NUNCA MAIS TEUS BEIJOS
POEMAS
Categorias
Poesia, Literatura Nacional, Entretenimento
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 131 vezes desde 01/04/2020
Versão
impressa
R$ 43,41
Valor total:
R$ 43,41
Versão
ebook
R$ 17,22
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 43,41
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

68ª obra do autor dos seguintes livros, todos eles publicados no Clube de Autores e na Amazon:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

11. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA)

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III – APHRODITE, APOLLO, EREBUS, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV – PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V – THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

Alguns trechos:

“Não quero teus beijos nunca mais, / Cansei-me de ser por ti magoado, / E depois consolado por beijos sensuais, / Para que deixasse a mágoa de lado!”

“Seu amor era volátil, / E súbito se desintegrou, / Sua paixão era retrátil, / Foi-se e nunca voltou!”

“Sou um bardo / Felizardo / Carregando segredos / Na ponta dos dedos / Disfarçados de Poesia”

“Ah, Poesia, fique bem à vontade, / Conte-me segredos do fundo do baú, / Ainda que nem sejam verdade, / Voe comigo na imensidão desse azul!”

“Talvez a mais linda flor / Já não tenha nada a desabrochar, / Talvez morra por amor, / Antes da Lua se ocultar!”

“Que espécie de estupor causaria essa magia, / Se sempre vivemos em mundos diversos, / Você no Olimpo, eu junto às minas terrestres, / Como você se interessaria por Poesia, / E seus olhos brilhariam por meus versos, / Bem distantes daqueles dos grandes mestres?”

“Sorris, mais um gole de vinho bebes, / E te aproximas, devagar, / Um sorriso cínico no olhar, / E me saúdas com um beijo ardente, / Enquanto me encostas, indecente, / Num beijo que inicia uma sequência / De carícias cheias de urgência,”

“Você se foi, mas nem parece, / Ainda ouço tua meiga voz ao relento, / E todos os dias, quando anoitece, / Escuto tua risada, nos uivos do vento!”

“Conta-me como faço para deixar essa página virada, / Mas acho que agora já é tarde demais, / Em minha mente, ficaste para sempre impregnada, / E inventei a Poesia, só para não te esquecer nunca mais...”

“Olho para esse ser que me fita / Pelo espelho, e que mal reconheço, / De onde veio essa tristeza infinita, / Quando foi que ela teve começo?”

“Depois que você me beijou, / Não me restou ambição nenhuma, / Só queria continuar lhe beijando, / Enquanto vida houvesse!”

“Esse novo vírus / Que anda por aí circulando / Desafiando vacinas e antivírus / E o mundo inteiro apavorando / Devia tomar vergonha / Pois onde é que já se viu / Um minúsculo ser que nem sonha / Extinguir os abraços dessa forma tão vil?”

“Já não tenho lágrimas para verter, / A última lágrima foi derramada, / Já não temos milhas para percorrer, / Chegamos ao fim da jornada.”

“Ando numa secura danada, / A minha vista anda fraca, / O meu gás acabou. / Aproxima-se o fim da jornada, / A minha vida anda uma caca, / Até meu relógio parou!”

“Enquanto isto Arminda não acontece, / Minha Karen de rugas anda cheia, / Todo Dina essa saudade maluca cresce, / E meu Conceição pela tua volta anseia!”

“Às vezes, a tristeza aparece, / Mas só fica se você deixar, / E se abandonar às recordações, / A uma lembrança que lhe entorpece, / E eu me recuso a deixá-la ficar, / E mandar embora minhas ilusões!”

“Aquele tiro numa noite estragada, / Onde amantes se jogaram embaixo da cama, / Transformando sua paixão em um drama, / Mais um pequeno crime numa noite perdida, / Apenas outro incidente idiota nessa droga de vida...”

“Quando cheguei em casa e descobri / Que ela de repente se fora / Veio uma dor avassaladora / E então meus olhos cobri / Para secar as lágrimas que não havia / E no que restou daquele longo dia / Percebi que nem um bilhete deixara / E nenhum objeto dela ficara”

“Um poeta / É um acurado esteta / Sempre a procurar a beleza / Onde ela nem mesmo existe / Mas com crises monumentais de tristeza / Por isto às vezes escreve o poema mais triste / Capaz de tirar até pica-pau do oco / Mas logo a alegria vem e dá o troco”

“Como pode acusar-me disso, / Se você era tudo o que eu queria, / Como pode acusar-me de omisso, / Se foi sua ausência que me legou a Poesia?”

“Foi um desastre inesperado / O nosso encontro tão aguardado: / Nossas almas não se encaixaram / E depois, nunca mais se encontraram!”

“A vida é uma peça de teatro, / Que nos deixa de quatro / A cada vez que terminamos / Com a pessoa que amamos, / E, cada vez que a cortina se cerra, / Uma nova ilusão se encerra, / E, quando os atores se encaram, / Antigas feridas abertas não saram...”

“O vento faz curvas incríveis / Somente para tocar-me o ouvido / E contar-me histórias extraordinárias / Que ouviu quando estava a passar / Sobre grandes amores impossíveis / Amantes contumazes que perderam a libido / Ou histórias sobre cortesãs lendárias / Que se dividiam entre a cama e o altar”

“Danem-se as convenções / Sobre insuspeitas paixões, / E essas idiotas críticas / Sobre minhas convicções políticas.”

“Paixões não nascem assim, tão avassaladoras, / Mas costumam ir num crescendo, / Às vezes se revelam fora de hora, traidoras, / Mas eu te amo desde que por gente me entendo!”

“Ela se foi, sem deixar nem refrão, / Levou até meu velho violão, / Junto com todos os seus pertences, / Deixando-me só, nas noites goianienses!”

“Antes que a última bomba exploda, / Um dia antes dos mísseis cruzarem os céus, / Quero estar em tua doce companhia, / Compartilhando essa emoção toda, / Desvendando do amor todos os véus, / Numa última noite de amor e Poesia...”

“Amores deixam impressões digitais / Reconhecíveis / Memórias e ocultos sinais / Inconfundíveis / Palavras e versos banais / Intraduzíveis / Promessas sensuais / Irreprimíveis / Seguidas de olhares fatais / Inconcebíveis”

“Tu olhas através de mim, / Como se eu nem mesmo existisse, / Ou estivesse em Pequim ou Berlim, / E ficas sem saber o que nunca te disse!”

“Teu amor é uma canoa furada, / Declino dessa missão suicida, / És apenas uma página virada / No livro de minha vida.”

“De uma estrela que chamamos Sirius B, eles vieram, / Em dias de um passado remoto, / E entre nossos antepassados estiveram, / Causando o impacto de um terremoto. / Suas naves eram confundidas com dragões, / E seus trajes espaciais, com vestes cerimoniais, / Ao voarem, pareciam navegar através de trovões, / Deixando maravilhados nossos ancestrais.”

“Para que irmos à guerra / Tanto ódio, tanta revolta, / Tanto sangue em nossas mãos? / Para que incendiarmos a Terra / Com esse caminho sem volta, / Se afinal somos todos irmãos?”

“Ela chegou sem que eu a esperasse, / Cheia de sorrisos e olhares, / Esperando que eu a convidasse / Para mergulhar em meus mares, / Profundos e cheios de segredos, / Confidenciados a mim pela Poesia, / Disfarçados em intrincados enredos,”

“Vamos juntos cavalgar as horas, / Enquanto a lua brilha sobre o mar, / Crave em meu dorso suas esporas, / Grite de prazer, enquanto a noite durar!”

“Mas, enquanto isto não acontece, / Devo me conformar em perdê-la, / E, em cada vez que anoitece, / Preciso me lembrar de esquecê-la.”

“Essa imagem que o espelho captura, / Onde paira o amor do qual não cuidara, / Revela a minha dúvida mais obscura: / Será porque jamais te olvidara?”

“E, por toda essa noite obscena, / Aproveite essa doce travessura, / Dê-me uma overdose de sua pele morena, / Nesse quarto de onde se evadiu a censura!”

“Antes que surja o Sol, / Enquanto a lua anda alta, / Ligue-me, dê um call, / Confesse que de mim sente falta!”

“Hoje, bem distante do Halloween, / Conte em segredo para mim: / Você prefere gostosuras / Ou travessuras?”

“Esse filme estranho que assisto, / Solitário sob a luz de neon, / Traz uma tristeza à qual não resisto, / Uma oitava acima do som!”

“Esse corte por onde meu sangue se esvai, / Jorrando em borbotões pela calçada, / Carrega minha vida, que por ele sai, / No fim dessa minha longa jornada!”

“Se você me chamar, eu não voo, / Dois cansei de ser desprezado, / De você amora só tenho enjoo, / E só faz Marte de meu passado!”

“Enquanto te despes sensualmente, / Gravo tua imagem em minha mente, / Ponto a ponto, pixel por pixel, / Nenhuma outra chegou ao teu nível, / Que me fizesse transpirar assim, / Um anjo a poucos passos de mim, / Tirando devagar roupas e asas,”

“E se, mesmo no limiar da loucura, / Ainda que um psiquiatra me dê um atestado, / Se alguém me oferecer uma cura, / Preferirei continuar louco, se for ao teu lado...”

“Mas deixemos isto para lá, meu bem, / Nesta noite linda, quero invadir um trem, / Ou quem sabe até mesmo um navio, / Mas hoje à noite nem está muito frio, / E toda essa cerveja me deixou meio tonto, / Por isto, antes de encerrar esse louco conto, / Quero em teus beijos o resto da noite me afogar, / E despertar, sóbrio, mergulhado em teu mar...”

“Quando apertei a tua mão tão quente, / E vi aquele teu sorriso encantador, / Descobri que o que bailava em minha mente / Era somente o chamado do amor...”

“Filhos e netos são agora a sua realidade, / Faça a sua parte para que sejam felizes, / Para que, quando você partir, tenham saudade, / E que os momentos alegres suplantem os deslizes.”

“Será que essa loucura que vi num relance, / Quando o espelho se quebrou, sem que eu saiba por quê, / Nesses múltiplos Universos, terei uma nova chance, / E em alguma dessas realidades, ainda tenho você?”

“She leaved and with her my soul is gone / Dark shadows had cover the moon, / I hear in the night the ring of her phone, / And our hearts beat together in the same tune.”

Características
Número de páginas 109
Edição 1 (2020)
Formato A5 (148x210)
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Fale com o autor
MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, já com 63 livros publicados, pelo Clube de Autores e pela Amazon.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: [email protected]

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 45,08
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 42,64
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 41,98
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 42,55
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 64,47
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 42,46
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 42,78
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 64,69
Ebook
R$ 20,45
Comentários
0 comentários