Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
A necessidade de protagonismo na Luta Antimanicomial e a “bipolaridade”
Nada de nós sem nós!
Categorias
Saúde Mental, Psicoterapia, Psicologia Social, Psicologia, Corpo, Mente E Espírito, Biografia e Testemunho
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 233 vezes desde 19/09/2020
Versão
impressa
R$ 40,67
Valor total:
R$ 40,67
Versão
ebook
R$ 29,06
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 40,67
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Roque JR com suas palavras escritas nos conduz ao mundo das multiplicidades do humano ser-estar-fazer-saber no mundo, com a potência de vontade de inventar nas dobras e desdobras da vida.

Apresenta seu protagonismo desde o início do livro ao registrar que é escritor, editor e membro da Associação Gaúcha de Escritores Independentes. Quantas voltas, revoltas e transvoltas nestes devires?!

Ele nos conta suas construções e desconstruções de um modo “raiz”, situado nos tempos e territórios político-histórico-sociais-subjetivos. Escreve sobre os fios da vida, como os entrelaça e com quem tece a trama; não se detém em falar sobre o tecido pronto. Os fios podem ser entremeados de múltiplas maneiras, com diferentes formas e finalidades. Assim, Roque JR partilha suas inquietações, desafios, desejos e elaborações, e generosamente dispõe a matéria viva de sua artesania para que cada um a utilize para protagonizar a própria vida.

O livro é composto por verbetes, aforismos, descrições, imagens, narrativas, glossário, anotações de diário, inventários, listagens, reflexões e pensamentos, de modo que pode ser lido a partir de qualquer página conforme a vontade e iniciativa de quem o lê. Um livro que se multiplica e se transforma a cada leitura; é um livro-biblioteca interativo.

A leitura é instigante desde as primeiras páginas, onde aparecem as palavras tachadas: palavras que o autor não considera aceitáveis, mas importantes de serem mantidas impressas. Afirmação do poder das palavras: palavras-memória, palavras-resistência, palavras-mortíferas, palavras-potência,... Palavras impressas tachadas para não serem esquecidas e não causarem mais danos.

No percurso da leitura, [email protected] por Roque JR, conjugamos o verbo “esperançar” de Paulo Freire, conhecemos a produção de seu legado materializado em 50 livros, aprendemos com sua expertise pela experiência, com sua sabedoria de reconhecer a ignorância como propulsora de novos conhecimentos, com seu entendimento sobre a construção coletiva dos saberes, com sua coragem de escrever sobre seus desconfortos, dúvidas, sofrimentos, assim como vibramos com seu ativismo na cultura e na luta antimanicomial. O livro configura uma cartografia dos dispositivos e criações mentaleiras propulsoras de protagonismo em tempos de pandemia sanitária e de pandemônio político em nosso país.

O modo corajoso e generoso de escrever, de aprender com os erros, de transformar fragilidade em potência, de incluir e de conviver permite afirmar que o Roque JR soube amigar-se com os medos e com os conflitos gerados tanto pelos excessos como pelas faltas.

por Sandra Maria Sales Fagundes

Características
ISBN 978-65-000-9557-9
Número de páginas 104
Edição 1 (2020)
Formato Pocket (105x148)
Acabamento Brochura s/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Roque JR

Roque JR publica obras desde 1999, mais de trinta livros publicados, destaca em seus textos a "bipolaridade", Saúde Mental, Luta Antimanicomial, Exército Brasileiro, seu casamento com Martha Santos, entre outros temas. Conheça mais detalhes no www.RoqueJR.com.br Desde seus 10, 12 anos de idade escrevia cartas, ao ingressar na Faculdade de História(UCS) confirmou a importância de guardar os “documentos históricos”.

Trocou o curso de graduação para Sociologia, atualmente está com as duas matrículas trancadas(História e Sociologia), ambas com mais de metade cursadas.

Trabalhou como repórter fotográfico por mais de duas décadas em diversos meios de comunicação, entre eles, com imagens(e textos) publicadas no Zero Hora, Correio do Povo, Pioneiro e de outros municípios, em especial vários jornais(já extintos) e a Rádio Miriam de Farroupilha-RS, onde por algum tempo foi o produtor executivo.

Fotografia de sua autoria, publicada em julho de 2007, capa de página inteira do jornal A Classe Operária que circulou o Brasil e exterior. Entre outras áreas da fotografia.

Comentários
0 comentários