Go_to_top Bar
Seu carrinho está
vazio
Olá

Clube de Autores é a maior comunidade de autopublicação da América Latina. Inicie agora!

Livro BELA CRUZ — cronologia do município

Por: Vicente Freitas Denunciar

Ajaxloader
por
R$ 71,19
por
R$ 44,13

Sinopse

A História do povoamento de Bela Cruz, assim como de toda a Zona Norte da Capitania do Ceará, tem início somente no final do século XVII e inícios do XVIII, quando os primeiros sesmeiros começam a se apossar de suas sesmarias e aqui fixar residência nas margens do Rio Acaraú. A presença do homem branco, nesses remotos tempos, era rara e escassa em toda a região. A precariedade dos meios de transporte, a exuberância da floresta tropical e, especialmente, o modelo econômico baseado na “plantation”, fizeram com que as esporádicas passagens do homem branco pelo sertão se limitassem à captura de índios, impedindo sua fixação efetiva no interior. A penetração pelo sertão iniciou-se, ao que tudo indica, em 1683, pois é do dia 23 de setembro daquele ano a sesmaria que o Capitão-Mor Bento Macedo de Farias concede a Manoel de Goes e seus companheiros. Novas sesmarias seriam concedidas, no correr dos anos, estabelecendo-se, certamente, a partir daí a criação de gado. Pouco a pouco, a terra começa a ser empossada definitivamente. As fixações se estruturam. Nascem sítios e fazendas. A criação de “gado vacum e cavalar” e a agricultura começam a dar condições econômicas à sobrevivência. E são exatamente estes dois fatores — crescimento demográfico e ligeira tendência de democratização econômica — que irão favorecer essa nova atividade na região — a pecuária. Pelas origens de seus primeiros colonizadores, Bela Cruz parece ter nascido resultante do casamento de portugueses e pernambucanos, e, mesmo do concubinato destes, com índias. O Capitão Manoel Vaz Carrasco, pai das Sete Irmãs, chegava de Ipojuca, para se estabelecer no Sítio Santa Cruz (Bela Cruz); Ângelo Dias Leitão emigrara do Cabo; Nicolau da Costa Peixoto, Manoel Ferreira Fonteles, Matheus Mendes de Vasconcelos, João da Silveira Dutra, o Capitão José de Araújo Costa e seus irmãos — Pedro de Araújo Costa e Manoel de Araújo Costa — chegavam diretamente de Portugal. E aqui ficaram encantados ou encantoados com as águas do Rio Conoribon, Conoribo, Coruybe, Rio dos Torrões Pretos, Rio das Garças, segundo as diversas denominações que lhe deram seus primitivos habitantes. Em 1732, é construída a Capela de Santa Cruz, centro religioso da ribeira; o povoado atraía os habitantes da região que vinham à procura do batismo para seus filhos, à procura do sacramento do matrimônio para constituir novas famílias e à procura da própria Capela para sepultar os seus mortos. Acreditamos — com estas notas — contribuir, todavia, para tornar mais conhecidos alguns fatos e fastos acontecidos nesta ribeira, desde os tempos do Brasil-Colônia, assim como outros movimentos efetuados mais recentemente. Em suma, este livro contém ligeiras notas sobre “datas e fatos” aqui acontecidos e ainda não suficientemente retratados.

Categorias: Historiografia, Histórico, Não Ficção, Geografia E Historia, Biografia
Palavras-chave: cronologia, genealogia, história

Características

Cover_front_perspective
Número de páginas: 222

Edição: 1(2015)

ISBN: 978-85-916141-8-9

Formato: A5 (148x210)

Coloração: Preto e branco

Acabamento: Brochura c/ orelha

Tipo de papel: Polen

Reconhecimento

Sobre o autor

Mini
Vicente Freitas

Vicente Freitas de Araújo (Bela Cruz, Ceará, 11 de fevereiro de 1955) é um editor, escritor, poeta, historiador e artista plástico brasileiro. Filho de José Arimathéa de Freitas e Dona Maria Rios de Araújo. Depois de estudar em algumas escolas de sua cidade natal, mudou-se para Fortaleza, passando então a conviver com um grupo de escritores e poetas, frequentadores da Casa de Juvenal Galeno. Licenciado em História e Geografia, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA. É autor dos livros: Almanaque poético de uma cidade do interior (1999); Bela Cruz — biografia do município (2001); O Carpinteiro das Letras (2005); Bela Cruz — famílias endogâmicas (2010); Corpo — acorde arpejado (publicado em Lisboa, 2012); História abreviada de Bela Cruz (2013); Bela Cruz — cronologia do município (2014); Famílias endogâmicas do Vale do Acaraú (2015); Linhares Filho — Príncipe dos Poetas Cearenses (2016); Fernando Pessoa — Fragmentos de uma Autobiografia (2017). Participou de várias coletâneas, dentre as quais: Poetas brasileiros de hoje, Shogun Arte Editora, (1992); Contos e poemas do Brasil, Litteris Editora, RJ (1997); Os melhores da literatura, Litteris Editora, RJ (1998); Sonhos e expectativas, Scortecci Editora, SP (1999); Seleção de poetas noctívagos, Scortecci Editora, SP (2001); Três milênios de poesia e prosa, Fortaleza (2003). É verbete da Enciclopédia de literatura brasileira, de Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa (2001). Organizou antologias sobre — José Albano, Juvenal Galeno, Linhares Filho, Manoel de Barros, Fernando Pessoa, e outros. Foi um dos finalistas do prêmio nacional de poesia Menotti del Picchia 2000, e do internacional Von Breysky 2001.


Mais publicações desse autor

Comentários - 0 comentário(s)


Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


Como funciona

Passo 1

Você publica seu livro online, gratuitamente.

Passo 2

Você diz quanto quer receber de direitos autorais.

Passo 3

Nós vendemos e você recebe o dinheiro por depósito direto na sua conta.

Serviços profissionais

Conheça nossos serviços

São vários serviços para auxiliá-lo em sua obra:

Depoimentos

"O Clube de Autores conseguiu superar todas as minhas expectativas: o material é entregue sempre dentro do prazo, o acabamento é excelente e o atendimento, idem! Sinto-me extremamente feliz e segura tendo um parceiro como o Clube de Autores nas minhas aventuras pelas selvas literárias."

Catarina Muniz

Formas de Pagamento (até 12x)

Segurança

Print


Clube de Autores Publicações S/A   CNPJ: 16.779.786/0001-27

Rua Otto Boehm, 48 Sala 08, América - Joinville/SC, CEP 89201-700