Canutama
De seringal a município
Código do livro: 379196
Categorias
Enciclopédia, Curiosidades & Maravilhas, Almanaques, Referência, Didáticos
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 106 vezes desde 09/06/2021
Versão
impressa
R$ 74,34
Valor total:
R$ 74,34
Valor total:
R$ 74,34
Este livro pode estar à venda na:
Sinopse

O livro conta a história de Canutama: desde as suas origens até à sua elevação à categoria de Vila, nomenclatura equivalente hoje ao status de município. Entre as origens e a fundação da Vila, Canutama passou pelos estágios de seringal, subdistrito, distrito e freguesia. Daí o título ser Canutama: de seringal a município.

Na busca por compreender os primórdios de Canutama, recuo no tempo. Viajo centenas de anos atrás, época em que o Purus não se chamava Purus, mas Cuxiuara. O nome provinha da tribo que morava em jangadas às suas margens; todas as outras nações indígenas, sobretudo as do Solimões, quando falavam dessa tribo principal, assim se referiam a esse rio: Cuxiuara.

O status de distrito foi concedido a Canutama somente em 4 de julho de 1878, o que significava, entre outras coisas, que agora o lugar iria contar com um delegado responsável pela sua segurança e que registraria os seus nascimentos e óbitos. Com a chegada de levas e mais levas de “cearenses” para trabalhar na faina do látex, a preocupação com a ordem nos seringais do povoado se tornou uma das iniciativas mais necessárias e urgentes por parte das autoridades da província.

Proclamada a República, as autoridades do Estado do Amazonas pareciam ter urgência em transformar povoados em vilas. Tal foi o que ocorreu com Canutama em 1891, quando a Lei nº 22 de 10 de outubro elevou a Freguesia de Nossa Senhora de Nazareth de Nova Colonia de Bella Vista à categoria de vila, com o nome de Villa de Canutama.

A instalação da vila ocorreu de modo simples e precário: Raymundo Gomes de Araújo havia sido designado pelo governador Eduardo Ribeiro para vir à freguesia dirigir o evento solene; todavia, houve atraso no vapor que trazia a comitiva. Isso fez com que a instalação acontecesse somente uma semana depois, isto é, após o dia indicado pelo chefe do poder executivo do Amazonas.

Características
ISBN 978-65-002-3560-9
Número de páginas 604
Edição 1 (2021)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 90g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Jamescley Almeida de Souza

Doutor em Sociedade e Cultura na Amazônia e Mestre em Letras (Estudos Literários).

Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários