ESTILHAÇOS DE POEMAS

Por MARCOS AVELINO MARTINS

Código do livro: 415753

Categorias

Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento

Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1090 vezes desde 04/01/2022
Versão
impressa
R$ 53,66
Valor total:
R$ 53,66
Versão
ebook
R$ 27,01
Leia em Pensática
Valor total:
R$ 53,66
Este ebook também pode estar à venda na:

Sinopse

101º livro do autor, todos eles publicados pelo Clube de Autores, exceto "POETICAMENTE TEU", da Coleção Prosa e Verso 2018 da Prefeitura de Goiânia:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

11. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III – APHRODITE, APOLLO, EREBUS, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV – PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V – THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

79. CRONOS ENLOUQUECEU!

80. OLYMPUS: LIVRO VIII – MUSAS E MEDUSAS

81. SOMBRAS QUE RESTARAM DE NÓS

82. EROTIQUE 7

83. A CAIXA DE TINTAS DE DEUS

84. PONTES PARA LUGAR NENHUM

85. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES

86. HISTÓRIAS QUE A NOITE NOS TRAZ

87. VESTÍGIOS DE UM FOGO QUE SE APAGOU

88. ARTÍFICE DE VERSOS

89. O TEMPO, ESSE CARRASCO

90. OLYMPUS: LIVRO IX – ESPARTA

91. ESSA SOMBRA EM TEU OLHAR

92. OS OLHOS MÁGICOS DA POESIA

93. VERSOS QUE JAMAIS ESQUECI

94. LÁGRIMAS PROSCRITAS

95. EROTIQUE 8

96. UMA HORA ANTES DO FIM

97. POR TRÁS DA MÁSCARA BRANCA

98. PER...VERSOS AO ANOITECER

99. SOB O OLHAR DE UM POETA

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR

Alguns trechos:

“Apenas um deles que escapou do massacre, / Um único poema sobrevivente, / Daqueles contos de amor despedaçados, / Que guardei numa caixa com um lacre, / O sepulcro de uma paixão que morreu brutalmente...”

“Mas esses pensamentos extravagantes / Causam-me às vezes calafrios, / Por inventarem histórias proibidas / Sobre insuspeitados amantes, / Que disfarçam seu fogo sob olhos frios, / / Disfarçando suas taras escondidas, / E podem pensar que, nesses falsos versos, / Estou contando suas histórias reais,”

“Tenho um pouco de quase tudo, / E quase tudo de nada, / Devia ser um caso de estudo / Essa minha Poesia aloprada,”

“Meus poemas têm um que de absurdo / (E este fato eu nunca nego), / E outro tanto de exagero, / Mas ao barulho da vida não fico surdo, / E à violência das horas não fico cego, / Relatando todas as coisas com esmero, / Contando-as em detalhes perfeitos,”

“Nesses inúmeros poemas apaixonados, / Que mostram como te venero, / A te olhar com esse jeito atrevido / E esse desejo profundo, / Jamais esmaecido, / Não importa quantas vezes gire o mundo...”

“E esses buracos vão se alastrando, / Círculos concêntricos de ausência, / Para os quais não há tratamento, / E, à medida que os buracos vão aumentando, / Cada vez com maior frequência, / O coração bate cada vez mais lento,”

“Esse seu olhar que vejo, / Carregado de desejo, / Que aos meus frêmitos pede acesso, / Num convite expresso, / Para explorar os seus mundos, / Em mergulhos profundos, / Numa voraz aventura, / Com laivos de loucura,”

“As rampas se ergueram, / Os seres celestes e os escolhidos entraram nas naves, / E as portas se fecharam. / Pouco depois, as naves partiram, / Deixando para trás um mundo sem juízo e sem perdão. / Foi pouco depois que explodiu a primeira Bomba...”

“Essa melancolia inaudita / Que minha mente seduz, / Minha alma habita, / E em minhas mãos introduz / Esses poemas tão belos, / Mas com um quê de saudade,”

“Ao ver o tamanho do estrago / Naquele ferro-velho sem solução, / Uma lágrima sorrateira brotou / No altar de minhas desilusões, / Mas ninguém a notou, / Exceto a noite!”

“E nem preciso fazer nada disto, / Para saber que um dia te encontrarei, / E nos reconheceremos instantaneamente, / Tu me olharás e dirás: ‘Eu te conheço!’, / E eu responderei, sem pestanejar, / Olhando fixamente em teu rosto, / Com a voz embargada de tanta espera: / ‘E eu te amo!’...”

“Desabotoavas a blusa que usavas, / Bem devagar, / Avaliando o impacto que me causavas, / Que mal me deixava respirar, / A cada pedaço de tua pele sedosa / Que surgia entre as rendas, / Cada vez mais maravilhosa, / A mais aguardada das prendas...”

“Não foi por falta de aviso, / Eu lhe disse várias vezes / Que a solidão é inevitável, / Se não se fizer o que é preciso, / Eu lhe falei, quase todos os meses, / Que a ideia parece adorável,”

“Essa paixão intermitente / É agora o nosso espelho, / Nos dias que virão pela frente, / Respirando só por um aparelho!”

“E naquele dia mágico, tudo aconteceu em instantes, / Nada nunca mais foi como antes, / Saímos do shopping já de mãos dadas, / E, depois disto, em nossas noites apaixonadas, / Sou teu escravo, e és minha serva, / Nessa aventura sem fim que o amor nos reserva...”

“Astros um em volta do outro a girar, / Nós dois juntos somos um vulcão ativo, / Nossas histórias, uma na outra se encerra, / Loucamente apaixonados, / Aprendendo juntos a conjugarmos o verbo amar...”

“Penso que nada mais sinto por você, / Exceto tristeza, / Ao vê-la assim solitária, / Escondendo uma lágrima furtiva, / E pensando que ninguém a vê, / A expor sua fraqueza, / Com essa lágrima temerária, / Que rola abrasiva / Por sua face, que a rejeita...”

“Estava ao léu, / Cultivando tristezas de toda sorte, / Naquele dia assustador, / Quando te vi pela primeira vez, / Então, desceu do céu / Uma voz forte, / Dizendo: ‘Faça-se o amor’, / E o amor se fez...”

“Tenho pena de você, / Com essa cara infeliz, / Parecendo muito mais velha / Do que na verdade é, / Cabelos desgrenhados, / Precocemente grisalhos,”

“E minha alma inunda, / Inapagável, / Cobrindo-a como uma membrana, / Que se expande, / Irremovível, / Até que a Primavera a expulsa, / Junto com essa tristeza tão grande, / Que se espalhava, irresistível, / Brincando comigo de roleta russa...”

“E, ao final de horas de volúpia e prazeres, / Beija-me pela última vez, com paixão, / Antes de em meus braços adormeceres, / Na primeira noite de muitas outras que ainda virão...”

“Encaramo-nos sem acreditarmos / Que finalmente nos encontráramos, / Então, segurei os seus ombros, / E nos encaramos, por alguns minutos, / Trocando relâmpagos com o olhar, / Onde brotavam tempestades cósmicas,”

“Nessa peça de teatro que chamamos de vida, / Não somos mais do que figurantes, / Apenas meros artistas, / Longe de sermos protagonistas, / Não passamos de meros coadjuvantes, / Nesse palco, que a sonhar nos convida.”

“Apenas amanhecera, / Quando meu mundo ruiu, / Mal a escuridão se desvanecera, / Descobri que ela partiu.”

“Sei que estás por aí, / À minha espera, / Em algum lugar deste mundo. / E quando eu te encontrar, / Tenho certeza que te reconhecerei, / Pois habitas meus sonhos / Desde sempre...”

“Por fora, pareces a mesma, / Mas é só uma ilusão, / Pois sem mim, não és completa: / Falta o pedaço mais lindo, / Que chamam por aí de amor...”

“E vamos seguindo assim pela vida, / Em meus sonhos, estás tão presente, / A te amar, a Poesia me convida, / Mas em meu mundo, és um corpo ausente!”

“Romances desvanecem, / Sob qualquer intempérie, / E simplesmente desaparecem, / Após um curto período de esplendor, / Vitimados por um assassino em série / Chamado de falta de amor...”

“Mas, mesmo assim, / Eu as conheço intimamente, / Mesmo que de outras encarnações, / Talvez memórias de vidas passadas / E jamais esquecidas / Por minha alma imortal...”

“Desses seus labirintos sem fim, / Jamais encontrei a saída, / E voltei à porta de entrada, / Derrotado por sua inconsequência, / E, depois dessa experiência ruim, / Separei da sua a minha vida, / Irremediavelmente contaminada / Pelo horror de sua ausência...”

“Dessa adaga não tenho medo, / Pois sei que te falta coragem / Para enfiá-la em minha garganta, / Tua ferocidade é só um arremedo, / Apenas um furo em tua bagagem, / Que aos poucos se agiganta, / Até o buraco virar tudo o que há,”

“Nos sonhos onde frequentam reinos surreais, / Cheios de fadas, unicórnios e outros seres mitológicos, / Nos mundos onde a Magia reina soberana, / De acordo com seus axiomas ilógicos, / Em eterno conflito com a própria natureza humana...”

“Corações batendo no mesmo compasso, / O suor a escorrer em cada face, / Gritos de prazer, com estardalhaço, / Sem espaço nenhum entre corpos em fogo, / Até o último êxtase, num longo gemido, / Indicando o fim de mais um magnético jogo, / Sem vencedor nem vencido...”

“Dedico-me com afinco a explorar, / Por entre esses macios lençóis, / Esse teu inexplorado corpo audaz, / Eu, fisgado há muito tempo atrás, / Por esses teus suaves anzóis, / Que chamam por aí de olhar...”

“(M)ilhas distantes / Um do outro, seguimos, / Hesitantes, / Por caminhos onde pouco rimos, / Pensando no que agora somos, / Já quase esquecidos / De tudo o que fomos,”

“Todas as vezes em que me navegas, / Cometes doces perjúrios, / Jurando-me amor em teus murmúrios, / Enquanto te percorro às cegas!”

“E esse sorriso em sua face tão bela, / Onde encantamentos se conjuram, / Diz-me tudo que jamais lhe perguntara, / Mesmo porque nunca tive oportunidade: / Nascerá entre nós uma paixão tão rara, / Imortalizada em versos, por toda a eternidade...”

“O mundo gira, e nos arrasta / Sob as suas sinistras engrenagens, / Que giram em órbitas esquisitas, / E esmagam-nos como a uma pasta, / Não mais do que infelizes personagens, / Em tantas peças de teatro descritas, / Nesse roteiro tosco que nos devasta, / Até que de nós nada reste, senão deletadas imagens!”

“Preenchendo-me cada veia, / Nessa solidão tão presente, / Que meus instintos bloqueia, / Com a mesma dor tão recente, / Que por meus neurônios vagueia, / E jaz por aqui aqui, latente, / Nessa noite de lua cheia...”

“E amora, tanto tempo depois, / Apareces de ovo em minha frente, / A sorrires, como mantas vezes fizeras, / Como se finda houvesse nós dois, / Como se doces me amar eternamente, / Mas parlamento muito, porque já eras!”

“Ando meio desafiador, / Escrevendo versos estranhos, / Em linguagem cifrada, / Desafiando sujeitos ocultos / Em paradeiros desconhecidos, / Para ver se descobrem, / Espalhadas por aí, / Diferentes versões de mim mesmo...”

“As recordações se aguçam, / Nessas noites que soluçam, / Prolongando-se horas a fio, / A perpetuarem esse vazio, / Esse frio gélido, assustador, / Cada vez mais ameaçador, / Cercado de assombrações, / E inesquecíveis recordações...”

“Ao final desses 365 dias, / Uma nova contagem é iniciada, / Como se começasse uma nova era, / E não apenas um novo dia, / Nesse calendário inventado / Para facilitar a contagem do tempo, / E das saudades...”

“E ainda é de você que eu preciso, / Para acabar com esse triste jejum, / Que há tanto tempo se arrasta, / Nessas memórias resumidas numa só frase, / Pois minha alegria aparente contrasta / Com a tristeza desse caso de amor que ficou no quase...”

“Aproxima-se a meia-noite / De mais um ano que se finda, / Na dança das horas / Que não se completam, / No fim de mais um ciclo, / Após o qual nada resta, / Exceto resquícios de nada, / Ou restos do que não se acabou, /

Nessa dança incerta das horas, / Nesse relógio que não se completa,”

“Quando dizes que me amas, / Inspiras-me novos poemas, / Pois sou um inventor de rimas, / E, quando teu corpo ao meu somas, / Ocorrem-me fatalmente mais algumas!”

“Se álbum dia nos cruzarmos na rua, / Faça de ponta que não me conhece, / E que trunca sequer me viu antes, / Como se ramais nos houvéssemos amado, / E trocado nossos pruridos corporais!”

“Memórias de fatos que não ocorreram, / Em cada déjà vu que me ocorre, / Vejo coisas que não deveria, / Fugidas de hospitais psiquiátricos, / Depois de, por décadas, abandonadas, / Perdidas entre dimensões em 4D,”

“Make love with you / All through one night / Is all I wanna do, / You and me in a flight / Thru a dream, escaping from sorrow / In infinite kisses, / Even if tomorrow / We go back to abysses / Of this life so insane, / But I’ll never forget your rhyme, / You’ll always be in my brain / Until the end of time...”

Características

Número de páginas 127
Edição 1 (2022)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Idioma Português

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor

MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, com mais de 140 livros publicados, todos eles pelo Clube de Autores e pela Amazon, exceto "Poeticamente teu", da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU (da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO)

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

79. CRONOS ENLOUQUECEU!

80. OLYMPUS: LIVRO VIII - MUSAS E MEDUSAS

81. SOMBRAS QUE RESTARAM DE NÓS

82. EROTIQUE 7

83. A CAIXA DE TINTAS DE DEUS

84. PONTES PARA LUGAR NENHUM

85. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES

86. HISTÓRIAS QUE A NOITE NOS TRAZ

87. VESTÍGIOS DE UM FOGO QUE SE APAGOU

88. ARTÍFICE DE VERSOS

89. O TEMPO, ESSE CARRASCO

90. OLYMPUS: LIVRO IX - ESPARTA

91. ESSA SOMBRA EM TEU OLHAR

92. OS OLHOS MÁGICOS DA POESIA

93. VERSOS QUE JAMAIS ESQUECI

94. LÁGRIMAS PROSCRITAS

95. EROTIQUE 8

96. UMA HORA ANTES DO FIM

97. POR TRÁS DA MÁSCARA BRANCA

98. PER...VERSOS AO ANOITECER

99. SOB O OLHAR DE UM POETA

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR

101. ESTILHAÇOS DE POEMAS

102. OLYMPUS: LIVRO X - NINFAS

103. TODAS AS ESTAÇÕES DA ALMA

104. LEMBRANÇAS DE UM FUTURO DISTANTE

105. EROTIQUE 9

106. AO DOCE SOM DE UM BOLERO

107. NÁUFRAGOS NA NOITE SEM FIM

108. A FONTE DO LIRISMO

109. RETRATOS DO DESENCONTRO

110. OLYMPUS: LIVRO XI - CENTAUROS

111. MEMÓRIAS DE NUNCA

112. UM GRITO PRESO NA ALMA

113. NOS OLHOS DE UM POEMA

114. EROTIQUE 10

115. SOB O OLHAR DE UM POETA 2

116. EM ALGUMA OUTRA GALÁXIA

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE

118. AS LÁGRIMAS QUE NÃO SECARAM

119. VIAGEM AO FUNDO DO OLHAR

120. OLYMPUS: LIVRO XII - MARATHON

121. A QUESTÃO QUE NÃO SEI FORMULAR

122. MICRO UNI-VERSOS

123. AS LUAS QUE NO CÉU FLUTUAM

124. O DOCE UIVO DOS VENTOS

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (VOL. 2)

126. O DESTINO NÃO MANDA MENSAGEM

127. EROTIQUE 11

128. UM ADEUS COM HORA MARCADA

129. UM SONHO DO QUAL EU NÃO QUIS ACORDAR

130. OLYMPUS: LIVRO XIII - TEBAS

131. O PEDAÇO DE MIM QUE ROUBARAM

132. PERDIDO NAS DOBRAS DO TEMPO

133. ESSA INDECIFRÁVEL SOLIDÃO

134. UM INSTANTE ANTES DE NUNCA

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS

136. EROTIQUE 12

137. DESCONSTRUINDO MUROS DE ILUSÃO

138. EXCETO A NOITE 139. DIRETO AO CORAÇÃO

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

EDIÇÕES ESPECIAIS:

015. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

046. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA (400 POEMAS PARA A JUVENTUDE)

056. O LADO NEGRO DA POESIA (150 POEMAS SOMBRIOS)

085. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES (200 POEMAS ONDE O VENTO É PERSONAGEM)

099. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 1)

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR (400 POEMAS DE AMOR)

109. RETRATOS DO DESENCONTRO (200 POEMAS LONGOS SOBRE ENCONTROS E DESENCONTROS)

115. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 2)

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 1)

122. MICRO UNI-VERSOS (250 POEMAS CURTOS)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 2)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE VOL. 2

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS (150 POEMAS SOBRE DESPEDIDAS)

139. DIRETO AO CORAÇÃO (150 POEMAS EMOCIONANTES)

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA (150 POEMAS SOBRE SOLIDÃO)

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

SÉRIES:

OLYMPUS - 15 VOLUMES (CADA UM COM 300 POEMAS)

EROTIQUE - 13 VOLUMES (CADA UM COM 50 POEMAS SENSUALMENTE LÍRICOS)

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

• “1001 Poetas” (2022), da Câmara Brasileira de Livros, com o poema “Coração Azevedo”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: cygnusinfo@gmail.com

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 72,91
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 55,08
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 52,81
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 70,62
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 53,43
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 75,77
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 53,62
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 73,50
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 61,83
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 52,81
Ebook
R$ 27,01
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários