A maldição da lei
Categorias
Bíblias, Bíblia, Antiguidades E Arqueologia, Teologia, Religião
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 98 vezes desde 10/02/2021
Versão
impressa
R$ 36,97
Valor total:
R$ 36,97
Versão
ebook
R$ 14,42
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 36,97
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Um dos maiores obstáculos para os homens terem

um relacionamento com Deus é a religião.

Quando Yeshua veio ao mundo como homem, a

religião judaica foi o veículo que desviou o povo do

caminho verdadeiro. Hoje não é diferente. Apesar de

vivermos em um mundo religioso, sendo que a maioria

diz crer em Yeshua, quase que a totalidade destes não

aceitam a Torah, as instruções de Deus, pois os

sacerdotes dizem que a lei de Deus teria sido abolida.

Um dos principais versículos usados para este engano é:

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio

maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele

que for pendurado em madeiro)” Gl 3:13. Pregadores sem

raízes bíblicas se agarram na falta de conhecimento e

criam fábulas.

Quando Yeshua pessoalmente ensinava a Torah, Ele não

comissionou ninguém do Templo ou das sinagogas, ao

invés disto, prioritariamente chamou pescadores,

cobradores de impostos, entre outros sem relevância

religiosa. Seus milagres muitas vezes foram em favor de

pessoas que não podiam nem entrar no Templo. Um fato

importante que deve ser destacado, é que a comunidade

religiosa não creu em Yeshua por causa de seus próprios

líderes. É interessante notarmos que o mundo vindouro

U

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 14 ]

preparado para os salvos é representado profeticamente

na bíblia pelo povo de Deus na busca por entrar em

Canaã! Nos dias de Moisés, toda aquela geração que saiu

do Egito tinha como destino Canaã, a terra prometida.

Aqueles que presenciaram grandes milagres, como o mar

Vermelho sendo aberto, que ouviram a Voz de Deus no

Monte Sinai, todos estes não entraram na terra

prometida, com exceção de Josué e Calebe (além dos que

saíram do Egito com menos de 20 anos de idade). E por

que não entraram? Não entraram por causa dos seus

líderes! Seiscentos mil homens com suas esposas não

entraram na terra prometida porque deram ouvidos a voz

de seus líderes, acreditaram em homens. “Disse o

SENHOR a Moisés: Envia homens que espiem a terra de

Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel; de cada tribo de seus

pais enviareis um homem, sendo cada qual príncipe entre eles.”

Nm 13:1. Repare que o povo que ansiava por entrar na

terra prometida teve por espias seus líderes, cada tribo

enviou um líder para fazer o reconhecimento da Terra.

Aqueles homens foram enviados com a intenção de fazer

um “ תּוּר ” (tur) que quer dizer, reconhecimento. Era para

eles verem os frutos da terra, o sistema de irrigação

natural que aquela terra tinha, era para eles verem as

bênçãos que Deus preparou em Canaã para os

descendentes de Abraão, depois relatar tudo isso para o

povo, animando-os para tomarem posse dela. É evidente

que além da boa qualidade da terra de Canaã, que eram

as bênçãos, também havia obstáculos, era de se esperar

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 15 ]

que houvesse um grau de dificuldade para conquistar

aquela terra! Na saída do Egito o mar vermelho era uma

das dificuldades, foi ali que Deus fez o grande milagre

para Sua honra e Glória. Para o povo foi graça, sim, a

graça de Deus sempre esteve em meio ao povo. Em

Canaã, seria a mesma situação, os obstáculos para

conquistar a terra seria Glória para O Eterno e graça para

o povo!

Aqueles líderes tinham três obrigações, primeiro

deveriam reconhecer as bênçãos em Canaã, depois

reconhecer que Adonai os ajudaria onde eles não

poderiam vencer, e por último, deveriam animar o povo

para entrar na Terra prometida. “Ao cabo de quarenta dias,

voltaram de espiar a terra, caminharam e vieram a Moisés, e a

Arão, e a toda a congregação dos filhos de Israel no deserto de

Parã, a Cades; deram-lhes conta, a eles e a toda a congregação, e

mostraram-lhes o fruto da terra. Relataram a Moisés e disseram:

Fomos à terra a que nos enviaste; e, verdadeiramente, mana leite e

mel; este é o fruto dela.” Nm 13:25-27. Até este ponto eles

trouxeram frutos colhidos em Canaã e confessaram que

realmente a terra que Deus prometeu era abençoada.

Porém, em seguida aqueles líderes revelaram diante do

povo suas incertezas, a sua falta de confiança em Deus.

Mesmo sendo líderes, eram faltos de conhecimento de

Deus: “O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as

cidades, mui grandes e fortificadas; também vimos ali os filhos de

Anaque. Os amalequitas habitam na terra do Neguebe; os heteus,

os jebuseus e os amorreus habitam na montanha; os cananeus

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 16 ]

habitam ao pé do mar e pela ribeira do Jordão.” Nm 13:28-29.

Este relato desestabilizou o povo, os guerreiros deixaram

o medo lhes dominar, e isto lhes tirou o direito de

entrarem na terra prometida. Eles viram os povos

inimigos que ali moravam, temeram os amalequitas, se

amedrontaram com os filhos de Anaque que eram

descendentes de gigantes, viram tudo o que era

impossível aos seus olhos; esqueceram que o impossível

Deus Mesmo faria. Este foi o motivo do povo não entrar

na terra prometida, confiar em seus líderes.

Hoje, acontece à mesma coisa, a Torah é o caminho da

vida, pois Yeshua é a Torah que desceu do céu: “No

princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era

Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram

feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez. A

vida estava nele e a vida era a luz dos homens.” Jo 1:1-4. Já no

princípio podemos perceber que os homens se afastam

de Deus quando deixam de obedecer Ao Eterno, como

foi com Adão e Eva, estes foram colocados para viverem

no Jardim do Éden por Graça, e porque desobedeceram,

perderam este privilégio, foram expulsos. Hoje a

humanidade vive na terra para onde Adão e Eva foram

mandados depois do pecado. Precisamos fazer o

caminho inverso, devemos vencer as tentações deste

mundo ansiando por adentrar no mundo vindouro,

entrarmos no Jardim de Deus. Existe um caminho para

esse retorno, este caminho é a Torah de Deus, o Verbo

de Deus que é Yeshua, a Torah viva! Mas os líderes

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 17 ]

religiosos ensinam as pessoas a desobedecerem esta

Torah, pregam que a lei teria sido abolida, dizem que a lei

seria maldição. Estes são líderes religiosos que as pessoas

escutam, e por confiarem nestes líderes se afastam da

verdade. Quando um intérprete da lei quis testar Yeshua,

perguntando acerca do que fazer para alcançar a

salvação, Yeshua apontou a Torah como resposta! “E eis

que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr

Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida

eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como

interpretas?” Lc 10:25-26.

Quando a bíblia é lida sem os óculos romano, sem os

conceitos das doutrinas criadas pelos homens, a lei e os

mandamentos são revelados de maneira maravilhosa.

Mas a religião impõe um óculos, todos tem que ler a

bíblia com os olhos dos líderes dessas religiões. Há

vários escritos de teólogos cristãos que “*invalidam” a lei

de Deus, porém, todo o material escrito por esses

“doutores” da bíblia é fundamentado nas palavras do

apóstolo Paulo. Peça a qualquer teólogo uma citação

bíblica que justifique a abolição da lei; e ele citará

palavras de Paulo. Para os tais, de acordo com seu

entendimento, não importa o fato de que nunca leram

uma única palavra contra a lei de Deus por parte de onze

dos doze discípulos. Na verdade, eles não se importam

com o que o próprio Senhor Yeshua disse: “Não penseis

que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim

para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 18 ]

passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se

cumpra.” Mt 5:17-18. Com estas Palavras Yeshua afirmou

categoricamente que a Lei de Deus jamais passará. Mas

os teólogos não aceitam estas palavras de Yeshua, e para

contrariar a verdade explicitada por Ele, citam Paulo que

disse: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele

próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo

aquele que for pendurado em madeiro)” Gl 3:13. Ora, quem é

maior, Yeshua ou Paulo? É claro que é Yeshua! Por que

então invalidam as Palavras de Yeshua citando Paulo? A

resposta está no nosso primeiro parágrafo; a religião é

um obstáculo para homem encontrar a Deus! O erro

cometido pelos judeus é o mesmo repetido pelos

cristãos.

Diante do exposto, muitas pessoas não compreendem o

que é correto a respeito da lei de Deus. Yeshua disse que

não veio anular a lei, Paulo disse que Cristo nos libertou

da maldição da lei; seria a lei de Deus bênção, ou

maldição? Por que Paulo parece estar indo contra o que

Cristo falou a respeito da lei? Na verdade, Paulo disse

muito mais a respeito da lei, inclusive, tem um versículo

de Paulo que os teólogos não costumam ler: “Por

conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom.”

Rm 7:12. Até este momento citei duas falas de Paulo a

respeito da lei; na primeira ele disse algo como “a

maldição da lei”, na segunda disse que a lei é boa, o

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 19 ]

mandamento santo, justo e bom! Qual teólogo cristão

poderia explicar esta “variação” nas palavras de Paulo? O

mesmo Paulo disse que a lei é santa, o mandamento

santo, justo e bom, em outra fala Paulo usou o termo;

maldição da lei! Qual o homem que invalida o que é

santo? Qual apóstolo, bispo, pastor, rabino ou papa pode

invalidar o que Deus instituiu como justo? Acaso o

homem tem poder e autoridade para anular aquilo que

Deus constituiu por Santo e Justo? De maneira

nenhuma!

A verdade é que Paulo nunca falou contra a lei. Aqueles

que ensinam falsamente que Paulo teria afirmado a

abolição da lei são pessoas que não conhecem Paulo,

nem a Torah, nem sabem verdadeiramente quem é o

povo de Deus! O apóstolo Pedro nos advertiu sobre este

tipo de pregador que não entendiam (e digo que não

entendem) o que Paulo escreveu, e na ignorância,

manipulam as palavras de Paulo criando heresias

destruidoras; “e tende por salvação a longanimidade de nosso

Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu,

segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes

assuntos, como, de fato, costuma fazer em todas as suas epístolas,

nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e

instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras,

para a própria destruição deles.” 2Pe 3:15-16. Vemos nessa

advertência de Pedro que falsos mestres, pregadores

ignorantes, estes não compreendem o que Paulo disse, e

ensinam o que Paulo não disse! Podemos perceber que

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 20 ]

já naqueles dias havia “mestres” que não tinham

conhecimento da Torah, e por falta de conhecimento,

não praticavam os mandamentos. Esses falsos mestres

não eram capacitados para guiar o povo, porém, eles

insistiam em serem reconhecidos como líderes religiosos,

e as pessoas que seguiam esses mestres viviam como eles,

sem lei, sem Torah! É o que está acontecendo hoje, o

mundo esta repleto de doutrinas contrárias aos

mandamentos de Deus, tais doutrinas são tiradas das

cabeças desses pregadores que vivem sem os

mandamentos de Deus, guias cegos guiando cegos!

Criam heresias destruidoras afirmando que a lei de Deus

seria maldita, criando religiões que dominam multidões

de povos, enchem templos de pessoas que adoram a

Deus com os lábios, mas o coração não conhece a Deus;

“Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este

povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.

E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de

homens.” Mt 15:7-9.

O povo religioso judeu no passado não agradou a Deus

porque se dedicou a agradar a doutrina dos sacerdotes.

Aqueles que ensinavam o povo criaram dogmas e

costumes que não estão na Torah. O mesmo acontece

hoje, muitos fiéis às religiões não agradam a Deus porque

se dedicam a religião, abandonaram as instruções de

Deus, abandonaram a Torah eterna; “Porque povo rebelde é

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 21 ]

este, filhos mentirosos, filhos que não querem ouvir a lei do

SENHOR.” Is 30:9.

Podemos comparar nosso presente com o passado da

história dos judeus. A maioria das pessoas diz que a lei de

Deus foi abolida! Isto porque aprenderam com líderes

que não conhecem a lei de Deus! Parece que os líderes

religiosos olharam para a Torah, como os líderes das

tribos dos filhos de Israel olharam para Canaã. Era para

fazer um tour e reconhecer todas as boas coisas

prometidas e reservadas para quem obedece a Torah Do

Eterno! Mas ao falar ao povo, destacaram as maldições

da desobediência, convenceram o povo de que não

seriam capazes de guardar os mandamentos de Deus!

Deram a falsa instrução de que se andassem pela Torah

iriam morrer. A situação é a mesma do passado. Deus

mandou lutar e tomar posse da terra, os líderes espiaram

Canaã e disseram que era impossível conquistarem a terra

prometida; o povo desacreditou das promessas de Deus

e acreditaram nos líderes. Hoje, os líderes religiosos

dizem que ninguém consegue observar a lei de Deus,

dizem que quem quiser viver os mandamentos iria perder

a salvação. Os líderes judeus não entenderam que a parte

impossível para eles seria executada por Deus, por Sua

Graça e misericórdia, semelhantemente, os líderes da

teologia normativa não entendem que aqueles que

observam os mandamentos de Deus podem alcançar a

salvação que é impossível ao homem, através da Graça

de Deus!

A Maldição da Lei Robson Brumatti

[ 22 ]

Neste trabalho vamos buscar compreender a luz da

Palavra, o conceito da lei, o que significa a lei de Deus,

para quem ela foi criada. Somente depois de ter esta

percepção, pode-se compreender o que é bênção e

maldição diante da lei de Deus. A partir de então

poderemos compreender que Cristo resgatou os homens

da maldição da lei, sem anular a Torah!

Características
ISBN 978-65-001-4392-8
Número de páginas 215
Edição 1 (2021)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g

Tem algo a reclamar sobre este livro? Envie um email para atendimento@clubedeautores.com.br

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
R$ 38,71
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 30,99
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 33,26
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 33,46
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 32,27
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 32,10
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 44,19
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 34,53
Ebook
R$ 14,42
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 37,56
Ebook
R$ 14,42
Impresso
R$ 40,08
Ebook
R$ 19,80
Impresso
R$ 57,94
Ebook
R$ 29,49
Impresso
R$ 43,36
Ebook
R$ 25,19
Impresso
R$ 44,75
Ebook
R$ 20,88
Impresso
R$ 40,22
Ebook
R$ 19,80
Impresso
R$ 31,95
Ebook
R$ 14,64
Impresso
R$ 35,26
Ebook
R$ 18,73
Impresso
R$ 36,46
Ebook
R$ 18,79
Comentários

Faça o login deixe o seu comentário sobre o livro.

0 comentários