Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
DANIEL
NA COVA DOS LEÕES
Categorias
Não Ficção, Religião, Teologia, Bíblia, Bíblias
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 269 vezes desde 20/05/2020
Versão
impressa
R$ 37,91
Valor total:
R$ 37,91
Versão
ebook
R$ 15,07
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 37,91
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

DANIEL NA COVA DOS LEÕES

CAPÍTULO – 1

A Escolha do Profeta

Profetas, como Isaías, Jeremias e Ezequiel, todos começaram imediatamente com visões e revelações da parte de Deus; mas com Daniel o processo foi totalmente diferenciado, pois, com ele, o inicial foi através de estudo e aprendizado do caráter humano.

Por outro lado, depois de todo o deserto que Daniel atravessou, ele foi honrado com visões divinas. Não é de se estranhar, pois, que Deus usou de toda essa metodologia e grande variedade cultural, a fim de treinar homens aptos ao serviço da Sua igreja.

Portanto, ao longo dessa sequência, apresentamos o primeiro capítulo, como destaque na seguinte forma: O primeiro cativeiro de Jeoaquim (Daniel 1.1-2) “No ano terceiro do reinado de Jeoiaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei de babilônia, a Jerusalém, e a sitiou. E o Senhor entregou em suas mãos a Jeoiaquim, rei de Judá, e uma parte dos utensílios da casa de Deus, e ele os levou para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e pôs os utensílios na casa do tesouro do seu deus”, no qual Daniel, juntamente com outros de descendência real foi levado cativos para a Babilônia.

(2 Reis 24.1-7) “Nos seus dias subiu Nabucodonosor, rei de babilônia, e Jeoiaquim ficou três anos seu servo; depois se virou, e se rebelou contra ele. E o Senhor enviou contra ele as tropas dos caldeus, as tropas dos sírios, as tropas dos Moabitas e as tropas dos filhos de Amom; e as enviou contra Judá, para o destruir, conforme a palavra do Senhor, que falara pelo ministério de seus servos, os profetas. E, na verdade, conforme o mandado do Senhor, assim sucedeu a Judá, para o afastar da sua presença por causa dos pecados de Manassés, conforme tudo quanto fizera. Como também por causa do sangue inocente que derramou; pois encheu a Jerusalém de sangue inocente; e por isso o Senhor não quis perdoar. Ora, o mais dos atos de Jeoiaquim, e tudo quanto fez, porventura não está escrito no livro das crônicas dos reis de Judá? E Jeoiaquim dormiu com seus pais; e Joaquim, seu filho, reinou em seu lugar. E o rei do Egito nunca mais saiu da sua terra; porque o rei de babilônia tomou tudo quanto era do rei do Egito, desde o rio do Egito até ao rio Eufrates”.

De fato, a escolha de Daniel e de outros jovens, da linhagem real e dos príncipes, da tribo de Judá, com o propósito de serem educados na literatura caldeia, a fim de serem habilitados e qualificados, junto a esse governo e poder servi-lo, embora fosse estranho e perverso, deviam eles ser sustentados, conforme a provisão da qual fora como parte reservada para eles. Portanto, não importa o local, se no tempo e no espaço, na verdade, você deve ter e manter a sua identidade de cidadão da terra, mas também, de cidadão do céu.

(Daniel 1.3-7) “E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real e dos príncipes, Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutos em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhes ensinassem as letras e a língua dos caldeus. E o rei lhes determinou a porção diária, das iguarias do rei, e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, para que no fim destes pudessem estar diante do rei. E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias; E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: E a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias o de Abednego”.

Vale salientar que Daniel, juntamente com seus amigos, todos eles recusaram comer da porção do manjar do rei, porém, de forma benevolente, eles insistiram na ousadia de se alimentarem apenas de legumes e de água. Certamente que, o chefe dos eunucos do palácio permitiu que se alimentassem da maneira que propuseram, então, após um período de tempo passado, isto é, um tempo de dez dias, da experiência, houve testes e provas, pois viu o Eunuco do rei que isso lhes havia feito muito bem.

(Daniel 1.8-16) “E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar. Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos. E disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e a vossa bebida; pois por que veria ele os vossos rostos mais tristes do que os dos outros jovens da vossa idade? Assim porias em perigo a minha cabeça para com o rei. Então disse Daniel ao despenseiro a quem o chefe dos eunucos havia constituído sobre Daniel, Hananias, Misael e Azarias: Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, e que se nos deem legumes a comer, e água a beber. Então se examine diante de ti a nossa aparência, e a aparência dos jovens que comem a porção das iguarias do rei; e, conforme vires procederás para com os teus servos. E ele consentiu isto, e os experimentou, dez dias. E, ao fim dos dez dias, apareceram os seus semblantes melhores, e eles estavam mais gordos de carne do que todos os jovens que comiam das iguarias do rei. Assim o despenseiro tirou-lhes a porção das iguarias, e o vinho de que deviam beber, e lhes dava legumes”.

Não é de se estranhar, pois, como sendo um fato extraordinário, porque, o acontecido foi notável, além do que, o desenvolvimento de todos eles, traspassou as barreiras das expectativas, embora o Eunuco do rei estivesse se arriscando, mas Deus honrou a sua ousadia, e visto que, o resultado não poderia ser outro, senão, de que eles ao fim de 10 dias, se apresentaram com seus aspectos superior ao de todos os seus companheiros, tanto em sabedoria, como também em conhecimento.

(Daniel 1.17-21) “Quanto a estes quatro jovens, Deus lhes deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras, e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda a visão e sonhos. E ao fim dos dias, em que o rei tinha falado que os trouxessem, o chefe dos eunucos os trouxe diante de Nabucodonosor. E o rei falou com eles; entre todos eles não foram achados outros tais como Daniel, Hananias, Misael e Azarias; portanto ficaram assistindo diante do rei. E em toda a matéria de sabedoria e de discernimento, sobre o que o rei lhes perguntou, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos astrólogos que havia em todo o seu reino. E Daniel permaneceu até ao primeiro ano do rei Ciro”.

Características
Número de páginas 170
Edição 14 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Pastor Geovaldo Barroso

Geovaldo Barroso, bacharel em segurança pública, pastor evangélico, casado com a pastora Moza Barroso, vice-presidente da CC Cristã Terra Nova, Bacharel em Teologia, Faculdade Teológica Alfa e Ômega (FATAL-BA), líder da Escola Bíblica Teológica a Distância (EBTAD). Eusébio-CE-Brasil.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 34,37
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 34,78
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 37,58
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 35,69
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 32,96
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 36,51
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 33,46
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 38,49
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 40,81
Ebook
R$ 15,61
Impresso
R$ 34,04
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 35,69
Ebook
R$ 15,07
Impresso
R$ 32,88
Ebook
R$ 15,07
Comentários
0 comentários