EROTIQUE 5
POEMAS SENSUAIS
Categorias
Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1569 vezes desde 01/07/2019
Versão
impressa
R$ 43,00
Valor total:
R$ 43,00
Versão
ebook
R$ 17,22
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 43,00
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Outros livros do autor, todos eles publicados no Clube de Autores e na Amazon:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

11. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III – APHRODITE, APOLLO, EREBUS, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV – PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

Alguns trechos:

“Acreditarias que teus detalhes conheço, / Como aquela pinta que tens na barriga, / E sei até mesmo qual foi o preço / De tua tatuagem que tanto me intriga?”

“Mal entramos no quarto escuro, / Acendi as luzes, para vê-la, tão linda, / E observei enquanto se despia, / Revelando-se, para meu corpo inseguro, / E, durante toda aquela tarde infinda,”

“’Por que chora?’, lembro-me de lhe perguntar, / ‘Um sonho me encontrou’, você sussurrou! / Aquelas palavras doces se encarregaram de me revelar / O quanto adiamos aquele momento que enfim chegou...”

“Dê-me um amplexo / Apertado e opressor / Para acabar com meu complexo / De ser um mau sedutor / Sensibilize o meu plexo / Com um carinho avassalador / Diga-me coisas sem nexo / Mas com todo o fervor”

“Quem disse que o amor é cego? / Não é verdade, ele é clarividente: / Enquanto em teus caminhos trafego, / Tu, em troca, me amas perdidamente!”

“Nesse exótico noturno jogo, / Sou um bombeiro que não falha, / Para apagar esse insano fogo / Que jorra de sua doce fornalha!”

“Celebremos esta nossa primeira vez, / Beijando-nos com ardor pela noite inteira, / Embriagando-nos com esse vinho francês, / Nessa paixão que entre nós se esgueira!”

“Acendendo uma flama / Intensa / Entre mãos e procuras / Obscuras / Dedos que se tocam / E se atiçam / Arrepios provocam / Cobiçam / Trocam carícias / Delícias”

“E então libertamos nossos desejos reprimidos, / Enquanto a noite se esvai lentamente, / E sua taça de champagne aguarda silente / Até que um grito seu se liberta, / Em uma selvageria recém-descoberta, / E pelo resto da noite nos emaranhamos, / Nessa linda primeira vez em que nos amamos...”

“E na manhã seguinte / Ao lembrar o requinte / Das noites sem pudor / Interrompo o trabalho / E às vezes gargalho / Pois assim é o amor”

“Quero lhe roubar um beijo valente, / Caliente, / Denso, / Imenso, / Que lhe invada as entranhas, / E revitalize sedes estranhas, / Tamanhas, / E em tuas suaves montanhas / Deixe arrepios / E vazios”

“Depois de uma noite contigo, / Que venha o fim do mundo, / Já não me importaria mais... / Depois de descobrir teus mistérios, / E de mergulhar em ti, afinal, / Fazendo de teus braços meu abrigo, / Explorando-te com ardor até o fundo, / E me deleitar com teus beijos sensuais, / E com teus gêmeos hemisférios, / Por que me importaria com coisa tão banal?”

“Entre êxtases e beijos profanos, / A mergulhar em teus oceanos, / Tateando no escuro às cegas, / Enquanto sem pudor te entregas, / Ensinando-me a contigo conjugar / As histórias sem fim do verbo amar...”

“Em seus olhos li um convite / Explícito / Solícito / Para que eu a incite / A um encontro ao luar / Procuras / Loucuras / Corpos sedentos a buscar / Carentes / Ardentes / Enquanto a noite durar”

“E, depois de horas a nos explorarmos, / Entre tantos gritos, beijos e urros, / Descubra um novo jeito de nos amarmos, / Diga que me ama entre dois sussurros...”

“E depois do último êxtase, enfim saciada, / Tu me olhas e perguntas onde me escondia, / Respondo que para ti eu deixara guardada / A mais linda estrofe da minha Poesia...”

“Naquela noite, fervias, / Revelando fantasias / De uma vida inteira, / Naquela noite ligeira, / Que num instante passou, / Mas suas marcas deixou, / Junto com o teu perfume, / Para que não me acostume”

“Estou enclausurado numa torre de marfim, / Da qual você guarda a única chave, / O manche para conduzir minha nave / Pelo espaço sem fim de seus braços, / Dividindo com você meus espaços, / Cada vez mais profundos, / Onde navego em seus mundos,”

“Qual toque na pele teu desejo atiça, / Em qual parte uma mordida te dá arrepios, / Qual carinho sedento teus cabelos eriça, / Como faço para encharcar os teus rios?”

“Entre coloridos jogos de luzes, / Numa atmosfera estroboscópica, / Olharei enquanto me seduzes, / Numa dança sensual e erótica, / Tirando sem qualquer pressa / Tua minúscula lingerie de renda. / Será então que tudo começa, / E farás com que eu me surpreenda / Com teu sorriso maroto, / Que meu desejo aguça / E faz-me sentir como um garoto!”

“Quando nossos lábios se tocam, / Tantas faíscas provocam, / Em um beijo fulminante! / E enquanto nossos lábios tremem, / Nossos corpos se espremem, / Num desejo alucinante!”

“E não te contentas com tão pouco, / Mordiscas a minha orelha, / E aos poucos, vou ficando louco, / E então me mostras a lingerie vermelha, / E fico pensando nas possibilidades / Dessa noite que mal começou!”

“Por todo este semestre, / Serei teu dedicado mestre / No Kama Sutra e suas artes eróticas, / Ensinando-te as posições exóticas / Do prazer sem limites, / A cada vez que me fites / Com essa cara de tarada, / E essa lascívia indomada,”

“E me deste um abraço espontâneo, / Com um sorriso luminoso, / E assim me mostraste, / Num rápido instantâneo, / O teu bem mais precioso: / A alegria enjaulada / Por amores extintos, / De repente libertada / Por beijos famintos / Que ganhei sem que esperasse!”

“Quem diria, vendo-nos nesse clima de guerra, / Que fomos antes tão incríveis amantes? / Quem esperaria, nessa noite que nos aterra, / Jogarmos, um no outro, granadas congelantes?”

“E, depois de veres o estrago que me causaste, / E de provares o sabor de minha boca sedenta, / Ao sentires teus seios arfarem porque me beijaste, / Saberás que o amor chegou, ao fim dessa tarde cinzenta!”

“Havia muito mais em jogo do que somente / Um beijo que de repente acontecera / Entre duas almas perdidas que se encontraram, / Por alguma espécie qualquer de acidente / Que a roda da vida de repente tecera, / E depois nunca mais se separaram”

“Nesse local encantado, tua amada te aguarda, / Nadando numa límpida lagoa, linda e nua, / E os seus desejos insuspeitados para ti guarda, / Sob os olhos protetores do dragão da Lua...”

“E depois a noite nos assiste / Quebrar os seus braços, num só vulto, / E eu, que até então estava tão triste, / De uma vez por todas a tristeza oculto, / Pois você era só o que me faltava, / Gritando à noite que sem você nada sou, / E enquanto você me beijava, / Chegávamos ao clímax do show...”

“E ao fim dessas expedições, / Um abraço imenso celebre / A promessa de novas missões, / Para curar minha febre, / Enquanto com teus beijos respondes / Que sou o primeiro a desvendar / Os segredos que escondes / No fundo de teu infinito olhar...”

“Vim, velas desbravadas ao vento, velozes, / Ver vossos verdes olhos, vivazes, / Cravejados de promessas de aventura, / Eivados de volúpia e ventura / Por ver-me novamente! / E me sorris veladamente, / E vens para meus braços vorazes, / Voando rumo a meus beijos vivos, audazes, / Revelando-me com vossa voz tão suave / O quanto desejais viajar em minha nave...”

“Mas depois daquele dia exótico e inesquecível, / Em que vieste desarmada, num sonho tão esperado, / Voltaste ao que eras antes, novamente inatingível, / Mas aquele dia mágico marcou meu passado...”

“Travamos por algumas horas uma erótica batalha, / Nossos corpos queimam, como uma grelha, / E quando me beijas, o teu olhar cálido brilha, / Até que o êxtase explode, como uma bolha, / Enquanto o meu olhar com paixão no teu mergulha...”

“Que fogo é este que me esfola, / Quando ficas de quatro, / E, devagar, tiras a camisola, / Nessa nossa paixão de teatro?”

“Deixa-me despertar tuas feras / Que dormiam há muitas eras / E aliviar para sempre teus medos / Com o doce toque de meus dedos”

“Mas se engana quem pensa / Que só porque versejo sou tolo, / Pois para mim não faz diferença / Se me atiras pétalas ou um tijolo, / Pois sei que no fundo me desejas, / Mas nunca encontraste coragem / Para tomares comigo umas cervejas, / E depois deixares cair tua blindagem,”

“Esse teu olhar estonteante / Derrubou minha última muralha, / E depois sonhei com esse instante / Em que travamos a primeira batalha / Numa cama imensa e macia, / Onde eu me perco e te acho, / Com essa tua silhueta esguia, / E entre teus joelhos me agacho, / Como se uma deusa fosses, / E depois arfante saboreio / Esses teus líquidos doces / E me delicio com a curva de teu seio,”

“E assim foi por toda a madrugada, / A nos descobrirmos, em suaves holocaustos, / Meus lábios, beijando teu rosto de fada, / Até a manhã nos descobrir, suados e exaustos...”

“Entre riachos de águas correntes / E geladas, / Talvez enfim te decidas / A dar-me beijos ardentes, / Tórridos, incandescentes, / E depois de nos beijarmos, / Liberar-me o teu corpo lindo, / Infindo,”

“Escuto esses teus suspiros, / Tão doloridos que me torturam, / Esses teus desejos vampiros, / Que meus próprios desejos capturam!”

“Tu me arranhas suavemente as costas, / E mesmo que não precisem de sutura, / Deixas em tuas loucuras expostas / A devassidão que ao espelho tortura!”

“E já tarde da noite, feliz e radiante, / Pela última vez me beijas e partes, / Para na noite seguinte, voltares, triunfante, / Para compartilharmos nossas tântricas artes...”

“As mensagens doces que me mandas, / São para mim preciosas prendas, / Assim como essas nossas noites infindas, / Onde brinco de mergulhar em tuas ondas, / Trocando nossas paixões mais profundas...”

“Esses teus túrgidos picos, / De desejo assim eriçados, / Inspiram-me versos ricos, / Por teus olhos enfeitiçados!”

“E então te aproximas / E docemente me encaras / Teus olhos são lindas rimas / E teus lábios joias tão raras / Que na minha boca tocam / Enfeitiçando-me mais ainda / Pois até faíscas provocam”

“Quando foi que enxerguei as rendas / Que tuas roupas poucas mostravam? / E afinal percorri as sendas / Que sob essas vestes aguardavam, / E ousei invadir as lindas fendas / Que prementes por mim ansiavam?”

“Há apenas um dia, / Eu era infinitamente feliz, / Mas não o sabia, / E minha mente não quis / Acreditar que chegou o dilúvio, / Derramando chamas no ar, / Como cinzas derramou o Vesúvio, / E vi o meu sonho desabar,”

“Sejamos amigos apenas / Esqueçamos as eróticas cenas / Que protagonizamos / Cada vez que nos amamos / Durante as madrugadas / Nessas nossas vidas cruzadas / Em beijos candentes / E em posições indecentes”

“Let your laughter fill my ears / And I'll never forget it over the years / Look at me with eyes full of passion / And show your soul in a sweet sex session / Kiss me like if you really missed / Our love that never really existed”

Características
ISBN 9781075645310
Número de páginas 100
Edição 1 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Fale com o autor
MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, já com 75 livros publicados, pelo Clube de Autores e pela Amazon.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: [email protected]

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 43,68
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 65,81
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 43,50
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 52,31
Ebook
R$ 19,37
Impresso
R$ 43,32
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,41
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,41
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 42,64
Ebook
R$ 17,22
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários