Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Diálogos marcados pela cruz
Uma tentativa de “scholasticos disputatio” entre homens comuns.
Categorias
Religião, Vida Cristã, Ateísmo
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 328 vezes desde 31/08/2017
Versão
impressa
de R$ 35,15 por
R$ 29,09
Valor total:
R$ 29,09
Valor total:
R$ 29,09
Sinopse

A sociedade moderna vive para a produção de bens materiais cada vez mais tecnológicos e complexos, com o intuito de oferecer mais conforto ao indivíduo. Mais da metade do período de um dia é reservado para essa prática, tudo isso para produzir um bem útil que se confunde com a medida da utilidade daquele que o produz, quase o único parâmetro válido, nesse momento, para avaliar um ser humano.

Fora da atividade laboral, por sua vez, as pessoas estão se ocupando de forma homogênea e excessiva com a conquista da beleza física e com a ideia fixa de proteção do planeta, apontando o culpado pela destruição da natureza justamente o excesso de produção de bens materiais que elas mesmas se ocupam diariamente em produzi-los.

Em meio a esse roteiro, cujo estopim aconteceu há quatro séculos com o advento do racionalismo e do cientificismo, cristalizou-se quando essa forma de pensar e agir forjou as ideologias políticas do século XX e o cristianismo foi saindo de cena até o ponto de considerarem-no apenas mais um evento retrógrado inventado pelo homem e que ele deverá ser capaz de superar se quiser continuar progredindo em direção à suprema felicidade.

Parafraseamos o professor doutor Eduardo Prado de Mendonça, católico, que entre outras obras nos deixou “O mundo precisa de filosofia” e, há quase cinquenta anos, equiparou a época do culto aos bens materiais semelhante à veneração divina como sendo um regresso do homem àquele tempo em que se cultuavam os deuses da chuva e do trovão.

Os diálogos do livro foram trocados entre dois primos que pensam diferente sobre a importância da religião cristã e da ciência para o progresso humano, apesar de ambos afirmarem que possuem fé. Será realmente possível falar em fé quando só se acredita no misticismo atual, imaginando que o melhor virá ao amanhecer, graças ao progresso humano ? Será possível adjetivar a fé conforme a nossa religião sem haver repercussão negativa na moral que rege a vida de cada um ?

Características
Número de páginas 93
Edição 1 (2017)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Couche 90g
Fale com o autor
Ricardo A. Basso e Ricardo B. Sternheim

Ricardo Alves Basso é bibliófilo e médico patologista no Estado de São Paulo.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Impresso
de R$ 29,08
R$ 23,01
Impresso
de R$ 36,26
R$ 30,20
Ebook
R$ 11,84
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
de R$ 33,90
R$ 27,83
Ebook
R$ 15,07
Impresso
de R$ 34,97
R$ 28,91
Ebook
R$ 11,84
Impresso
de R$ 55,35
R$ 49,29
Ebook
R$ 26,91
Impresso
de R$ 40,78
R$ 34,71
Ebook
R$ 22,60
Impresso
de R$ 32,91
R$ 26,84
Ebook
R$ 13,99
Impresso
de R$ 42,17
R$ 36,10
Ebook
R$ 18,30
Impresso
de R$ 48,67
R$ 42,61
Impresso
de R$ 29,36
R$ 23,30
Ebook
R$ 12,05
Impresso
de R$ 32,67
R$ 26,61
Ebook
R$ 16,14
Impresso
de R$ 33,88
R$ 27,81
Ebook
R$ 16,21
Impresso
de R$ 90,15
R$ 84,09
Ebook
R$ 15,61
Impresso
de R$ 37,82
R$ 31,75
Comentários
0 comentários