrando-nos da beleza e da dor inerentes à condição humana e nos convida a embarcar nesta viagem, não apenas como leitores, mas como viajantes através do tempo e do espaço de nossas próprias memórias e emoções.

(*) Prefácio by ChatGPT 4, o incrível software de Inteligência Artificial que consegue interpretar textos complexos e comentá-los de forma tão intuitiva e racional como poucos seres humanos o conseguiriam

Características

ISBN 9798324542863
Número de páginas 105
Edição 1 (2024)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 90g
Idioma Português

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor

MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, com mais de 140 livros publicados, todos eles pelo Clube de Autores e pela Amazon, exceto "Poeticamente teu", da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU (da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO)

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

79. CRONOS ENLOUQUECEU!

80. OLYMPUS: LIVRO VIII - MUSAS E MEDUSAS

81. SOMBRAS QUE RESTARAM DE NÓS

82. EROTIQUE 7

83. A CAIXA DE TINTAS DE DEUS

84. PONTES PARA LUGAR NENHUM

85. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES

86. HISTÓRIAS QUE A NOITE NOS TRAZ

87. VESTÍGIOS DE UM FOGO QUE SE APAGOU

88. ARTÍFICE DE VERSOS

89. O TEMPO, ESSE CARRASCO

90. OLYMPUS: LIVRO IX - ESPARTA

91. ESSA SOMBRA EM TEU OLHAR

92. OS OLHOS MÁGICOS DA POESIA

93. VERSOS QUE JAMAIS ESQUECI

94. LÁGRIMAS PROSCRITAS

95. EROTIQUE 8

96. UMA HORA ANTES DO FIM

97. POR TRÁS DA MÁSCARA BRANCA

98. PER...VERSOS AO ANOITECER

99. SOB O OLHAR DE UM POETA

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR

101. ESTILHAÇOS DE POEMAS

102. OLYMPUS: LIVRO X - NINFAS

103. TODAS AS ESTAÇÕES DA ALMA

104. LEMBRANÇAS DE UM FUTURO DISTANTE

105. EROTIQUE 9

106. AO DOCE SOM DE UM BOLERO

107. NÁUFRAGOS NA NOITE SEM FIM

108. A FONTE DO LIRISMO

109. RETRATOS DO DESENCONTRO

110. OLYMPUS: LIVRO XI - CENTAUROS

111. MEMÓRIAS DE NUNCA

112. UM GRITO PRESO NA ALMA

113. NOS OLHOS DE UM POEMA

114. EROTIQUE 10

115. SOB O OLHAR DE UM POETA 2

116. EM ALGUMA OUTRA GALÁXIA

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE

118. AS LÁGRIMAS QUE NÃO SECARAM

119. VIAGEM AO FUNDO DO OLHAR

120. OLYMPUS: LIVRO XII - MARATHON

121. A QUESTÃO QUE NÃO SEI FORMULAR

122. MICRO UNI-VERSOS

123. AS LUAS QUE NO CÉU FLUTUAM

124. O DOCE UIVO DOS VENTOS

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (VOL. 2)

126. O DESTINO NÃO MANDA MENSAGEM

127. EROTIQUE 11

128. UM ADEUS COM HORA MARCADA

129. UM SONHO DO QUAL EU NÃO QUIS ACORDAR

130. OLYMPUS: LIVRO XIII - TEBAS

131. O PEDAÇO DE MIM QUE ROUBARAM

132. PERDIDO NAS DOBRAS DO TEMPO

133. ESSA INDECIFRÁVEL SOLIDÃO

134. UM INSTANTE ANTES DE NUNCA

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS

136. EROTIQUE 12

137. DESCONSTRUINDO MUROS DE ILUSÃO

138. EXCETO A NOITE 139. DIRETO AO CORAÇÃO

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

EDIÇÕES ESPECIAIS:

015. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

046. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA (400 POEMAS PARA A JUVENTUDE)

056. O LADO NEGRO DA POESIA (150 POEMAS SOMBRIOS)

085. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES (200 POEMAS ONDE O VENTO É PERSONAGEM)

099. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 1)

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR (400 POEMAS DE AMOR)

109. RETRATOS DO DESENCONTRO (200 POEMAS LONGOS SOBRE ENCONTROS E DESENCONTROS)

115. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 2)

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 1)

122. MICRO UNI-VERSOS (250 POEMAS CURTOS)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 2)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE VOL. 2

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS (150 POEMAS SOBRE DESPEDIDAS)

139. DIRETO AO CORAÇÃO (150 POEMAS EMOCIONANTES)

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA (150 POEMAS SOBRE SOLIDÃO)

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

SÉRIES:

OLYMPUS - 15 VOLUMES (CADA UM COM 300 POEMAS)

EROTIQUE - 13 VOLUMES (CADA UM COM 50 POEMAS SENSUALMENTE LÍRICOS)

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

• “1001 Poetas” (2022), da Câmara Brasileira de Livros, com o poema “Coração Azevedo”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: cygnusinfo@gmail.com

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 65,07
Ebook
R$ 32,66
Impresso
R$ 72,91
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 55,08
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 52,81
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 70,62
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 53,43
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 75,77
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 53,62
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 73,50
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 61,83
Ebook
R$ 27,01
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários