PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO SEGURO EM CURITIBA:
PROPOSTA PARA TORNAR A “CIDADE DE MUROS” UMA “CIDADE PARA PESSOAS” NO ECOVILLE
Código do livro: 392040
Categorias
Urbano E Ordenamento Do Território, Paisagem, Geografia Humana, Direito, Ciências Humanas E Sociais, Arquitetura
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 55 vezes desde 19/08/2021
Versão
impressa
R$ 47,86
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 47,86
Versão
ebook
R$ 19,80
Disponível em:
epub
Valor total:
R$ 47,86
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Esta pesquisa busca a compreensão do espaço urbano como facilitador de crimes e acidentes, analisando-se conceitos como a “cidade de muros” e a segregação socioespacial com relação à produção da cidade insegura. No entanto, teorias como “olhos para a rua” e “cidade para pessoas” podem reverter esse quadro, produzindo-se o espaço urbano seguro. Assim por meio de uma análise exploratória, descritiva e analítica, elaborando-se mapas, gráficos, tabelas e fotografias de uma área macro, estabeleceram-se as características urbanas geradoras de insegurança e segregação. Os resultados obtidos mostram que a produção do espaço urbano na região da Conectora 5, conhecida pelo mercado imobiliário como Ecoville, em Curitiba, acabaram por gerar duas realidades: um local bem estruturado e dominado por grandes proprietários, onde predominam condomínios luxuosos que ignoram a rua, grandes vazios urbanos e até mesmo uma ocupação irregular, em contraposição a uma região adjacente onde a cidade é viva, ocupada pela população de menor renda. Realizou-se, por conseguinte, o diagnóstico da área de intervenção, dividindo-a em etapas projetuais para servirem de base ao projeto urbano a ser realizado na Avenida Deputado Heitor Alencar Furtado, no trecho do bairro Cidade Industrial de Curitiba. São mudanças na lei de zoneamento e ocupação do solo e alteração na hierarquia de uma via, seguidas de intervenções urbanas em um complicado cruzamento e uma proposta de um parque linear. Na sequência, diretrizes modelam esta intervenção normativa e projetual, de forma a transformar este espaço em um lugar seguro, inclusivo e democrático para as pessoas. Este trabalho conclui que a infraestrutura urbana por si só não gera um espaço seguro, necessitando-se de políticas públicas estratégicas, que permitam a diversidade de usos e favoráveis à integração socioespacial, principalmente bonificando os empreendimentos que sejam inclusivos e diversificados nos usos.

Características
ISBN 978-65-002-9112-4
Número de páginas 142
Edição 1 (2017)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Polen

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Fale com o autor
Thiago Augusto Ferreira da Costa

Mestre em Urbanismo e Segurança Pública pelo Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia - PPGAU/UFBA (2021), possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR (2018), extensão universitária em Design de Ambientes e Arquitetura Art Nouveau pela Olivier Gerval Fashion + Design Institute Paris - OGFDI (2015) e graduação em Curso de Formação de Oficiais Policiais Militares pela Academia Policial Militar do Guatupê - CFO/APMG (2009). Foi bolsista de pós-graduação "strictu sensu" da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - FAPESB (2019), bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES (2014-2015) e membro do grupo de pesquisa EtniCidades (FAUFBA, 2019-2021). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, Segurança Pública e Geoprocessamento.

Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários