Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
A VIOLÊNCIA SEXUAL
CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO MUNICÍPIO DE IBIRAPITANGA, BA
Categorias
Educação, Ciências Humanas E Sociais
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 3562 vezes desde 22/04/2012
Versão
impressa
R$ 34,26
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 34,26
Versão
ebook
R$ 19,37
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 34,26
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

A interdisciplinaridade é uma questão muito discutida na atualidade, seja no campo educacional ou em qualquer outra área do conhecimento. Dentro do campo social, a ação interdisciplinar torna-se uma necessidade para uma efetiva atuação das entidades que trabalham com a população, especificamente a mais carente. Assim, o trabalho do Conselho Tutelar frente a situações de violência contra crianças e adolescente, principalmente, a violência sexual, objeto de nosso estudo, só pode ocorrer de maneira eficaz se houver um trabalho interdisciplinar entre as redes, às quais são responsáveis pela proteção da criança e do adolescente. Nesse sentido, essa monografia ressalta a violência sexual no município de Ibirapitanga, a atuação dos órgãos responsáveis em cuidar e zelar pelos direitos desses usuários, assegurados pelo ECA, enfatizando a importância da interdisciplinaridade entre os órgãos responsáveis, pois para garantir a sustentabilidade e continuidade das ações no atendimento a esses usuários, é fundamental a parceria entre o poder executivo (local) e as secretárias de Assistência Social, Saúde, Educação, Cultura, Trabalho, o Conselho Tutelar, os conselhos municipais dos Direitos da Criança e Adolescentes, Câmara municipal, o Ministério Público e a sociedade civil. A pesquisa foi realizada em duas etapas. A primeira foi constituída pela técnica do grupo focal, a qual possibilitou a coleta de dados qualitativos mediante entrevistas em grupo. A segunda etapa constituiu-se de uma entrevista com as Assistentes Sociais: uma do CREAS (Centro de Referência Especializado da Assistência Social) e a outra do CRAS (Centro de Referencia da Assistência Social). A partir da metodologia utilizada no trabalho ficou claro que não existe interdisciplinaridade no atendimento feito pelo Conselho Tutelar, o que significa que não existe uma integração entre os órgãos na resolução de casos de violência contra crianças e adolescentes, especificamente, a sexual.

Características
Número de páginas 59
Edição 1 (2012)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g
Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários