HISTÓRIAS SURREAIS

Por MARCOS AVELINO MARTINS

Código do livro: 642213

Categorias

Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento

Compartilhe este livro
Esta página foi vista 552 vezes desde 05/02/2024
Versão
impressa
R$ 53,62
Valor total:
R$ 53,62
Versão
ebook
R$ 30,40
Leia em Pensática
Valor total:
R$ 53,62
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:

Sinopse

144º livro do autor das séries "OLYMPUS" (em 16 volumes com 300 poemas em cada um) e "EROTIQUE" (em 13 volumes com 50 poemas em cada um).

Alguns trechos:

"Algumas de minhas histórias

Têm um lindo final feliz,

Outras delas, nem tanto.

Algumas são tristes memórias

E deixaram alguma cicatriz,

Mas outras, são cheias de encanto."

"Éramos poucos mais que crianças,

E eu já te amava,

Muito antes de saber o que é o amor,

Naqueles dias de pura inocência,

Meu coração pulsava quando te via,

Parecendo que iria pular do meu peito,

E eu te abraçava, e te dizia:

'Um dia, eu vou me casar com você'!"

"Encante-me pela sua criatividade,

Esqueça o que nos livros aprendeu,

Prenda-me pela sua voracidade,

Nesta noite, só existimos você e eu..."

"E agora, apenas alguns anos depois,

Apareceu você, que dela é um clone,

Quase igual, exceto o sorriso,

E que me olha como ela olhava,

E, tão perto estamos nós dois,

Que disco o número dela em meu telefone,

E o seu celular chama, com o toque que ela usava!"

"Se a última lágrima rolar,

Pelo teu indecifrável olhar,

Um último beijo triste me dês,

Depois disto, na derradeira vez,

Que os teus olhos naufraguem nos meus,

No fim que chamam por aí de adeus!"

"Espalhei sementes de Poesia pelos caminhos,

Esperando que elas algum dia frutificassem,

Como numa esquecida história em quadrinhos,

E por todos os cantos elas se espalhassem..."

"Não me jogues culpas que não tenho,

Pois a decisão de partir terá sido apenas tua,

Assim como os remorsos

(Se existirem),

E eu, apenas virarei a página,

Desse capítulo de minha vida,

Que jamais será lido de novo,

Pois nunca gostei de flashbacks,

Exceto de músicas e filmes,

Mas não de relacionamentos,"

"Foi então que descobri um segredo,

Arrancado do fundo de minha alma:

Eu te amava, desde sempre,

Mas nunca tivera a coragem de te dizer.

Minutos depois, estava em frente à tua casa,

Prestes a tocar a campainha,

E, com os olhos rasos d'água,

Pronto para te confessar esse segredo.

E então, abriste a porta,

Ainda tão linda e desejável,

E te jogaste em meus braços,

Apertando-me em prantos."

"Quando eu era criança,

Cheio de alegrias e esperança,

Em um sonho em que meu destino sondou,

Deus suavemente me perguntou

O que eu queria ser quando crescesse,

Qual seria a minha área de interesse,

Mas eu ainda não sabia

De minha propensão para a Poesia,

Então lhe respondi ligeiro

Que queria ser Engenheiro!"

"O tempo passou, e eu me formei em Solidão,

E você, continua a me jogar indiretas,

Como se isto pudesse mudar minha opinião,

Ou esquecer de vez minhas paixões secretas!"

"Sem que eu me desse conta,

Sonhava com você quase todos os dias,

Quando percebi, já era tarde demais

Para espantar aquele invasor implacável

Que chamam por aí de amor..."

"Deverias ter vergonha

Por teres me deixado assim,

Abandonado às intempéries do amor,

Como alguém traído assim ainda sonha,

Depois de ter se rebelado num motim

O seu próprio coração traidor?"

"Naveguei contra as correntezas,

Pelo oceano das desilusões,

Onde se afogaram minhas certezas,

E foram sepultadas minhas paixões...

E naquele oceano bravio,

Palco de ferozes furacões,

Espreitava-me um futuro sombrio,

Cheio de tristezas e decepções..."

"Tu deves ser alguma feiticeira,

Com morcegos, vassoura e um caldeirão,

E me enfeitiçaste pela minha vida inteira,

Rogando-me uma praga de imensa paixão!"

"Só então tenho um flash,

E descubro que mudei de nível,

Num outro plano de existência,

Onde minha alma pode voar,

Livre, leve e despercebida,

Deixando para trás aquele corpo inerte,

Onde jaz um coração que já não me pertence..."

"Enfrento qualquer obstáculo

Para desvendar seu corpo, verdadeiro espetáculo,

Que a mim se oferece,

Nesses jogos que a noite tece,

Deliciosamente despida,

Nesses momentos mais doces da vida,"

"Mas essa minha busca nunca termina,

E já estou quase desistindo,

Meu carro velho ficou sem gasolina,

Mal me lembro do teu sorriso lindo...

Meu relógio antigo ficou sem pilha,

Perdi por completo a noção das horas,

Mais um fracasso junto aos outros se empilha,

Mais uma noite infinita a engolir minhas auroras!"

"E é nesta última dúvida

Que me ancoro

Para tentar mudar de pensamentos,

Pois não tenho esperança,

E sei que tens alguém

Que te possui loucamente,

Como fantasio em minhas noites solitárias..."

"Tentando ressuscitar memórias que já faleceram,

Ou sensações que nossos cérebros já quase esqueceram...

Desse mal sinistro ainda não descobriram a cura,

Mesmo que milhares de cientistas dela estejam à procura,

Será que, algum dia, inventarão uma vacina de verdade

Para essa doença que chamam por aí de saudade?"

"Nunca mais teria com você tão lindos devaneios,

Nem nenhum sentimento que por todo o corpo se alastre,

Mas assim costuma ser o final de paixões desenfreadas,

Como uma batida de caminhões sem freios,

Depois da qual nada sobrou do desastre,

Exceto pedaços de nossas almas chorando nas madrugadas..."

"Nosso caso de amor

Teve início, meio e final

E deixou rastros em mim,

Indeléveis e inesquecíveis,

Tantas boas lembranças

Que na memória perduram,"

"Olhares de interesse pouco duram,

Exceto por algum tempo fugaz,

E logo migram para algum porto seguro.

Relacionamentos sem amor não perduram,

E não resistem ao tempo voraz,

Pouco têm de passado, e nenhum de futuro..."

"Há certas coisas

Que gostaria de te confessar,

Mas tenho receio

De que as deturpes,

Pois alguns segredos são inconfessáveis,

E devem permanecer guardados

No fundo da alma,

Trancados a sete chaves,"

"Por que Deus permitiu que a raça humana

Por todo esse lindo planeta se espalhasse,

Dizimando em sua sanha espécies inteiras,

E espalhando a violência em todos os lugares?

Até quando seguirá essa estupidez insana,

O ódio estampado em cada face,

Nos olhos tampados por imensas viseiras,

Enquanto o terror invade quase todos os lares?"

"Em meus sonhos, continuas presente,

Exalo teu perfume cada vez que respiro,

Como poderia te expurgar completamente,

Sem me lembrar de ti, até o meu último suspiro?"

"Foi sem estrépito

Que fui me tornando decrépito,

Esquecendo-me do que não poderia

E lembrando-me do que não deveria!

Não levo nenhum crédito,

Pois isto não é nada inédito,

Acontece a todas as pessoas

De repente se esquecerem das coisas boas!"

"Algumas lembranças em meu cérebro implantadas

Contam histórias que jamais aconteceram,

Sobre grandes farras nas madrugadas,

Ou sobre amores que há muito morreram.

Será que essas memórias são mesmo de verdade,

E relatam fatos que minha mente esqueceu,

Sobre paixões que beiraram a insanidade,

Ou sobre algum grande amor que morreu?"

"Nosso relacionamento não deu certo,

Mas isto não significa que não deixou rastros,

Mesmo se estiver sozinho no meio do deserto,

Vejo o brilho de seus olhos, entre os astros...

E segue pela vida essa dicotomia,

Não se eu a esqueço ou se a recordo,

Se você se entranhou em minha Poesia,

E de seu rosto me lembro, quase toda vez que acordo?"

"No dia seguinte, tudo já seria diferente,

Cada um de nós em vias de iniciar algum serviço,

E sem querermos assumir nenhum outro compromisso,

Aquela magia entre nós poderia desaparecer subitamente,

E, quando fui te cumprimentar, sem aviso tua boca beijei,

E, depois daquele beijo quando eu te peguei de surpresa,

Libertaste a frase que em teus lábios estava presa:

- Por que nunca desconfiaste que sempre te amei?.

Ao ouvir aquela confissão espontânea,

Eu te abracei novamente, e te beijei outra vez,

Trocando pela euforia minha maldita timidez,

Diante daquela tua revelação instantânea,

E saímos daquela festa pela primeira vez de mãos dadas,

Um sorriso imenso a bailar nos lábios de cada um de nós,

A emoção da revelação a embargar nossa voz,

E o desejo enfim desafogado, na primeira de nossas tantas madrugadas!"

"Em um mundo perfeito,

Caso algo assim existisse,

A paz reinaria para sempre,

Não haveria roubos e assassinatos,

E você não teria jamais morrido

Antes de mim..."

"Estava Deus em Seu ateliê divino,

Numa pausa entre múltiplos projetos cósmicos,

Quando, por algum motivo qualquer,

Lembrou-se de um mundo mágico que criara

Bilhões de anos atrás,

Num braço perdido de uma das infinitas galáxias,

Em cujo projeto realmente caprichara,

Planejando uma escala lenta de evolução

Que algum dia provocaria o surgimento de um ser diferenciado,

Provido de uma inteligência acima da média,

E que um dia se tornaria a espécie dominante,

E, com seu intelecto superior, no futuro seria capaz

De construir naves interestelares,

E talvez difundir a paz em alguns mundos,

E por eles espalhar a Sua palavra..."

"Nada havia a fazer,

Nada restara para dizer,

O que eu poderia fazer já foi feito,

O que haveria a dizer já foi dito,

Não era mesmo para ser,

Sua mágoa, palavras não poderiam descrever,

E não se refaz o que já foi desfeito,

Nem se ressuscita um amor proscrito..."

"Perdoe-me por não perdoá-la,

Mas não é assim que funciona,

Não pense em me meter uma bala,

Ou em me deixar na lona,

Pois mesmo assim não a perdoarei

Por ter sempre me ignorado,

O que de agora em diante eu farei,

Deixando-a completamente de lado..."

"A Arte preferida pelos seres humanos,

Aprimorada ao longo dos anos,

Não é a Pintura,

Tampouco a Escultura,

Não é a Literatura,

Essa arte de escrever romances,

Cheios de intrincadas nuances,

Não é a Fotografia,

Nem também é a Poesia,

Essa arte de fazer dos sonhos um poema,

Também não é o Cinema,

E não é também o Desenho!"

"Como foi que nunca percebi antes

Nas sombras de seu olhar radiante

A tristeza que nele vejo que habita?

Como não vi em teus olhos brilhantes

Essa chama a arder fumegante,

Em cada vez que você me fita?

Devagar, olhos nos olhos, de você me aproximo,

E em meus braços gentilmente a acolho,

E nunca estivemos assim tão perto,

Então, seus lábios com os meus docemente comprimo,

E o mel de sua boca encarnada recolho,

Encantado pelo seu lindo segredo, enfim descoberto..."

"Palavras não mudam o mundo, somente as pessoas,

Principalmente àquelas que com tua voz abençoas,

Quando ouvem de ti algo que nunca ouviram,

E que as fazem enxergar algo que nunca viram,

Mas o alcance da nossa voz é bem limitado,

Não importa a profundidade do assunto abordado,

Alguns dias depois, ninguém se lembra mais,

Somente poucas frases lidas ou ouvidas se tornam imortais..."

"Cale-se!

Não derrame

A última gota de água,

Não profira

Aquela palavra maldita,

Não passe por mais um vexame,

Não transborde o cálice

Já tão cheio de mágoa,

Não me fira

Com essa sua ira infinita,"

"Entre esses torpes seres,

Estão quase todos os políticos,

Que passam o tempo arrecadando propinas,

Em esquemas torpes para alimentar seus prazeres,

Pois políticos honestos são seres míticos,

Tão raros quanto elefantas albinas!"

"Não me atrapalhe,

À sua estupidez não me nivele,

Entre os idiotas como você não me asile,

Com essa cara de desentendido não me olhe,

No poço da estupidez humana mergulhe!"

"Essa coisa que rola

Pelo meu rosto cansado

Não é uma lágrima,

Deve ser um cisco no olho

Que a provocou...

Não se preocupe,

Às vezes acontece,

Quando chego em casa,

E me perco no silêncio

Que ecoa em todas as coisas,"

"Quando me olhas com esse sorriso insinuante,

Sei que vou ganhar o melhor presente,

E acordarei com o melhor humor na manhã seguinte,

Mas a condição de que a ninguém eu nunca conte,

Mesmo que alguém indiscreto me pergunte!"

"E a culpa também é minha,

Afinal, custei a reconhecer os sinais,

E não adotei nenhuma medida

Para reacender aquela chama,

Ou minimizar os danos,

E agora já é tarde demais,

Nada nos resta senão preparar o velório

Para sepultar as cinzas de um amor que morreu..."

"Esse teu olhar me congela,

Um iceberg sem emoção,

Deixando-me à mercê de tuas ondas,

Que me jogam de um lado para o outro,

Sem barco e nem salva-vidas,

Sem amor e nem ilusões..."

"O ódio é a antítese do amor,

E seu mais mortal inimigo,

Pois ambos não podem coexistir,

O mesmo corpo não frequentam...

O ódio é um sentimento destruidor,

Dentre os venenos da mente, o mais antigo,

E, se não for controlado, pode destruir

Paixões, que em sua presença se ausentam..."

"Já perdi as esperanças

De algum dia revê-la

Sem essa mágoa em seu olhar,

Que me acusa do que não fiz,

Mas é inútil tentar me defender,

Pois contra ideias preconcebidas

Não há argumento que as supere,"

"Não adianta de toda a sua roupa se despir,

Em mais uma inútil tentativa de me seduzir,

Eu e você vivemos em mundos diferentes,

Enxergo o enorme vazio atrás de suas lentes!"

"Tudo vai bem se ficas calada,

Mas parece que não o consegues,

E, quando abres a boca, vociferas,

Deixando a noite apavorada

Com os impropérios com os quais me persegues,

Fazendo o outono cair sobre minhas primaveras."

"Nesse pesadelo que me abraçou,

As noites não cederam às manhãs,

E permaneceram, intermináveis,

Num sonho louco que não acabou,

Que devorou até minhas crenças cristãs,

Que sucumbiram a esses dias inomináveis..."

"In these enchanted moments,

Our bodies immersed in each other,

During this blessed time,

That inspires the most beautiful verses,

To celebrate love in an infinite poem,

So eagerly intertwined,

That seems to last only a second,

Intimately connected,

While the world spins around us..."

Características

ISBN 9798878580656
Número de páginas 126
Edição 1 (2024)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Idioma Português

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor

MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, com mais de 140 livros publicados, todos eles pelo Clube de Autores e pela Amazon, exceto "Poeticamente teu", da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU (da Coleção Prosa e Verso 2019 da Prefeitura de Goiânia - GO)

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

79. CRONOS ENLOUQUECEU!

80. OLYMPUS: LIVRO VIII - MUSAS E MEDUSAS

81. SOMBRAS QUE RESTARAM DE NÓS

82. EROTIQUE 7

83. A CAIXA DE TINTAS DE DEUS

84. PONTES PARA LUGAR NENHUM

85. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES

86. HISTÓRIAS QUE A NOITE NOS TRAZ

87. VESTÍGIOS DE UM FOGO QUE SE APAGOU

88. ARTÍFICE DE VERSOS

89. O TEMPO, ESSE CARRASCO

90. OLYMPUS: LIVRO IX - ESPARTA

91. ESSA SOMBRA EM TEU OLHAR

92. OS OLHOS MÁGICOS DA POESIA

93. VERSOS QUE JAMAIS ESQUECI

94. LÁGRIMAS PROSCRITAS

95. EROTIQUE 8

96. UMA HORA ANTES DO FIM

97. POR TRÁS DA MÁSCARA BRANCA

98. PER...VERSOS AO ANOITECER

99. SOB O OLHAR DE UM POETA

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR

101. ESTILHAÇOS DE POEMAS

102. OLYMPUS: LIVRO X - NINFAS

103. TODAS AS ESTAÇÕES DA ALMA

104. LEMBRANÇAS DE UM FUTURO DISTANTE

105. EROTIQUE 9

106. AO DOCE SOM DE UM BOLERO

107. NÁUFRAGOS NA NOITE SEM FIM

108. A FONTE DO LIRISMO

109. RETRATOS DO DESENCONTRO

110. OLYMPUS: LIVRO XI - CENTAUROS

111. MEMÓRIAS DE NUNCA

112. UM GRITO PRESO NA ALMA

113. NOS OLHOS DE UM POEMA

114. EROTIQUE 10

115. SOB O OLHAR DE UM POETA 2

116. EM ALGUMA OUTRA GALÁXIA

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE

118. AS LÁGRIMAS QUE NÃO SECARAM

119. VIAGEM AO FUNDO DO OLHAR

120. OLYMPUS: LIVRO XII - MARATHON

121. A QUESTÃO QUE NÃO SEI FORMULAR

122. MICRO UNI-VERSOS

123. AS LUAS QUE NO CÉU FLUTUAM

124. O DOCE UIVO DOS VENTOS

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (VOL. 2)

126. O DESTINO NÃO MANDA MENSAGEM

127. EROTIQUE 11

128. UM ADEUS COM HORA MARCADA

129. UM SONHO DO QUAL EU NÃO QUIS ACORDAR

130. OLYMPUS: LIVRO XIII - TEBAS

131. O PEDAÇO DE MIM QUE ROUBARAM

132. PERDIDO NAS DOBRAS DO TEMPO

133. ESSA INDECIFRÁVEL SOLIDÃO

134. UM INSTANTE ANTES DE NUNCA

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS

136. EROTIQUE 12

137. DESCONSTRUINDO MUROS DE ILUSÃO

138. EXCETO A NOITE 139. DIRETO AO CORAÇÃO

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

EDIÇÕES ESPECIAIS:

015. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

046. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA (400 POEMAS PARA A JUVENTUDE)

056. O LADO NEGRO DA POESIA (150 POEMAS SOMBRIOS)

085. VELAS SOLTAS AOS VENTOS SOLARES (200 POEMAS ONDE O VENTO É PERSONAGEM)

099. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 1)

100. TODOS AQUELES VERSOS DE AMOR (400 POEMAS DE AMOR)

109. RETRATOS DO DESENCONTRO (200 POEMAS LONGOS SOBRE ENCONTROS E DESENCONTROS)

115. SOB O OLHAR DE UM POETA (300 POEMAS SOBRE A POESIA - VOL. 2)

117. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 1)

122. MICRO UNI-VERSOS (250 POEMAS CURTOS)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE (200 POEMAS SOBRE SAUDADE - VOL. 2)

125. UM TORNIQUETE CHAMADO SAUDADE VOL. 2

135. AQUELA PALAVRA CHAMADA ADEUS (150 POEMAS SOBRE DESPEDIDAS)

139. DIRETO AO CORAÇÃO (150 POEMAS EMOCIONANTES)

140. A SOLIDÃO QUE NUNCA SE ACABA (150 POEMAS SOBRE SOLIDÃO)

141. UM ESPECTRO PERDIDO NA ESCURIDÃO

142. EROTIQUE 13

143. OLYMPUS: LIVRO XIV - ATENAS

144. HISTÓRIAS SURREAIS

145. SOB O OLHAR DE UM POETA 3

SÉRIES:

OLYMPUS - 15 VOLUMES (CADA UM COM 300 POEMAS)

EROTIQUE - 13 VOLUMES (CADA UM COM 50 POEMAS SENSUALMENTE LÍRICOS)

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

• “1001 Poetas” (2022), da Câmara Brasileira de Livros, com o poema “Coração Azevedo”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: cygnusinfo@gmail.com

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 72,91
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 55,08
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 52,81
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 70,71
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 53,43
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 75,77
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 73,50
Ebook
R$ 30,40
Impresso
R$ 61,83
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 52,81
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 52,48
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 59,20
Ebook
R$ 27,01
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 41,97
Ebook
R$ 24,98
Impresso
R$ 42,30
Ebook
R$ 25,08
Impresso
R$ 39,06
Ebook
R$ 21,36
Impresso
R$ 38,80
Ebook
R$ 22,26
Impresso
R$ 65,77
Impresso
R$ 47,42
Ebook
R$ 24,75
Impresso
R$ 47,06
Ebook
R$ 23,62
Impresso
R$ 39,78
Ebook
R$ 27,01
Impresso
R$ 46,56
Ebook
R$ 24,75
Impresso
R$ 56,56
Ebook
R$ 23,62
Impresso
R$ 53,75
Impresso
R$ 62,77
Ebook
R$ 27,01
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários