Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
EROTIQUE 6
POEMAS SENSUAIS
Categorias
Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 372 vezes desde 14/04/2020
Versão
impressa
R$ 43,45
Valor total:
R$ 43,45
Versão
ebook
R$ 17,22
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 43,45
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

69ª obra do autor dos seguintes livros, todos eles publicados no Clube de Autores e na Amazon:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

11. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III – APHRODITE, APOLLO, EREBUS, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV – PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V – THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

Alguns trechos:

“O ar condicionado não dará conta de reduzir / As temperaturas de nossos corpos ardentes, / Levarei a enormes requintes a arte de te seduzir, / Deixando em chamas os teus lábios frementes!”

“Delicio-me com a fonte de teus segredos, / Oferecida, impávida, / Derretendo-se sob os meus dedos, / Abundante, ávida!”

“E enquanto ardes em chamas, / De novo pergunto se me amas, / E, antes mesmo que respondas, / Um novo êxtase chega em ondas, / E, no olhar que deixa tua alma exposta, / Recebo a tua mais sincera resposta!”

“E após nossas doces batalhas, / Sei que as migalhas (que orvalhas) / À tua imensa cama me levaram, / E às mãos que de mim abusaram, / Deixando-me quase prostrado, / Após uma noite de prazer e pecado!”

“Mas por que mesmo assim / Ao meu lado te ausentas, / E transitas por caminhos sem fim / Em tuas noites sedentas?”

“Amores deixam impressões digitais / Reconhecíveis / Memórias e ocultos sinais / Inconfundíveis / Palavras e versos banais / Intraduzíveis / Promessas sensuais / Irreprimíveis / Seguidas de olhares fatais / Inconcebíveis”

“Fui contigo à feira outro dia, / E notei que ao escolheres bananas, / Exercitavas uma estranha fantasia, / Mas a quem pensas que enganas?”

“Bendita sejas / Pelo amor irrestrito / Com que versejas / Nesse olhar infinito, / Que em segundos percorre / O espaço que entre nós havia, / E enquanto o tempo escorre / Enches-me de amor e Poesia!”

“Agora aguardo que outra vez me provoque / Para lhe repetir o quanto você me encantava / E esperar que meu beijo lhe evoque / De novo o luar que em seu olhar brilhava”

“Esse teu corpo matemático, / Cheio de linhas e curvas, / Derruba meu lado catedrático, / Pois meus olhos turvas / Quando nele pousam, / E cheios de desejo ousam / Confessar que me encantas, / Provocando sanhas nada santas,”

“Cante-me algumas canções de que goste, / Recite alguns versos que já decorou, / E em meu peito suavemente recoste, / Beije-me de um jeito que a ninguém beijou.”

“Em teus olhos palpitam / Espetaculares cometas, / Que nesse olhar orbitam, / Vindos de distantes planetas, / E, quando me fitam, / Transparecem loucuras, / Em promessas que me agitam, / Esperando por deliciosas torturas,”

“Numa de nossas conversas informais, / Prepare para mim uma surpresa, / Segure minha mão sobre a mesa, / E faça nela alguns simples carinhos, / E, entre sorrisos e olhares sensuais, / Chame-me para uma noite de queijos e vinhos, / Ou de beijos e caminhos secretos, você decide!”

“Se tiver de decidir meu destino, / Será contigo que devo ficar, / Pois é por ti que eu me fascino, / Meu dragão encantado por teu luar...”

“Talvez eu tenha um ataque / No dia em que tirares a roupa / E me ofereceres a tua nudez, / Pois minha frieza é de araque, / Apenas uma máscara que me poupa / De meus ataques de timidez!”

“E lhe direi, com lágrimas no olhar, / Que sem você não sou nada, / Um triste rio longe do mar, / Uma sombra morta sob a escada!”

“E depois, teu olhar me procurará / Por toda a parte, sem me encontrar, / Pois nunca mais nós dois haverá, / A menos que confesses me amar...”

“E agora, que estamos ausentes, / Cada um em um lado do planeta, / Eu em Goiânia e tu em Pequim, / Conversando em línguas diferentes, / Tu num palácio e eu na sarjeta, / Será que ainda sentes falta de mim?”

“Essa sua fantasia de Eva / Sugere que eu seja o seu Adão / E a leve a um lugar onde nunca neva / Rumo a meus lábios cheios de paixão”

“E vamos nós dois assim, / Cumprindo a nossa sina, / Curtindo-nos aos poucos, / Em cada fantasia, em cada tara, / Nesse desejo sem fim”

“Toquei de leve a tua mão, e te puxei para mim, / E nossas bocas sôfregas se entrelaçaram, / Explorei até o fundo de tua boca carmim, / Enquanto nossas almas se abraçaram!”

“Depois de várias horas, pedimos um iFood, / Para recuperarmos um pouco as energias, / E enquanto a olho, tão linda, pergunto-me como pude / Ficar sem você, por tantas noites sombrias.”

“E essa fome de você causa-me desvarios, / Pois, quanto mais vezes eu a vejo, / Com esses olhos profundos e bravios, / Mais ainda aumenta o meu desejo...”

“E nessa sapequice tão jovem, / Parece não se importar / Com um cometa que está a passar, / Disfarçado de um poema, / Ao qual faltou um esquivo fonema, / Mas que ninguém achou que fosse preciso, / Pois quem em perfeito juízo / Leria um poema em formato de cometa, / Que poderia subverter todo o planeta,”

“Mas hoje, como por mágica, cá estamos, / Olhos nos olhos, degustando um uísque, / Separados apenas pela mesa do restaurante, / E pelo jeito ardente como nos olhamos, / Será necessário que eu me belisque / Para ver se é verdade o seu sorriso radiante,”

“Numa inusitada tática, / Disse àquela cientista tão bela, / Que pôs o meu olhar em sentinela, / Que eu era tarado em Matemática, / E propus fazermos um jogo geométrico / De nos reunirmos em um retângulo, / Olhando-nos num espelho simétrico, / Que, explorando o seu melhor ângulo, / Deixasse meu cilindro, elevado ao ápice, / Enroscar-se em seu triângulo, / Enquanto tomássemos vinho em um cálice, / E minha hipotenusa beijasse os seus catetos!”

“Entre nós dois se esgueira / Uma fagulha que espouca, / Sob essa lua alvissareira / Que te deixa tão louca, / Como se fosses uma loba!”

“Esses mantras que me sussurras / Dizem-me tudo que preciso saber, / Quando meus lábios empurras, / À fonte inesgotável de teu prazer.”

“Um olhar voador não identificado / Viajou de encontro ao meu sorriso, / E, naquele voo com destino marcado, / Meu purgatório encontrou o seu paraíso! / Foi mesmo estranho o que aconteceu / Naquelas duas naves sem piloto automático, / Naqueles instantes que o relógio esqueceu, / Nós dois, compartilhando um vínculo telepático!”

“Não me atrapalhe, / Tenho urgência, / Tantos sonhos para viver, / Tantos poemas para escrever!”

“Não me abandones / Antes de em meus lábios deixares / Amostras de tua língua onde brotam ciclones / E de teus rios invadirem meus mares...”

“Ao olhar os nossos reflexos, / No espelho igualmente invertidos, / Tão encaixados os nossos sexos, / A trocarmos beijos pervertidos, / Fico a imaginar como seria / Se o destino não nos reunisse, / O que teria sido de minha Poesia / Se a vida continuasse aquela chatice!”

“E selvagemente nos amamos, / Como se a hora da partida não viesse, / Ou como se amanhã não houvesse, / Mas sempre chega a hora do adeus, / Tão triste a te afastares dos olhos meus, / Até chegar afinal o próximo dia, / Em que venhas alimentar minha Poesia...”

“Nesse pesadelo do qual somos parte, / Beije-me com todo o requinte, / Enquanto uma bomba não nos reparte, / E não somos divididos em vinte!”

“Que magia é esta que experimento nessa viagem, / Em que realizo as fantasias que cultivei por anos? / Como não perder o rumo nessas tuas paisagens, / Ou tentando cruzar os teus vorazes oceanos?”

“Forme junto comigo uma dupla suicida, / Sem medo de que o mundo acabe amanhã, / Se quiser, fique comigo até o final desta vida, / Mesmo que isto aconteça no fim desta manhã!”

“De que adiantam parcas muralhas / Contra gigantescas fornalhas, / Loucas para se mesclarem, / O nome um do outro gritarem, / Em ondas de prazer explícito, / Solícito, / Entre beijos e gritos, / A construírem novos mitos,”

“Juntemos nossos corpos ferozes, / E chega de encontros velozes, / Com tua doce seiva me lambuzes, / Enquanto sem censura me seduzes...”

“Tire-me dessa enrascada, / Salve-me desse cruel labirinto, / Livre-me da enorme barricada / Atrás da qual escondi o que sinto!”

“E quando o cansaço da noite nos prostrar, / Antes de dormir você me dirá sorrindo: / "Amo você!", com lágrimas em seu olhar, / E um brilho diferente em seu sorriso lindo!”

“Aliás, será que teremos futuro, / E nossa vida não será feita de lampejos, / A nos abrigarmos em algum porto seguro, / Dividindo nossos ferozes desejos?”

“E entre beijos cada vez mais sedentos / Jura que nunca mais me deixará / Pois descobriu que esses êxtases suculentos / Além de mim ninguém mais lhe provocará”

“Vamos juntos cavalgar as horas, / Enquanto a lua brilha sobre o mar, / Crave em meu dorso suas esporas, / Grite de prazer, enquanto a noite durar!”

“E, depois de tomarmos uma garrafa de vinho, / Que nos arranque confissões tão esperadas, / Tua lembrança estará aqui, até o fim do caminho, / A me acompanhar, mesmo nas mais tristes jornadas...”

“Entendo a imensidão de teu recado, / E a carência em teu olhar impressa, / Essa urgência de cometer um pecado, / Então eu me aproximo e tudo começa!”

“Faça para mim uma dança sensual, / Tantalizante, escandalizante, / Como não existe no manual / Da stripper mais delirante!”

“Dê-me uma prova pungente / Do que sente, / Um beijo demolidor, / Ruborizador, / Que derreta meu escudo / Sisudo, / E com suas sedes, / Derrube as paredes / Que ergui à minha frente,”

“Foi uma transa louca, / Onde sua voz rouca / Tantas vezes meu nome gritou, / E sua boca, com todo requinte, / Minha fome aplacou, / Mas na manhã seguinte, / Foi-se embora e nunca voltou!”

“Perdoe a urgência de minha carne fraca, / E a emergência de meu sangue rubro, / Pois a sua visão o meu desejo não aplaca, / Quando com emoção o seu corpo descubro!”

“Enquanto te despes sensualmente, / Gravo tua imagem em minha mente, / Ponto a ponto, pixel por pixel, / Nenhuma outra chegou ao teu nível, / Que me fizesse transpirar assim, / Um anjo a poucos passos de mim, / Tirando devagar roupas e asas, / Fazendo-me afundar em águas rasas,”

Características
ISBN 979-86-302-7849-4
Número de páginas 110
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Fale com o autor
MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, já com 80 livros publicados, sendo 79 deles pelo Clube de Autores e pela Amazon, e 1 da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU (da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO)

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

79. CRONOS ENLOUQUECEU!

80. OLYMPUS: LIVRO VIII - MUSAS E MEDUSAS

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: [email protected]

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 42,60
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 64,69
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 43,86
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 45,62
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,18
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,68
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 65,81
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 43,50
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 52,31
Ebook
R$ 19,37
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários