Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
OS RIOS QUE FOGEM DO MAR
POEMAS
Categorias
Poesia, Literatura Nacional
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 338 vezes desde 02/01/2019
Versão
impressa
R$ 42,44
Valor total:
R$ 42,44
Versão
ebook
R$ 17,22
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 42,44
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

48º LIVRO DO AUTOR DE:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

11. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS – 200 SONETOS (OU COISA PARECIDA) DE AMOR (OU COISA PARECIDA”)

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III – APHRODITE, APOLLO, EREBUS, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

Alguns trechos:

“Seduzem-me as tuas correntes, / Que docemente me tocam / E roçam-se no escuro as nossas mentes, / E trocam-se nossos sedutores olhares, / E tuas risadas gostosas me provocam, / Mas e se eu não voltar de teus mares?”

“Beijos podem ser fogosos / Ou furiosos / Podem ser ardentes / Ou frementes”

“Escondo-me entre torres de marfim, / Entre as quais camuflo a verdade: / Vivo para sempre aprisionado em mim, / Nas masmorras de minha saudade...”

“E, quando nos separamos com pesar, / Pois um novo dia nos impõe novos desafios, / Espero até que chegue a hora de te reencontrar, / Para de novo desbravar os teus oceanos bravios...”

“Nesses teus olhos cravejados de astros, / Meu olhar poético passeia, sonhador, / Tentando encontrar os doces rastros / De algum perdido rastilho de amor...”

“Saudade é arrumar a roupa / De alguém que nunca mais voltará! / É quando a vida não nos poupa / Dessa dor como outra não há!”

“Um dia, teria mesmo de acontecer, / Desde sempre isto estava escrito! / E hoje, mesmo antes de anoitecer, / Li meu destino em seu olhar infinito...”

“Devia ser proibido revirar velhos guardados, / Pois algumas coisas não poderiam voltar, / Antigas recordações são tesouros lacrados, / Que não deviam nunca mais nos assombrar!”

“Hoje envergo a coisa como ela é: / E vi que iludiste este cobre bardo, / Vendeste-me um espertalhão de filé, / E recebi só frango ao olho pardo!”

“Por favor, desista e vá embora, / Esqueça que algum dia me amou, / Prefiro enfrentar a solidão lá fora / Do que aceitar a frieza que nos dominou!”

“Levei um grande choque / Quando você chegou / Com um enigma enorme / Como se eu fosse o Sherlock”

“Eu disse adeus, e fui para longe, / Tentando esquecer todo o teu encanto, / Triste e solitário como um monge, / Tentando me ausentar dessa tristeza / Que insiste em reviver o passado, / Nessa saudade que me deixou sem defesa, / Enterrando o amor que por ti foi assassinado...”

“Quem será você, que de negro se veste / E me persegue, sob a luz do luar, / E que me devora, até que nada mais reste, / Nem mesmo o meu último sonho de amar?”

“Por que você não deixa / De sugar todo o meu sangue, / Deixando-me assim exangue, / Murcho como uma ameixa?”

“Você ali, tão perto de mim, / Insinuava-me paixão em cada frase, / E eu, que sempre fui tolo assim, / Procurava por aí um amor kamikaze!”

“Caçadores andam pelas noites / Atrás de suas presas humanas, / Amantes portam balas e açoites / Debaixo de suas camas profanas!”

“E essa nossa paixão de cinema / Acabou se tornando um problema / Talvez por acidente / Ou por um motivo inocente / Não foi você nem fui eu / Simplesmente aconteceu”

“Deixa-me despertar tuas feras / Que dormiam há muitas eras / E aliviar para sempre teus medos / Com o doce toque de meus dedos”

“Fiz um incrível truque de desaparecer, / E nem o meu celular te responde, / Então nunca mais irás me repreender / Pelas lágrimas que meu olhar esconde!”

“O amor tem mesmo algo transcendental, / Quando surge, a vida dá uma guinada, / O sorriso toma o lugar do Sonrisal, / Enquanto se tenta decifrar a charada...”

“No mais furioso dos dias / Foi que você chegou, / Cavalgando um raio de sol / Que se escondeu em seu olhar, / E despertou minhas fantasias”

“Por que você invadiu meu reduto / E dele nunca mais saiu? / Por que em meu peito gravou / Com sangue o seu nome oculto / Que ninguém jamais ouviu / E que dessa forma me enfeitiçou?”

“Só restou a saudade onde havia o amor, / E essa triste ausência de nós / Até que eu morra me assombra, / E talvez também me assombre depois! / Isto é terrivelmente assustador, / E me conduz a um fim atroz, / Num abismo onde fica essa sombra, / Que foi o que sobrou de nós dois!”

“Eu te vejo em cada nuvem que passa, / E teu rosto entre as chaminés de fumaça, / Na praia, teu sorriso está entre as brumas, / E o teu corpo nu, entre as espumas...”

“Sempre que desço escadas, tropeço e caio, / Já perdi a conta das vezes em que torci o pé, / Levei um coice de um manso cavalo baio, / Tenho tanto azar que até perdi minha fé!”

“E aquela lágrima lá continua / Ainda pendente de meu olhar / Iluminada pelo quarto de lua / Que na noite foi o que restou / Uma triste sombra de um luar / Que nunca mais me inspirou”

“Quantos sonhos lhe deram adeus / Quantas pessoas queridas partiram? / As lágrimas que caíram dos olhos seus / De quantas tristezas fugiram?”

“Ando meio insone / Por sua causa, / E assisto em meu telefone / A dor que sua ausência me causa...”

“Sobraram árvores destruídas / Onde antes fora um lar / E folhas murchas espalhadas / Onde antes brilhava o luar / E rosas negras desbotadas / Onde antes um jardim florescia / E poemas que jamais foram escritos / Onde antes reinava a Poesia”

“Lembra-te de nossas mãos entrelaçadas, / E de nossos beijos apaixonados, / De nossas infinitas madrugadas / E de nossos corpos fatigados,”

“Os meus sonhos pervertem, / E para ti os leva, / Enquanto meus olhos vertem / Esse amor que me subleva / Até o Paraíso onde vives, / Mas do qual não tenho a chave / Para teus muitos aclives /

E tua boca suave,”

“Havia muito mais em jogo do que somente / Um beijo que de repente acontecera / Entre duas almas perdidas que se encontraram, / Por alguma espécie qualquer de acidente / Que a roda da vida de repente tecera,”

“Assassinei você das minhas lembranças / E renovei as minhas parcas esperanças / Com esse crime quase perfeito! / Mas algumas coisas não têm jeito, / Pois às vezes você em mim ressurge, / E contra ficar no limbo se insurge!”

“E quando você me toca, / Não me provoca arrepios, / Mas meu olhar se desloca / Para onde correm seus rios!”

“Onde / Você se esconde? / E dos trilhos do bonde / A solidão me responde, / E, esperando que a noite me sonde, / A Escuridão comigo se corresponde, / Mas, por muito que a saudade me ronde, / Continuo indo sem rumo não sei aonde, / Enquanto o amor brinca comigo de esconde-esconde...”

“Quando foi que caíram as vendas / Que os meus cegos olhos tapavam? / Quando foi que vi as oferendas / Que teus olhares me escancaravam?”

“Deixe-me ir sem destino rumo ao infinito, / Para nunca mais ler versos de pé quebrado, / E me elevar, sem soltar um único grito, / Livre das algemas desse corpo alquebrado!”

“Procures por mim na esquina, / Ou talvez no posto de gasolina, / Ou quem sabe dando comida aos macacos, / Ou talvez colando alguns cacos, / Em antigas fotos que tiramos juntos, / Antes de nossos beijos virarem defuntos,”

“E quando a 4ª feira de cinzas chegar, / Nunca mais farei isto outra vez, / Pois terá chegado o tempo de te amar / No último xeque-mate de nosso jogo de xadrez!”

“Como expulsar essa visita indesejada, / Que nem sequer convidamos? / Como extirpar essa sede incrustada, / Que se alastra como se criasse ramos?”

“Essa invulgar melodia noturna, / Que retumba em meus ouvidos, / Nessa madrugada taciturna, /

Embaralha os meus sentidos.”

"Onde foi que nossos olhares se desencontraram, / Quando foi que deixaram de se procurar, / Em quais submundos sinistros aportaram, / Quando foi que sem perceber deixamos de nos amar?"

"Sob a lua que espalha raios de lata, / Iluminando peça saudade vinda do nada, / Eu me dezembro da última serenata, / Eu e meu escorpião, na noite enluarada!”

“Talvez você pense que isto é pura timidez, / Mas este é apenas um pedaço da equação, / Desespero-me até afinal vê-la outra vez, / Mas isto não me aponta qualquer solução!”

“Nós dois somos mesmo fora de sintonia, / E jamais compreenderei o porquê, / Nossas almas não tocam a mesma melodia, / Nunca poderá haver eu e você!”

“E, ao final dessas guerras sem vencedor nem vencido, / Tudo o que restará serão pedaços explodidos de mim, / Um livro de histórias mágicas que jamais será lido, / Um inexplicável seriado que nunca chegará ao fim!”

“Que fogo é este que me esfola, / Quando ficas de quatro, / E, devagar, tiras a camisola, / Nessa nossa paixão de teatro?”

“Desde quando me beijaste, / Com teu toque me enfeitiçaste / E acabei virando esse triste traste, / Mas como te esquecer, se em tudo ficaste?”

“E ao começar o verão, em setembro, / Esquecerei seu aniversário, que nunca me lembro, / E ficarei lhe pedindo desculpas, com o rosto rubro, / Até finalmente chegar a primavera em outubro!”

“Take out your clothes / Let me touch you for many times / While the night encloses / The two of us in perfect rhymes”

Características
ISBN 9781792713422
Número de páginas 97
Edição 1 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
MARCOS AVELINO MARTINS

BIOGRAFIA

Engenheiro Eletricista pela Universidade de Brasília por formação, Analista de Sistemas por opção, poeta por destino, casado, 2 filhos e 1 neto, apreciador de boa música, cinema, literatura, HQs, seriados e amigos (não necessariamente nesta ordem).

Escreve desde os 17 anos, inicialmente letras de músicas, alguns contos avulsos, poemas esparsos, e de alguns anos para cá, com uma produção intensa, já com 75 livros publicados, pelo Clube de Autores e pela Amazon.

LIVROS PUBLICADOS:

1. OS OCEANOS ENTRE NÓS

2. PÁSSARO APEDREJADO

3. CABRÁLIA

4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI

5. SOB O OLHAR DE NETUNO

6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE

7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO

8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE

9. EROTIQUE

10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE

11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ

12. EROTIQUE 2

13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU

14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA

15. SIMÉTRICAS

16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU

17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE

18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ?

19. OS TRAÇOS DE VOCÊ

20. STRADIVARIUS

21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR

22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS

23. EROTIQUE 3

24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI

25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO

26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM

27. O VENTO QUE NA JANELA SOPRAVA

28. EROTIQUE 4

29. A NOITE QUE NUNCA MAIS TERMINOU

30. AS HORAS QUE FALTAM PARA TE VER

31. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (1ª PARTE)

32. OLYMPUS: LIVRO 1 – EROS (2ª PARTE)

33. NO AR RAREFEITO DAS MONTANHAS

34. VOCÊ SE FOI, MAS ESTÁ AQUI

35. O AMOR QUE SE FOI E NÃO VOLTOU

36. OS VÉUS DA NOITE

37. OLYMPUS: LIVRO II - ARES, ARTHEMIS, ATHENA, CHRONOS, HADES, MORPHEUS E POSEIDON

38. MADRUGADAS DE SEDUÇÃO

39. O LUAR QUE EM TEUS OLHOS HABITA

40. QUANDO SUA AUSÊNCIA ERA TUDO QUE HAVIA (contos e crônicas)

41. ESSA SAUDADE QUE NÃO QUER IR EMBORA

42. OLYMPUS: LIVRO I - EROS (3ª PARTE)

43. UM ÚLTIMO BEIJO EM PARIS

44. OLYMPUS: LIVRO III - APHRODITE, APOLLO, GAIA, HERA E ZEUS

45. DE QUAL SONHO MEU VOCÊ FUGIU?

46. O LABIRINTO NO FIM DO POEMA

47. CADÊ O AMOR QUE ESTAVA AQUI?

48. OS RIOS QUE FOGEM DO MAR

49. ÚLTIMOS VERSOS PARA UM PERDIDO AMOR

50. OLYMPUS: LIVRO IV - PANTHEON

51. AH, POESIA, O QUE FIZESTE?

52. UM VERSO SUICIDA

53. ELA SE FOI, E NEM DEIXOU MENSAGEM

54. A NAVE QUE TE LEVOU PARA LONGE

55. EROTIQUE 5

56. O LADO NEGRO DA POESIA

57. UM OLHAR VINDO DO INFINITO

58. APENAS UM CONTADOR DE HISTÓRIAS

59. RÉQUIEM PARA UM AMOR NAUFRAGADO

60. OLYMPUS: LIVRO V - THESSALIA

61. POETICAMENTE TEU

62. AQUELA NOITE DO ADEUS

63. PASSOS QUE SE AFASTAM NA NOITE

64. FRAGMENTOS DE UM SONHO QUE PASSOU

65. OLYMPUS: LIVRO VI – PARTHENON

66. PASSAGEM PARA A SAUDADE

67. A PORTA DA SOLIDÃO

68. NUNCA MAIS TEUS BEIJOS

69. EROTIQUE 6

70. CIRANDA POÉTICA

71. AS HISTÓRIAS QUE NÃO TE CONTEI

72. A ÚLTIMA VEZ EM QUE TE AMEI

73. ESSA AUSÊNCIA QUE ME DEVORA

74. A NOITE IMENSA SEM ELA

75. OLYMPUS: LIVRO VII – ACROPOLIS

76. PORÕES E NAUFRÁGIOS

77. UM TROVADOR NO SÉCULO XXI

78. RESQUÍCIOS DE UM SORRISO TEU

Participante das antologias:

• “Declame para Drummond 2012” (2012), com o poema “Máscaras”;

• Antologia 2015 – Literatura Goyaz” (2015), com os poemas “Os oceanos entre nós” e “Morpheus”;

• “Desafio” (2016), com os poemas “Finito”,”De solidão e de sonhos” e “Olhar”;

• “Dez Poetas e Eu – Vol. 3” (2016), com os poemas “Átimo”, “Diário”, “Julgamento”, “Roleta russa”, “Buracos negros”, “Paronímia”, “As últimas gotas de orvalho”, “Repositório”, “Simplesmente você” e “Quando eu te conheci”; e

• “Raiz da Poesia” (2017), antologia internacional entre países de língua portuguesa, com os poemas “Os segredos que escondes no olhar”, “Borboleta”, “Autópsia”, “La nuit”, “O tio da suspeita”, “Aldebaran” e “Os sons do silêncio”.

Página no site “Templo de Delfos”, relicário da Literatura:

http://www.elfikurten.com.br/2016/08/marcos-avelino-martins.html

Contato: [email protected]

Celular: (62) 99971-9306

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 45,62
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,18
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,68
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 65,81
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 43,50
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 52,31
Ebook
R$ 19,37
Impresso
R$ 43,32
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,41
Ebook
R$ 17,22
Impresso
R$ 43,45
Ebook
R$ 17,22
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários