Reforma da Imprevidência: O Mantra da Persuasão
Categorias
Publicidade E Propaganda, Política Econômica, Governo Federal, Filosofia, Economia, Ciência Política
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 700 vezes desde 11/07/2019
Versão
impressa
R$ 33,20
Valor total:
R$ 33,20
Versão
ebook
R$ 11,84
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 33,20
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Este é um livro diferente e polêmico, que aborda com profundidade a questão nacional "reforma da Previdência", sob a ótica da filosofia da informação, filosofia da mente e filosofia política, partindo da teoria que dele se extrai: "A informação, a desinformação e a coação, utilizadas como ferramentas de controle social, dominação e manipulação comportamental". Saibam como foi urdida a trama, os bastidores, e quais as verdadeiras razões que a motivaram. Não formem suas convicções antes de ler este livro! Se já as tiverem, é possível que se alterem. Ainda há tempo. Não se deixem enganar pelo mantra da persuasão que bombardeia seus ouvidos e seus olhos todos os dias, por três anos consecutivos: a "necessidade" da reforma da Previdência. O livro, nesta versão de atualização, inclui também apêndice e anexos com: a) Miniglossário do economês e politiquês”; b) vídeos e links de utilidade pública recomendados; c) listas atualizadas de endereços, telefones e e-mails de todos os deputados e senadores”; d) modelo de petição aos parlamentares.

Características
Número de páginas 172
Edição 1 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 90g
Fale com o autor
Ivo S. G. Reis

Administrador de empresas, auditor fiscal (aposentado), consultor empresarial independente, "ghost writer", nas horas vagas, escritor amador e colaborador em jornais e revistas virtuais e impressa. Atualmente, é graduando em filosofia pela UFMS. Um livre-pensador, preocupado com as grandes questões nacionais e ambientais e com as mentiras disseminadas pelo mau uso da informação, com o intuito de enganar, dominar e fabricar falsos consensos.

Comentários
0 comentários