SPECULUM
Categorias
Poesia, Literatura Nacional, Artes
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 587 vezes desde 23/07/2019
Versão
impressa
R$ 42,51
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 42,51
Valor total:
R$ 42,51
Este livro pode estar à venda na:
Sinopse

"Pontua aqui e ali Speculum, um sentimento de náusea e revolta − "sinto nojo / dessas noites quentes", “da vida espero pouco: atear fogo às vestes" − que surpreende num autor que costuma primar pela quantidade (e qualidade) de suas referências eróticas e pictóricas, referências essas mais comumente ligadas à escrita do prazer físico e intelectual que ao discurso engajado, a uma poesia mais celebratória que de desencanto". Com estas palavras, o poeta Carlito Azevedo inicia a apresentação de Speculum, a segunda coletânea poética de Jorge Lucio de Campos, publicada originalmente em 1993 e agora relançada pela Clube de Autores.

Características
ISBN 978-65-860-6970-9
Número de páginas 81
Edição 1 (2019)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Polen
Fale com o autor
Jorge Lucio de Campos

Nascido no Rio de Janeiro em 1958, Jorge Lucio de Campos graduou-se em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) onde também cursou o Mestrado (Estética) em Filosofia, o Doutorado e o Pós-Doutorado (História dos Sistemas de Pensamento) em Comunicação e Cultura. É Professor Associado do Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Design da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Como ensaísta, publicou os livros Do simbólico ao virtual: A representação do espaço em Panofsky e Francastel (Perspectiva/EdUERJ, 1990), A vertigem da maneira: Pintura e pós-vanguarda na década de 80 (Revan/FAPERJ, 2002) e A travessia difícil: Notas sobre o ético, o técnico e o estético na crise da modernidade (EdUERJ/FAPERJ, 2014). Como poeta, publicou as coletâneas Arcangelo (EdUERJ, 1991), Speculum (EdUERJ, 1993), Belveder (Diadorim/UNESA, 1994), A dor da linguagem (Sette Letras, 1996), À maneira negra (Sette Letras, 1997) e Prática do azul (Lumme, 2009).

Comentários
0 comentários