Jornalismo literário a serviço da imprensa alternativa
Categorias
Não Ficção, Ciências Humanas E Sociais
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 3656 vezes desde 01/09/2011
Versão
impressa
R$ 36,75
Valor total:
R$ 36,75
Versão
ebook
R$ 12,92
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 36,75
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Com caráter propositivo, este estudo interliga duas áreas aparentemente sem conexões do campo jornalístico: jornalismo literário e imprensa alternativa. Visa verificar possíveis contribuições das técnicas literárias para o aprofundamento qualitativo das reportagens nos veículos alternativos, no sentido de uma maior colaboração para o diálogo social e o protagonismo humano. Ancora-se na hipótese de que o JL pode auxiliar a imprensa alternativa a humanizar os personagens de suas narrativas, recorrendo a exemplos inspiradores de jornalismo literário na prática, em diferentes suportes, antes de efetuar a confluência entre recursos literários e reportagens de duas publicações alternativas reconhecidas nacionalmente na atualidade – o jornal Brasil de Fato e a revista Caros Amigos. Conclui que a contribuição do jornalismo literário para a imprensa alternativa é possível tendo como sustentação os pilares da imersão do repórter na realidade e da humanização.

Características
Número de páginas 194
Edição 1 (2011)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Bruno Pessa

Nascido em Marília (SP), cresceu em Santos, numa época em que brincava tanto quanto escrevia. Naturalmente partiu para a faculdade de Jornalismo, com a riquíssima experiência da Unesp-Bauru. Debutou no exercício profissional, ganhou a metrópole paulista, casou-se, virou Mestre em Comunicação e tudo mais, mas continua pelejando.

Comentários
2 comentários
Andreza Doran
Quinta | 08.09.2011 às 07h09
"Muito bem bolado" Parabens Bruno Pessa! Boa Sorte! Andreza
Arianne
Quarta | 07.09.2011 às 11h09
Parabéns Bruno!Livro muito bem desenvolvido e com certeza abrirá os horizontes para a interligação dessas duas áreas do jornalismo. Abraços! Arianne.