Bases Filosóficas da Sinarquia
entendendo seus princípios
Categorias
Ciências Humanas E Sociais, Corpo, Mente E Espírito, Filosofia, Esoterismo, Espiritualidade, Geografia Humana
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 10420 vezes desde 22/02/2014
Versão
impressa
R$ 44,96
Valor total:
R$ 44,96
Valor total:
R$ 44,96
Sinopse

O sistema sinárquico não visa uma estrutura eclética, o que seria cair na social-democracia. O que o sistema sinárquico deseja é realizar a síntese daqueles dois sistemas, expurgando-os de suas parcialidades antagônicas.

Justamente por realizar essa conciliação, a Sinarquia não é nem liberal nem libertadora, mas profundamente libertária.

Vejamos as diferenças concretas traçadas pelo eminente professor.

O liberalismo assenta-se na ficção: povo, o socialismo, ao contrário, admite como fundamento outra ficção: a sociedade.

A Sinarquia conciliando o que há de positivo nessas duas ficções (povo e sociedade) assenta-se na realidade positiva: homens.

No liberalismo a economia não está organizada; desenvolve-se fácil e iniquamente. No socialismo, ao contrário, a economia é dirigida pelo Estado. As consequências são desastrosas: no liberalismo o produto de todo o trabalho pertence a um pequeno grupo de homens (poucos tem); no socialismo, ao contrário, o produto de todo trabalho pertence ao Estado (ninguém tem).

Na Sinarquia, sendo a economia regulada pelas necessidades, o produto do trabalho pertence a quem o produz (todos teem).

No liberalismo, o trabalhador trabalha enquanto vive; no socialismo, o trabalhador trabalha enquanto pode; na Sinarquia, o trabalhador trabalha enquanto precisa. É, como se vê claramente, a necessidade determinando, consequentemente, uma série de modificações não só na estrutura do liberalismo como na do socialismo. É fácil aponta-las.

No liberalismo por exemplo, há patrões, intermediários e juros. No socialismo o Estado exerce o papel de patrão e intermediário. Na Sinarquia não há patrão, nem intermediário, nem juros.

No liberalismo, o Banco pertence ao Estado, cobra juros negociando com a moeda como mercadoria.

Na Sinarquia o Banco pertence aos trabalhadores, não cobra juros e é o regulador do crédito.

Introdução............................................................................. 10

  1. Concepção Intelectual do mundo ..................................19

  2. Fontes Helegianas da Sinarquia .....................................35

  3. Método Dialético .............................................................53

  4. Fundamentos Gerais da Sinarquia...................................58

  5. Fontes Clássicas da Sinarquia ........................................62

  6. A Situação Filosófica da Sinarquia ..................................67

  7. A Forma Concreta da Sinarquia ......................................71

Características
Número de páginas 80
Edição 1 (2014)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Joaquim Ribeiro

INSTITUTO SUTILIZAR - Livros e Treinamentos voltados para a Alquimia, Esoterismo e abordagens Holísticas.

Comentários
0 comentários