Violência Silenciada
Um estudo sobre os castigos físicos sofridos pela criança no contexto familiar
Categorias
Ciências Humanas E Sociais, Educação
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2903 vezes desde 23/10/2011
Versão
impressa
R$ 34,23
Valor total:
R$ 34,23
Versão
ebook
R$ 15,07
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 34,23
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

O objetivo deste estudo foi compreender o que os pais que

submetem seus filhos à algum tipo de violência pensam, sabem,

fazem e argumentam acerca da imposição dos castigos físicos à

criança no ambiente familiar, identificando quais são suas

motivações ao castigarem seus filhos. Além disso, verificar se havia

(ou há) alguma relação entre a violência sofrida na sua infância e as

punições as quais submetem seus filhos, bem como analisar os

reflexos dos castigos corporais contra a criança. A metodologia

utilizada para obtenção dos dados foi um estudo de caso realizado

com uma família, residente no distrito de Capão Redondo, que

utiliza métodos coercitivos violentos para com as crianças. Foi

elaborada uma entrevista semi-estruturada, propondo um resgate do

histórico familiar dos agressores, principalmente relacionado aos

métodos punitivos aos quais foram submetidos na infância. Para as

crianças vítimas de violência doméstica foi estabelecido um diálogo

pautado em uma entrevista semi-estruturada, focada em indagações

relacionadas aos motivos, à maneira e a freqüência com que são

castigados pelos seus pais, buscando, também, seus relatos

referentes aos sentimentos que lhes cercam quando são punidos.

Os resultados, a partir da análise dos relatos dos adultos

(agressores) e das crianças acometidas de violência doméstica,

apontam para a existência de uma cultura recorrente em relação à

necessidade da imposição de castigos corporais para com as

crianças, de modo a impor a autoridade patriarcal e induzir a criança

a seguir as ordens do adulto. Esses castigos são reproduções dos

costumes familiares para educação da criança, funcionando como espécie de resposta imediata e automática à ação da criança que

desagrada o adulto. Esta reprodução forma um circulo de violência e

faz com que a situação perdure durante gerações e seja vista de

forma naturalizada.

Características
Número de páginas 133
Edição 1 (2011)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Comentários
0 comentários